Dissertações

O fenômeno da liquefação ocorre de maneira abrupta em solos naturais ou em estruturas construídas de forma artificial, como por exemplo, em barragens de contenção de rejeitos. Diante disso, um projeto bem elaborado de barragens torna-se essencial, com o objetivo de garantir sua segurança, para proteger vidas, o meio ambiente e as construções em suas proximidades. Atualmente, fica evidente que os registros para garantir a segurança das barragens tem sido escasso, devido às constantes falhas registradas nos últimos tempos. Uma análise sobre a suscetibilidade à liquefação é de suma importância em estruturas constituídas de solos com potencial contrátil, arenosos, jovens e argilas sem cimentação, não plásticas. No que diz respeito ao estudo da mineração no Brasil, a liquefação estática tem sido um tema relevante, devido às características geotécnicas dos rejeitos granulares. Existem vários métodos disponíveis capazes de avaliar o potencial de liquefação do solo, no entanto, o ensaio de penetração do cone, com medições de poropressão (CPTu) é o mais utilizado no meio geotécnico, capaz de estimar as propriedades in-situ em rejeitos, o que inclui o parâmetro de estado (). O presente trabalho tem como objetivo avaliar e comparar as principais metodologias aplicando-as diretamente em ensaios CPTu, sendo elas: Been et al. (1987), Been et al. (1988), Plewes et al. (1992), Shuttle e Cunning (2007), Torre-Cruz (2021), Robertson (2010), Robertson (2016) e Robertson (2022).  Cinco sondagens (F01, F02, F03, F04 e F05) foram selecionas, provenientes do laudo de Morgenstern et al. (2016), que se referem à Barragem de rejeitos de Fundão, em Mariana (MG). O estudo demonstrou uma complexidade em obter resultados confiáveis e deixou claro as incertezas presentes nos métodos, principalmente quando se trata das variações na inclinação da linha de estado crítico (10) e das incertezas intrínsecas. É prudente, portanto, a avaliação a partir de mais de um método, visto a dispersão nos resultados encontrados.

As estruturas em concreto protendido ganham cada vez mais importância no cenário nacional devido aos seus vários benefícios e, dentre
eles, tem-se os grandes vãos, baixas interferências com vigas e a simplicidade na montagem de fôrma que esta metodologia proporciona.
Em edifícios altos é imprescindível a avaliação dos efeitos de segunda ordem devido aos esforços laterais do vento e, com isso, a correta
avaliação do comportamento estrutural no Estado Limite Último ganha mais preponderância. A realização de análises elásticas são mais
simples de serem executadas e requerem um esforço computacional mais baixo em comparação às análises não lineares, as quais, apesar
de serem mais precisas, exigem um esforço computacional muito mais alto. As análises não lineares também necessitam de um tempo muito
maior para a correta elaboração do modelo numérico. Portanto, a utilização de fatores que busquem aproximar as análises no Estado Limite
Último à situação real são vantajosas pois reduzem o custo computacional e facilitam a modelagem ao requererem apenas uma análise
elástica. Visto que as normas brasileiras não contemplam fatores redutores de rigidez para lajes lisa protendidas, faz-se necessário o estudo
para inclusão destes fatores. Assim, por meio do programa de análise em elementos finitos Abaqus (2014), foi realizado um ensaio numérico
onde se aplicaram elementos tridimensionais C3D8R e diversos contatos entre os elementos do modelo. A validação foi feita através do
ensaio experimental e posteriormente, desenvolveu-se um estudo paramétrico através de: curvas carga versus deslocamento, variação da
tensão ao longo dos fios de protensão e mapa de fissuração. Sendo assim, compararam-se os resultados com o fim de que pudesse ser
proposto uma forma mais sistemática de valores para fatores de lajes lisas protendidas no Estado Limite Último.

A modelagem e o cálculo das cargas dinâmicas oriundas da ação do vento sobre edifícios necessitam de metodologias de análise mais elaboradas, levando-se em conta a complexidade do fenômeno, além do caráter absolutamente randômico de seu comportamento. Por outro lado, a interação das ações do vento sobre as fachadas de edifícios é preponderante e deve ser considerada ainda na fase de projeto. Cabe destacar que nas últimas décadas, o projeto e construção de edifícios altos e esbeltos têm produzido sistemas estruturais flexíveis, com baixos valores de frequência natural e, portanto, mais suscetíveis a problemas de vibrações excessivas, quando submetidos a cargas de vento não determinísticas. Assim sendo, este trabalho de pesquisa visa estudar a resposta estrutural dinâmica e avaliar os níveis de conforto humano de um edifício de concreto armado composto por 40 pavimentos, com 150 m de altura, e dimensões de piso de 30 m por 60 m. A análise dinâmica do edifício submetido a cargas dinâmicas não determinísticas de vento é realizada com base no emprego do Método da Representação Espectral (MRE). Por outro lado, para respaldar esta investigação, os coeficientes de pressão do vento foram calculados de maneiras distintas, via utilização de técnicas de Dinâmica dos Fluidos Computacional (CFD: Computational Fluid Dynamics), a partir do uso de bases de dados aerodinâmicos das plataformas HFPI-TPU e DEDM-HR, com testes em túnel de vento; e, ainda, via emprego da norma brasileira de projeto NBR 6123. O modelo numérico desenvolvido para a análise dinâmica do edifício em estudo adota técnicas usuais de discretização presentes nas simulações do método dos elementos finitos e implementadas no programa ANSYS. As principais conclusões obtidas neste trabalho de pesquisa objetivam alertar os engenheiros civis para modificações importantes associadas à resposta dinâmica da estrutura, quando são utilizadas diferentes estratégias para avaliação dos coeficientes de pressão do vento sobre as fachadas de edifícios.

 

No Brasil é habitualmente considerado um país de baixo risco sísmico, pelo que os projetistas, em geral, ignoram a participação desta ação no dimensionamento estrutural de edifícios e pontes. Porém, o mapeamento do risco sísmico brasileiro mostra que na realidade existem zonas do território nacional onde o risco da ação sísmica é real. Há uma grande lacuna na norma brasileira no tocante à ação sísmica de pontes. De fato, apenas existe uma norma brasileira que aborda o tema do dimensionamento sísmico, e somente restrita a edifícios, a NBR15421 (2006). Apresentam-se as metodologias disponíveis para mensuração dos esforços sísmicos, nomeadamente os métodos: estático; modal; dinâmicos lineares; dinâmicos não lineares, como também a mensuração e verificação da performance estrutural (performance based design), estes últimos não referidos pela norma brasileira NBR15421 (2006), tão pouco se tratando de estruturas de pontes. Desenvolveu-se para uma ponte real as análises sísmicas propostas pela EN1998-2 (2005), para diferentes situações de sismicidade e verificou-se para cada caso a sua resistência sísmica em relação ao projeto executado. Com base nos resultados apresentados, fez-se a avaliação da performance estrutural e constatou-se a necessidade da consideração da ação sísmica em parte do território nacional, com a necessidade de confinamento e pormenorização adequada do concreto armado.

 

Nas últimas décadas, um avanço significativo das diferentes áreas do conhecimento, nomeadamente em relação à Engenharia Civil, tem possibilitado o desenvolvimento e execução de projetos estruturais inovadores e desafiadores, contemplando soluções arrojadas no sentido do atendimento aos projetos arquitetônicos, com base em critérios de economia, estabilidade e segurança. Deste modo, este conjunto de fatores tem corroborado para a concepção e projeto de estruturas cada vez mais leves e esbeltas, o que pode vir a gerar níveis preocupantes no que tange ao conforto humano dos usuários. Assim sendo, este trabalho de pesquisa tem por objetivo a análise de vibrações e avaliação do conforto humano de pisos mistos (aço-concreto) submetidos a carregamentos dinâmicos humanos rítmicos. De acordo com este contexto, objetivando representar as ações dinâmicas produzidas por pessoas praticando atividades humanas rítmicas foram utilizadas formulações matemáticas tradicionais para a representação das cargas dinâmicas (modelos de “força dura”); e, também, considerando-se o emprego de sistemas biodinâmicos, representados por meio de sistemas do tipo “massa-mola-amortecedor” com um grau de liberdade (S1GL), tendo em mente a incorporação das características dinâmicas dos indivíduos. O modelo estrutural investigado é representativo de um andar interior típico de um edifício comercial e corresponde a um piso misto (aço-concreto) com dimensões de 40m x 40m e área total de 1.600m2. A modelagem numérica da estrutura foi desenvolvida com base no emprego do programa de elementos finitos ANSYS. Inicialmente, mediante análise modal (autovalores e autovetores), verifica-se que frequência fundamental do piso encontra-se em faixa próxima aos harmônicos da frequência de excitação humana, indicando uma tendência de vibração excessiva e desconforto humano. Em seguida, com base na avaliação do comportamento dinâmico do piso em vibração forçada, foi verificado que os modelos de carregamento de “força-dura” produzem aumentos quantitativos significativos sobre a resposta do sistema (deslocamentos e acelerações), quando comparados aos modelos biodinâmicos. Por outro lado, cabe ressaltar que a modelagem das ações dinâmicas humanas, via emprego dos sistemas biodinâmicos, resultou em atenuações importantes sobre a resposta dinâmica do piso, conduzindo a resultados mais realistas. Finalmente, destaca-se que os resultados encontrados ao longo desta investigação indicam que a resposta dinâmica do piso misto (aço-concreto) analisado viola os critérios de projeto relativos ao conforto humano, para determinadas situações de carregamento.

 

Na prática geotécnica corrente, é comum a utilização do método de Equilíbrio Limite para análise da estabilidade de taludes e definição do fator de segurança do sistema analisado. Para os casos que envolvam solos de comportamento de “strain-softening”, caracterizados por uma curva tensão x deformação pico-residual, estas análises devem contemplar a ocorrência do mecanismo de ruptura progressiva, de forma a simular corretamente o comportamento real do solo. Porém, os métodos de equilíbrio limite convencionais ignoram este comportamento, tratando o solo como um material idealmente plástico, induzindo a ocorrência de uma ruptura simultânea e resultando em fatores de segurança irreais. Os parâmetros de resistência representativos devem ser intermediários aos parâmetros de pico e residuais, já que estes individualmente não caracterizam a resistência real deste tipo de solo. Atrelado a isto, há de se ressaltar a importância da correta determinação dos parâmetros não-drenados de resistência a serem utilizados nas análises de solos compressíveis, o que requer um conhecimento mais aprofundado sobre as influências que os processos de amostragem e de ensaios geram sobre os resultados obtidos, a fim de se eliminar e/ou reduzir as interferências causadas por estes processos. O trabalho busca incorporar propostas analíticas aos métodos convencionais de equilíbrio limite, a fim de se aderir aos seus cálculos o efeito de ruptura progressiva, obtendo-se resultados mais próximos ao que ocorre em campo. A partir desta abordagem, será feita uma retroanálise da ruptura do Aterro Experimental I de Sarapuí-RJ, apresentando resultados que contribuirão para o entendimento do comportamento da ruptura deste aterro e de suas características.

 

A vasta gama de possibilidades para aplicações com as mais variadas finalidades torna o aço inoxidável adequado ao emprego tanto do ponto de vista estrutural quanto arquitetônico. Entretanto, as características não lineares do aço inoxidável demandam regras diferenciadas no que tange o seu dimensionamento, especialmente nos fenômenos relacionados à instabilidade de colunas sob compressão axial. As cantoneiras em aço inoxidável são empregadas como componente estrutural em virtude da facilidade em executar ligações entre elementos e pela versatilidade na combinação das mesmas formando outras seções com maior capacidade de carga frente às solicitações. Com base tanto nas demandas citadas acima quanto na escassez de pesquisas relacionadas ao comportamento de cantoneiras duplas com seção cruciforme, surgiu a motivação para realizar o presente trabalho. Foram avaliadas colunas cruciformes, formadas por cantoneiras duplas de abas iguais laminadas a quente em aço inoxidável austenítico 304, com comprimentos de 900mm, 1400mm e 2200mm e seções transversais de 50,8×4,76mm, 50,8×6,35mm e 50,8×7,93mm. As dimensões das colunas foram escolhidas com base em análises de estabilidade elástica utilizando o software GBTul. Já a concepção dos modelos numéricos e as análises foram realizadas com o auxílio do software ANSYS 2019 R3. A partir dos resultados fornecidos pelas análises de flambagem elástica das colunas foram elaboradas as curvas de assinatura para colunas com seções transversais, formadas tanto por cantoneiras simples quanto cantoneiras duplas cruciformes (com e sem interconexões). As curvas de assinatura forneceram informações importantes acerca das cargas críticas de flambagem elástica, dos modos de flambagem das colunas e do comprimento da coluna onde ocorre a transição entre os modos de flambagem. Com base nos modos de flambagem obtidos, foram introduzidas as imperfeições geométricas iniciais nas colunas e realizadas as análises não lineares das mesmas. De posse dos resultados obtidos nas análises numéricas, foi possível observar o comportamento das colunas frente a introdução de interconexões entre as cantoneiras duplas. Foi observado que, além do aumento da capacidade resistente da coluna, o modo de flambagem ao qual a coluna esta suscetível, influenciou na determinação da distância entre interconexões, necessárias para promover o trabalho em conjunto da coluna. Ao comparar os resultados obtidos com as prescrições normativas do Eurocode 3, Parte 1-1 [25] e do AISC [24], foi possível observar que alguns valores normativos previstos são demasiadamente conservadores. Além disso, ambas as normas não apontam para a influência do modo de flambagem das colunas no que se refere a distância máxima entre as interconexões para promover o trabalho em conjunto da coluna. Por fim, foi proposta uma metodologia para determinar a distância ótima entre as interconexões das colunas duplas cruciformes com seção transversal formada por cantoneiras de abas iguais, com base nos modos de flambagem das colunas, capaz de promover o trabalho em conjunto da coluna.

 

Em problemas geometricamente não-lineares, utilizando do Método dos Elementos Finitos (MEF), a resposta da estrutura é diretamente influenciada pelo modo como a estrutura é discretizada pelo analista. Como forma de reduzir essa dependência, com o emprego de funções de interpolação correspondentes à solução homogênea da equação diferencial do problema, desenvolveu-se elementos com soluções “exatas” baseadas no equilíbrio de um elemento infinitesimal em sua configuração deformada. Diante disso, com a intenção de avaliar as formulações desenvolvidas na literatura, dois grandes objetivos foram propostos: o primeiro, realizar uma análise de segunda ordem de elementos de pórticos obtendo as trajetórias de equilíbrio pelo método simplificado dos Dois Ciclos Iterativos utilizando a formulação de elementos “exatos”; segundo, obter cargas críticas utilizando a expansão em série de Taylor da matriz de rigidez do elemento baseado na solução “exata”. Para a análise não-linear pelo Método dos Dois Ciclos Iterativos, além dos resultados na obtenção das curvas de equilíbrio, foi realizada uma comparação com os resultados de uma análise pelo programa Mastan2 v3.5 e com os resultados analíticos do problema. Já para a obtenção das cargas críticas, foi analisada a carga crítica de cada grau da expansão em série de Taylor comparando os resultados com a análise tradicional por MEF e com os resultados analíticos. Os resultados mostram que a análise não-linear pelo Método dos Dois Ciclos Iterativos utilizando o elemento baseado nas soluções “exatas” são idênticos aos resultados analíticos, e a combinação da utilização desse método simplificado com o elemento “exato” mostrou ser simples e eficiente comparado com os métodos numéricos “tradicionais”, que além dos resultados dependentes do grau de discretização na modelagem podem apresentar um maior esforço computacional para obtê-los. Já a obtenção das cargas críticas com a utilização da expansão em série de Taylor, apresentou resultados bastante confiáveis, muito próximos ao “exatos”, com a utilização da aproximação a partir de 5 termos para todos os elementos estudados.

 

A aplicação de técnicas construtivas envolvendo pisos mistosaço-concreto) leves tem crescido nos últimos anos devido à otimização com referência ao tempo de construção e a flexibilidade do uso final da estrutura. No entanto, esta prática apresenta como tendência a redução das frequências naturais e do amortecimento destes pisos, gerando preocupação quanto à resposta dinâmica quando estes são submetidos a atividades humanas rítmicas. Desta maneira, este trabalho de pesquisa visa analisar o comportamento estrutural dinâmico de um piso misto (aço-concreto) quando submetido a ações humanas rítmicas, além de avaliar o conforto humano dos ocupantes. Neste contexto, foram utilizadas formulações matemáticas tradicionais para a representação do carregamento dinâmico (modelos de “força dura”); e, também, considerando-se o emprego de sistemas biodinâmicos associados a sistemas do tipo “massa-mola-amortecedor”, com um grau de liberdade (S1GL), objetivando representar as ações dinâmicas produzidas por pessoas praticando atividades humanas rítmicas. O piso misto (aço-concreto) analisado neste estudo possui dimensões de 22,5 m x 14 m, totalizando 315 m² de área, sendo apoiado por treliças de aço do tipo joists com 14 m de vão, e as lajes de concreto possuem espessura de 6,5 cm. O modelo numérico em elementos finitos foi desenvolvido com base no emprego do programa computacional ANSYS. Inicialmente, mediante análise modal (autovalores e autovetores), verifica-se que frequência fundamental da estrutura encontra-se em faixa próxima aos harmônicos da frequência de excitação humana, indicando uma tendência de vibração excessiva e desconforto humano. Diante do exposto, ao avaliar o comportamento estrutural dinâmico do piso, percebe-se que os modelos de carregamento de “força-dura” produzem deslocamentos e acelerações bastante superiores àquelas encontradas com base no uso dos sistemas biodinâmicos, que incorporam as características dinâmicas dos indivíduos. Observa-se que em todas as situações de projeto investigadas, os limites para as acelerações de pico não foram atendidos, resultando em desconforto humano para os ocupantes. Por outro lado, mediante os critérios de projeto associados aos valores de RMS e VDV, ressalta-se que houve violação em todas as situações, exceto para o modelo matemático que considera o uso dos sistemas biodinâmicos, com atenuações importantes da resposta dinâmica do piso misto (aço-concreto).

 

Na análise estrutural, a hipótese de apoios indeslocáveis vem sendo utilizada há muitos anos devido a sua simplicidade, consistindo em se desprezar o efeito da deformação do solo. Ao sofrerem pequenos deslocamentos, as fundações podem dar origem à redistribuição de esforços na estrutura. Portanto, analisar a interação entre solo, fundação e estrutura é importante para o desenvolvimento de um bom projeto, sendo atualmente uma recomendação da norma brasileira para o projeto de fundações, em especial para algumas situações. O presente trabalho contempla a análise de um caso real de obra com acompanhamento dos recalques durante a construção. Trata-se do estudo da interação solo – estrutura (ISE) de um edifício de 21 pavimentos em concreto armado sobre fundações mistas, consistindo em sua grande maioria de sapatas. As análises incluem aspectos relevantes quanto à modelagem da estrutura e comportamento do solo. Foram realizadas comparações entre o modelo sem considerar ISE (apoios indeslocáveis) e considerando apoios elásticos. No caso dos apoios elásticos, foi adotado o método AOKI LOPES (1975) para estimativa de recalque e utilizado um processo iterativo para a ISE. Os resultados obtidos mostraram a redistribuição de esforços nos pilares, sendo observada uma tendência de alívio nos pilares centrais e aumento nos pilares periféricos. O Fator de recalque (AR) mostrou-se um parâmetro interessante para indicar a tendência de comportamento da transferência da carga dos pilares, como análise preliminar. Com relação aos recalques, nota-se a uniformização quando comparada às curvas de iso-recalque e a distribuição de recalque dos modelos com e sem ISE. É válido ressaltar que, pelo projeto contemplar fundações assentes muito próximas ao impenetrável à percussão, e o maciço ser composto de um material residual com resistência elevada, a Interação solo-estrutura mostrou-se evidente, porém não muito significativa. Por fim, o autor ressalta a importância das investigações e instrumentações serem executadas com qualidade, para que as análises possam, de fato, refletir a realidade.

 

O uso de estruturas metálicas, por meio de elementos fabricados a partir de seções tubulares, têm sido amplamente empregado. Isto se deve ao fato das seções tubulares terem propriedades mais vantajosas, como por exemplo: redução de custo devido ao menor emprego de material por conta de maior resistência dos tubos quando comparados com seções convencionais, apelo estético, facilidade de montagem, eficiência em estruturas mistas, entre outros benefícios. O cálculo da resistência dessas ligações é realizado pelas normas ABNT NBR 16239 e Eurocode 3, parte 1-8.As ligações T Bird Beak (BB) são um tipo mais recente de ligações, inicialmente empregadas em treliças com seção tubular quadrada (SHS – Square Hollow Section) com um ou dois de seus elementos rotacionados em 45°. De acordo com a possibilidade de rotação ou não dos perfis que compõem as ligações, esse modelo possui quatro tipos diferentes de configurações. As ligações Bird Beak podem ser utilizadas para novos modelos arquitetônicos, que podem promover obras mais ousadas e atraentes para seus usuários, sem que para isso, ocorra aumento de custos ou de peso do conjunto. Contudo, esses tipos de ligações são recentes, e necessitam de pesquisas com o intuito de obter um melhor entendimento do seu comportamento estrutural. Assim, um estudo experimental e numérico para as ligações-T tradicional e BBD (Bird beak diamond) foi realizado, comparando os resultados obtidos por meio do critério de deformação limite e com as fórmulas existentes na literatura técnica, onde se concluiu que os resultados comparados com a literatura não foram satisfatórios. Os modelos numéricos foram desenvolvidos por meio do programa de elementos finitos ABAQUS, onde as não-linearidades físicas e geométricas foram inseridas aos modelos com a finalidade de obter o exato comportamento quando comparados com o experimental. Ao final da dissertação são propostas novas equações para o cálculo da resistência das ligações BBD, onde os resultados obtidos apresentam boa correlação com os modelos experimentais e numéricos desenvolvidos. A proposta é analisada por meio de um estudo de confiabilidade que confirma a eficácia das fórmulas.

 

 (Versão digital final. Sem finalizacao do processo interno)

O comportamento dos painéis de alvenaria quando submetidos a carregamento lateral é uma das principais preocupações ao projetar tais estruturas e pode depender de vários parâmetros, tais como relação de aspecto do painel, propriedades do material compósito e intensidade da carga axial de compressão. Esse comportamento pode ser analisado por meio de ensaios experimentais e numéricos e geralmente é representado através da curva de carga versus deflexão lateral. Uma forma simples de obter esta curva numericamente é considerar a parede de alvenaria como um elemento unidimensional e realizar uma análise por elementos finitos. Com base em hipóteses relativas à distribuição de tensões normais, o painel pode ser discretizado em elementos de pórtico cujas propriedades geométricas são avaliadas a partir da parte da seção transversal submetida à compressão. No caso do emprego de elementos finitos de seções transversais constantes, bons resultados são obtidos apenas se a malha for densa o suficiente para representar com precisão a mudança nas propriedades geométricas da porção resistente da seção transversal do painel. Neste trabalho, um elemento finito com seção transversal variável é empregado, de forma que o número de elementos necessários para uma solução confiável possa ser reduzido. Os resultados do modelo proposto são comparados com resultados experimentais disponíveis na literatura para várias dimensões e propriedades de materiais. Também são realizadas comparações com modelos muito discretizados de elementos finitos de seção constante e elementos obtidos pelo método da série de potências.

 

As encostas rochosas, por sua natureza, são suscetíveis à movimentação de massas causada pelo intemperismo e/ou por influência humana, podendo desencadear a queda de blocos rochosos em grandes volumes e com velocidades elevadas, ocasionando desastres durante a sua trajetória. O objetivo deste trabalho é analisar e comparar, utilizando-se a teoria do Caos, que é um campo de estudo para sistemas complexos e de alta sensibilidade às condições iniciais, se a queda de blocos derivados de encostas rochosas com superfícies côncavas e/ou convexas apresentam uma resposta diferente de comportamento caótico diante da variação de coeficientes de restituição, com a aplicação no programa RocFall. Assim, como na pesquisa de Ignacio (2019), os resultados apresentaram que os movimentos de massa do tipo queda de blocos podem ser estudados pela Teoria do Caos. Mais especificamente, o comportamento fraco ou fortemente caótico está associado à forma geométrica das superfícies de encostas côncavas e/ou convexas estudadas. Os estudos sugerem ainda que, quanto menor o valor dos coeficientes de restituição normal e tangencial – e, por conseguinte, maior o amortecimento dos choques sucessivos dos blocos – para as quatro encostas rochosas de diferentes geometrias, maior é a probabilidade do número de blocos em cada posição final de chegada encosta abaixo convergir para a distribuição de probabilidade generalizada, dada pela expressão q-Exponencial Estendida. Com isso, admitiu-se que o comportamento fraco ou fortemente caótico não depende apenas do tipo de superfície das encostas, mas também dos valores dos coeficientes de restituição. Assim, espera-se que, com um maior entendimento sobre os parâmetros intrínsecos que interferem na movimentação das massas rochosas e como eles se manifestam, mais adequadas serão as técnicas de estabilização das encostas para cada cenário.

 

O presente trabalho objetiva investigar a ruptura de materiais geológicos, do ponto de vista das envoltórias de resistência, sob a ótica dos sistemas complexos. Mais precisamente, dados provenientes de ensaios de laboratório de cisalhamento direto e triaxiais em solos moles, areais e brita para lastro rodoviário (reforçados ou não com geogrelhas) são analisados, adotando-se expressões matemáticas em lei de potência, características de fenômenos críticos (fractais). Além disso, postula-se um critério de resistência unificado, aplicável aos resultados dos ensaios laboratoriais, para as diversas trajetórias de carregamentos e tipos de materiais analisados. A equação unificada, aplicada à análise da resistência de materiais rochosos e sedimentares, mostrou-se adequada aos materiais analisados, e seu coeficiente de correlação muito próximo da unidade. Comparada aos critérios empíricos propostos por diversos autores, a relação sugerida apresentou-se mais geral, produzindo resultados similares, quando aplicada aos materiais particulares estudados nesta pesquisa. Investigou-se, ainda, a melhor forma de se representar os resultados de resistência experimentais. Neste sentido, partindo-se da expressão proposta, chegou-se a uma representação mais simples e elementar dos resultados de resistência experimentais, bem como dos próprios critérios de resistência empíricos não lineares propostos na literatura técnica. Por conseguinte, a transformação de leis de resistência mecânica não-lineares em representações universais lineares mais simples deixa transparecer o enorme potencial de aplicação de expressões matemáticas em leis de potência a fenômenos de degradação e ruptura de geomateriais, os quais são regidos por uma estruturação dinâmica espaço-temporal invariante por escala (fractal). No entanto, devido ao número reduzido de resultados experimentais, não foi possível definir com exatidão o real significado físico dos parâmetros que compõem a equação proposta.

 

Deslizamento em encostas é um tema que desperta interesse e requer estudo e compreensão de seu mecanismo. O presente trabalho apresenta o estudo das causas de um caso real de escorregamento de grande volume, que mobilizou superfície de ruptura profunda, de aproximadamente 160 m de extensão. Tal fato acarretou o levantamento do bordo da rodovia RJ116, município de Macuco/RJ e o aparecimento de trincas de tração na parte alta da encosta. O principal objetivo da pesquisa foi compreender o mecanismo de ruptura ocorrido no campo, já que todos os indícios apontavam para uma ruptura localizada de pequeno volume. A encosta foi instrumentada com piezômetros e inclinômetros, que, mesmo após a ruptura, indicavam a tendência de movimentação contínua. Para tanto, retroanalisou-se o caso por meio de simulações numéricas em ambiente computacional, com base no Método de Equilíbrio Limite (MEL). Adicionalmente, o trabalho analisa soluções de estabilização tais como trincheiras drenantes na base do talude e a inclusão de elementos tais como grampos e tirantes. Após avaliação dos resultados e do comportamento das simulações referentes às diferentes estruturas de contenção, verificou-se a possibilidade de manter a estabilidade do trecho em questão por meio de execução de trincheiras drenantes na base do talude.

 

Mesmo nas argilas moles de sensitividade baixa a média, o efeito de amolecimento, com queda da resistência pós-pico (“strain softening”), é um fenômeno que deve ser considerado nas análises de estabilidade quando esses solos são identificados no campo. Análises que não contemplem esses efeitos podem ser consideradas irrealistas e significativamente contrárias à segurança, pois admitem que a resistência máxima da argila permanece constante após iniciada a plastificação e, dessa forma, fornecem fatores de segurança sempre maiores que nas análises com “strain softening”, onde nos elementos já plastificados a resistência máxima é reduzida a um valor residual. Nesta Dissertação, estuda-se simultaneamente o efeito tridimensional, de sensibilidade e de ruptura de um depósito aluvionar às margens do Rio Amazonas, com sensibilidade baixa à média, aferida a partir de ensaios de piezocone e de palheta. Demonstra-se que as análises de estabilidade pelo método dos elementos finitos podem incorporar o efeito de queda de resistência pós-pico (“strain-softening) pelo modelo constitutivo de Mohr-Coulomb estendido ao conceito de sensibilidade equivalente, como introduzido por Pereira Pinto (2017). Os fatores de segurança obtidos nas análises por elementos finitos com aplicação do conceito de sensibilidade equivalente permitem obter um fator de correção equivalente à correção de Bjerrum, representado nesta Dissertação pela razão entre o fator de segurança obtido com queda de resistência pós-pico (“strain softening”) e com resistência constante (análises clássicas). A ruptura do depósito investigado foi verificada por simulações tridimensionais utilizando o método de equilíbrio limite (programa Slide 3) e o método dos elementos finitos (programa RS3). As análises clássicas (sem “strain softening”) indicaram fatores de segurança sempre superiores à unidade, sem justificar, portanto, a ruptura ocorrida. Por outro lado, ao se incluir o efeito de “strain softening”, os fatores de segurança reduziram significativamente, com valores ligeiramente superiores à unidade sem qualquer sobrecarga externa, e a valores unitários pela ação de uma sobrecarga que avançou inadvertidamente por uma região de sedimento mole.

 

Os perfis tubulares têm se destacado cada vez mais na engenharia civil por apresentarem inúmeros benefícios. Apresentam geometria mais econômica, área superficial menor que favorece a proteção contra a corrosão, são mais leves em relação a outros perfis com mesma resistência, além de resistirem bem à compressão, torção, flexão e esforços combinados. Por estes motivos são comumente empregados em colunas, treliças e elementos de contraventamento. Quando perfis tubulares são utilizados, torna-se necessário avaliar a resistência das ligações entre estes, tendo em vista que são regiões que podem falhar por vários mecanismos distintos. Muitos estudos foram desenvolvidos a respeito de ligações tubulares em aço carbono, mas quase não existe material que fale sobre ligações tubulares em aço inoxidável de forma satisfatória. Com isso, o presente trabalho busca desenvolver analiticamente uma formulação que forneça a resistência de ligações T entre perfis tubulares em aço inoxidável com o banzo carregado axialmente. Para tanto são determinados os campos de tensão exatos das paredes laterais do banzo e posteriormente, aplica-se o princípio da energia de Ritz. Para a validação dos dados obtidos pela formulação em questão, são desenvolvidos modelos numéricos calibrados com avaliações experimentais. Tais modelos também deram origem a um estudo paramétrico que ajudou a compreender o comportamento da ligação quando esta é submetida a esforços axiais no banzo. Percebeu-se que quando o banzo está comprimido há uma queda na resistência da ligação, mas quando o banzo está tracionado, há um pequeno acréscimo da resistência até certo nível, a partir do qual a resistência decresce. Para a consideração dessas variações na resistência da ligação, é proposto um fator de correção que leva em consideração o nível de carga aplicada ao banzo e a esbeltez da parede lateral do mesmo. Por fim, os resultados obtidos pelo método proposto são comparados aos resultados numéricos, assim como aos resultados oriundos das principais normas vigentes e da literatura. Observou-se então que tanto o método proposto quanto a NBR 16239 apresentaram resultados satisfatórios, enquanto os demais resultados foram, no geral, muito conservadores.

 

A utilização do aço na engenharia civil vem se tornando cada vez mais comum, tendo maior número de pesquisas acadêmicas relacionados à análise do comportamento do aço carbono como elemento estrutural sob efeitos de esforços axiais, de flexão e torção. Particularmente, o aço inoxidável vem se desenvolvendo nos últimos anos, sendo necessário o aprofundamento da investigação para melhoria do seu dimensionamento já presente em algumas normas vigentes. A utilização de aço inoxidável apresenta melhores resultados quanto a resistência à corrosão, durabilidade, resistência mecânica e às altas temperaturas, além do seu menor custo de manutenção, quando comparado ao aço carbono. Porém, o seu dimensionamento atual se mostra limitante, sendo utilizado como principal padrão no Brasil o Eurocode 3, Parte 1-4 que foi desenvolvido por meio de correlações com os parâmetros de dimensionamento do aço carbono, não sendo representado todo o acréscimo de resistência possível devido ao seu encruamento. Algumas propostas mais recentes estão sendo desenvolvidas e aplicadas como, por exemplo, o Método da Resistência Contínua (Continuous Strength Method – CSM) que busca obter um resultado melhor considerando o encruamento do aço no seu cálculo. Para entender melhor o comportamento desse material e verificar as eficiências desses dimensionamentos, esse trabalho analisa por meio de modelos de elementos finitos desenvolvido no programa ANSYS, a verificação do comportamento de perfis C, sujeitos a flexão sob a menor inércia, considerando duas situações, com sua alma sob tração e sob compressão, de forma a estudar as diferenças de ambas as aplicações. Estes resultados foram comparados aos resultados dos dimensionamentos teóricos encontrados, sendo possível observar o conservadorismo da resistência do aço inoxidável em ambos os casos, mas principalmente no Eurocode. Essas análises e resultados foram usadas para o desenvolvimento de algumas propostas para alterações de ambos os dimensionamentos de forma a otimizá-los. A escolha desse perfil se dá devido a não existência de dupla simetria de sua seção transversal, característica pouco comum na maior parte dos estudos presentes na área de estruturas.

 

Aterros sobre solos moles, hoje têm se tornado muito usuais devido a indisponibilidade cada vez maior de solos que apresentem boa resistência, principalmente em locais de grande concentração industrial e urbana. Entretanto a avaliação da estabilidade desses aterros está condicionada a escolha dos parâmetros de resistência, ao tipo de análise adotada e ao modelo escolhido. Estudos realizados na região de Sarapuí evidenciam que a escolha dos parâmetros de um material compressível é variável e de difícil obtenção de acordo com o tipo de ensaio, metodologia aplicada e as diferentes condições de realização dos ensaios. Além disso está associado também questões de correção, como a proposta por Ladd e Lambe (1964), e avaliação de sensibilidade desses parâmetros. Já quando se avalia o tipo de análise adotada, em termos de tensões totais ou em termos de tensões efetivas, ambos geram resultados diferentes de fator de segurança, o que causa uma ambiguidade na determinação de critérios de projeto. Essas avaliações de estabilidade exigem cuidado na adoção dos parâmetros geotécnicos, utilização da ferramenta para avaliação do resultado e conhecimento das metodologias de cálculo adotadas por cada modelo de resistência. Há hoje, cada vez mais programas comerciais disponíveis de análise geotécnica que realizam cálculos complexos em que a entrada de dados dos parâmetros é simplificada, cabendo ao projetista a escolha dos mesmos. No presente trabalho a retroanalise da estabilidade do Aterro Experimental I foi realizada através de modelagem numérica em elementos finitos. As análises em tensões totais forneceram fatores de segurança próximo a unidade considerando ganhos de resistência não drenada devido a dissipação dos excessos de poropressão durante a construção. O perfil teve como base os ensaios de palheta de campo que desconsideram o atrito solo-haste. Já as análises em termos efetivos também justificaram a ruptura para uma altura de aterro de 2,5 m e permitiram confrontar as estimativas de perfis de poropressão com os resultados registrados em campo. Esse trabalho evidenciou que a retroanalise em termos de tensões totais e efetivas forneceram resultados compatíveis com a condição de ruptura do aterro. Cabe ressaltar a importância da escolha dos parâmetros de análise na confiabilidade de qualquer análise numérica.

 

No litoral brasileiro, normalmente, encontram-se solos moles muito compressíveis, localizados em depósitos sedimentares. Antunes (1978), em pesquisas sobre as características geológicas, pedológicas e mineralógicas das argilas do Rio de Janeiro, contribuiu para o conhecimento sobre a origem dos sedimentos argilosos do Brasil, informando que estes originaram-se a partir de sedimentos fluviomarinhos do período quaternário. Massad (1988) ressaltou que os depósitos moles foram formados devido às oscilações do nível do mar durante o Quaternário, onde os movimentos de elevações e abaixamento do nível do mar podem estar associados às formações das baixadas brasileiras e as características de pré adensamento de alguns depósitos quaternários. Diversos estudos têm sido realizados nos solos moles das regiões brasileiras e o objetivo principal da dissertação é contribuir com informações sobre as características dos depósitos de argilas mole de algumas regiões brasileiras como Porto Alegre, Rio de Janeiro, Santos, Cubatão, Belém e São Luís. Serão apresentados neste trabalho as características geotécnicas destes depósitos, obtidas com os resultados dos ensaios de caracterização, adensamento e os ensaios de campo, como palheta e piezocone. Foi possível estimar algumas propriedades geotécnicas a partir dos ensaios realizados, como resistência ao cisalhamento não-drenada, razão de sobreadensamento e coeficientes de adensamento.

 

A energia eólica tem ocupado papel de grande relevância perante a matriz energética brasileira, principalmente no que refere à região nordeste do Brasil. Neste sentido, uma grande evolução tecnológica tem ocorrido ao longo de várias décadas, transformando moinhos de ventos antigos em torres extremamente altas e esbeltas, com capacidade para gerar grandes quantidades de energia. De acordo com este contexto, este trabalho e pesquisa objetiva o estudo da resposta estrutural dinâmica e avaliação da fadiga estrutural (vida útil) de uma torre de aço para suporte de uma turbina eólica modelo MM92 da Repower. Deste modo, um modelo numérico foi desenvolvido para a representação da torre investigada, via emprego do software ANSYS, por meio do emprego do Método dos Elementos Finitos (MEF). A análise dinâmica não determinística foi realizada com base na utilização de diversos perfis de velocidades de vento, na faixa de 10 m/s (36 km/h) até 70 m/s (252 km/h), objetivando obter a resposta estrutural dinâmica da estrutura, em termos dos valores máximos dos deslocamentos translacionais horizontais e tensões de Von Mises. Tendo em mente os resultados das análises, os valores das tensões, calculados na fase permanente da resposta do sistema, serão utilizados para as análises de fadiga visando à determinação da vida útil da torre. Com base nos resultados alcançados ao longo da pesquisa, cabe ressaltar que até a velocidade de 35 m/s (126 km/h), o projeto estrutural da torre atende aos limites de projeto estabelecidos para os valores máximos dos deslocamentos translacionais horizontais e para a vida útil da torre, tornando o projeto da torre eólica investigada viável em todo o território brasileiro. Todavia, ?destaca-se que para velocidades de vento mais elevadas (> 35 m/s [126 km/h]), o projeto da torre precisa ser reavaliado, especialmente no tocante a fadiga estrutural.

 

As pontes rodoviárias geralmente são sujeitas a ações dinâmicas aleatórias, de magnitude variável, devido ao tráfego dos comboios de veículos ao longo de sua vida útil. Essas ações dinâmicas podem gerar a nucleação de fraturas ou mesmo sua propagação sobre a estrutura da obra de arte. Por outro lado, a condição deteriorada da superfície da estrada do pavimento asfáltico, ao longo do tempo, representa uma questão fundamental para o aumento significativo dos valores de deslocamentos e tensões das pontes rodoviárias. Assim sendo, este trabalho de pesquisa tem como objetivo desenvolver uma metodologia de análise para avaliação da resposta estrutural dinâmica de obras de arte rodoviárias (deslocamentos e tensões), considerando-se para tal as ações dinâmicas decorrentes de comboios de veículos trafegando sobre o pavimento irregular, além da inclusão do efeito da deterioração progressiva da superfície da pista ao longo do tempo. Deste modo, o modelo estrutural investigado corresponde a uma ponte rodoviária mista (aço-concreto) típica, com eixo reto e vão de 40m. O sistema estrutural é constituído por quatro vigas mistas e uma laje de concreto com 0,225 m de espessura. Nesta investigação, o modelo numérico desenvolvido para a análise estrutural dinâmica da ponte foi desenvolvido com base no emprego do programa ANSYS, por meio do uso de técnicas usuais de discretização, via emprego do Método dos Elementos Finitos. As conclusões deste trabalho de pesquisa indicam que a resposta estrutural dinâmica da ponte analisada, em termos dos valores dos deslocamentos e tensões, e considerando-se o pavimento da pista deteriorado, sofreu amplificações importantes, da ordem de 3 a 5 vezes mais elevadas, quando comparadas a situação do pavimento sem deterioração. Tal fato significa que o efeito da deterioração progressiva do pavimento da pista, ao longo do tempo, é relevante e precisa ser considerado na análise dinâmica e projeto de sistemas estruturais pontes rodoviárias.

 

A otimização baseada em confiabilidade (RBDO) permite projetar estruturas cada vez mais leves, com menor custo, sem comprometer sua segurança. Apesar de custo e segurança serem objetivos a princípio discordantes na engenharia civil, a RBDO busca garantir essas condições simultaneamente. Para isso é necessário levar em consideração, durante o processo de otimização, além das restrições geométricas e mecânicas, a probabilidade de falha (índice de confiabilidade) que a estrutura a ser otimizada deverá possuir. Este trabalho aborda um estudo de RBDO, considerando os modos de falha por flambagem e por escoamento, em treliças planas formadas por barras tubulares, possuindo como função objetivo o volume final da estrutura (a ser minimizado), considerando o diâmetro externo e a espessura das barras tubulares como variáveis a serem otimizadas. A otimização foi realizada a partir de algoritmos genéticos (GA) com o auxílio do software Matlab. O modelo possui restrições lineares (relação geométrica entre diâmetro e espessura, visando garantir estabilidade local, segundo a NBR 8800) e não-lineares (tensão, deslocamento e índice de confiabilidade). Foram utilizadas treliças isostáticas de modo a que existam expressões analíticas fechadas para tensões e deslocamentos. O estudo da confiabilidade foi realizado via método de transformação FORM, com a probabilidade de falha ou índice de confiabilidade sendo previamente definida. O principal objetivo deste trabalho é verificar qual é a influência dos modos de falha de uma estrutura no resultado da otimização, ou seja, no volume final da estrutura otimizada, quando considerados de forma independente e de forma simultânea.

 

O uso e estudo de elementos mistos em sistemas estruturais tem tido um aumento significativo, em especial, as soluções que usam o aço inoxidável. A utilização desses elementos pode otimizar o consumo dos materiais, principalmente, quando incluem materiais de alto valor de aquisição, como o aço inoxidável. O aço inoxidável quando incorporado a uma estrutura traz consigo diversas vantagens, tais como, elevada resistência à corrosão, durabilidade e elevado apelo estético. O objeto deste trabalho é o estudo de colunas curtas do tipo CFDST (Concrete Filled Double Skin Tubular). Esta é uma tipologia de coluna mista formada por dois perfis tubulares concêntricos, sendo o espaço entre os dois perfis preenchido com concreto. Neste trabalho, foi adotado o aço inoxidável no tubo externo, que quando utilizado nessa posição, confere ao elemento suas vantagens, e ainda, influencia o seu comportamento mecânico. Pretende-se com este trabalho, investigar a validade da proposta de dimensionamento existente, corroborar para a elaboração de uma norma nacional sobre esta tipologia, e assim, incentivar sua utilização tipologia no Brasil. O seu comportamento estrutural foi avaliado a partir de uma análise paramétrica através do programa de elementos finitos Abaqus 6.14 com auxílio de uma rotina codificada em Python. Este modelo foi inicialmente validado com resultados de ensaios experimentais. Foi estudada a influência de parâmetros geométricos e dos materiais tais como: espessura e diâmetro dos tubos, tensão de escoamento do aço carbono, resistência característica do concreto e diferente ligas comerciais de aço inoxidável, incluindo ligas de aço inoxidável austenítico, ferrítico e duplex. Os resultados da análise paramétrica mostraram que o comportamento mecânico e a resistência da coluna tem grande influência dos parâmetros adotados para o tubo externo de aço inoxidável e o núcleo de concreto. Quando foi estudada a variação dos parâmetros referentes ao tubo interno, verificou-se que este possui pouca contribuição na resistência, como esperado inicialmente. Os resultados obtidos foram compatíveis com a formulação de dimensionamento existente, contudo para uma melhor representação do espaço amostral, foi proposto um ajuste na fórmula estudada.

Os solos finos geram dificuldades para o erguimento de construções acima deles devido, em alguns casos, a uma baixa resistência ao cisalhamento não drenada. Neste cenário, uma solução para a viabilização destas construções é a realização de alguma das técnicas de construção sobre solos moles. Dentre essas técnicas, uma da que se destaca pela sua simplicidade de execução é o aterro reforçado com geossintético. O dimensionamento do reforço de geossintético pode ser elaborado segundo as premissas de Rowe e Soderman (1985), Hinehberger e Rowe (2003) ou Futai (2010), entre outros. Foi elaborado uma atualização do ábaco proposto por Rowe e Soderman (1985), de obtenção da deformação permissível de um reforço geossintético, com o auxílio dos programas Slide e RS2. O ábaco também foi modelado para algumas situações peculiares dos solos brasileiros. O presente trabalho realizou uma análise sobre o trabalho de Bergado et al. (1994), obtendo as deformações permissíveis de acordo com os métodos estabelecidos por Rowe e Soderman (1985) e Futai (2010). Com o ábaco do presente trabalho, foram realizadas novas análises para Bergado et al. (1994) e Magnani (2006), obtendo-se deformações permissíveis. Estas deformações permissíveis foram comparadas com as obtidas pelo método de Rowe e Soderman (1985) e com as medições de campo, sendo obtidas razoáveis proximidades entre os resultados. Ademais, o presente trabalho analisou o fator de correção de Bjerrum (1973) obtido por Bergado et al. (1994), encontrando um valor diferente dos autores. Também foram realizadas análises nos softwares Slide e PLAXIS com o objetivo de comparar com os dados de campo e a modelagem numérica realizada anteriormente por Bergado et al. (2002). Os valores de deslocamentos verticais entre as análises numéricas são semelhantes até a ruptura do aterro, porém não foi possível a comparação com os dados de campo. A mesma dificuldade ocorreu para os dados de deslocamento horizontal, que foram superiores aos obtidos na modelagem de 2002. As curvas de excesso de poropressão possuem o mesmo formato das de campo, porém com uma magnitude um pouco superior. As avaliações nos softwares puderam indicar as prováveis alturas de ruptura dos aterros construídos por Bergado et al. (1994).

 

O reparo e o reforço estrutural estão cada vez mais presentes no cotidiano das empresas de construção civil. Isso ocorre em função do envelhecimento das construções, da falta de manutenção, da deterioração precoce, além da necessidade de readequação de estruturas já existentes visando a novos usos. Para que o reparo e o reforço garantam a integridade e a durabilidade das estruturas, alguns aspectos devem ser atendidos. A identificação correta das causas dos danos levará à definição da solução ideal para cada caso, a aplicação da boa técnica, nomeadamente no que diz respeito à remoção dos materiais deteriorados, à limpeza do substrato e a perfeita ligação entre o material novo e o material a ser reparado são fundamentais para o êxito do trabalho. Neste quesito, a garantia da aderência da ligação é um fator fundamental para a realização de um bom trabalho. Deste modo, o objetivo desta dissertação é verificar a resistência da aderência entre o concreto e sete tipos de argamassas sendo quatro tipos de argamassas industriais e três tipos de argamassas desenvolvidas em laboratório, avaliando-se a eficiência de ponte de aderência e a influência do tempo, através de ensaios de longa duração. Foram realizadas análises comparativas desses parâmetros entre si, com os resultados de outros pesquisadores e com limites normativos. Foram realizados dois tipos de ensaios: ensaio de cisalhamento oblíquo, de acordo com a norma britânica e ensaio de arrancamento de pastilhas, de acordo com as normas brasileiras e europeias. Após as análises, verificou-se que a utilização de ponte de aderência e o envelhecimento dos materiais traduzem um aumento da resistência de aderência do reparo.

 

(Versão digital final. Sem finalizacao do processo interno devido a AEDA-031/REITORIA/2020)

 

O presente trabalho tem como objetivo a avaliação do comportamento de uma obra de escavação em solo residual e rocha basáltica, com cerca de 30 m de profundidade, localizada no município de Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul. Dentre as técnicas utilizadas, destacam-se a execução de solo grampeado de caráter provisório e o reforço de muro de arrimo com tirantes provisórios e perfis metálicos. O monitoramento geotécnico, a fim de se detectar possíveis movimentações, se deu a partir da leitura de inclinômetros, marcos superficiais e tell tales instalados nos taludes a serem contidos. Durante a obra foram realizados ensaios de cisalhamento direto e de arrancamento de grampos afim de obter e aferir os parâmetros geotécnicos adotados. O método executivo utilizado e o monitoramento geotécnico permitiram um ritmo contínuo das obras e o acompanhamento do desempenho durante todas as fases de implantação. Os resultados da instrumentação serão comparados com a previsão das deformações utilizando o “software” Plaxis, que utiliza o método dos elementos finitos para simulação do comportamento do maciço e avaliação das deformações ao longo do tempo. A instrumentação do trabalho apresentou grande razoabilidade de resultados e eficiência dos instrumentos, além disso, o software foi capaz de alcançar resultados muito significativos e próximos da realidade em uma simulação de longo prazo, apresentando um bom comportamento em relação à magnitude das deformações e sua distribuição em relação ao tempo.

 

A previsão do comportamento da estrutura, incluindo padrões de fissuração até sua falha completa, e a identificação dos mecanismos de falha através de métodos matemáticos ou computacionais é uma grande ferramenta para se aliar aos resultados experimentais, uma vez que reduz o número de corpos-de-prova necessários a serem ensaiados e o número de pontos a serem instrumentados, gerando uma redução de custos e prazos. Para construções em alvenaria, que é um material compósito anisotrópico com comportamento não linear devido às suas juntas, este ganho de eficiência é fundamental, uma vez que sua resposta depende das cargas aplicadas, do tamanho do painel e da presença de aberturas, tornando cada ensaio válido para uma situação única. A modelagem de um painel de alvenaria difere sensivelmente do processo de modelagem de estruturas em concreto ou em aço devido às características do material. O material compósito possui propriedades de falha distintas dependendo da direção analisada por conta da presença das juntas que agem como planos de fraqueza, tornando a modelagem numérica complexa. São várias as estratégias e abordagens que visam simplificar o processo para a elaboração de modelos viáveis e funcionais. Nos programas de elementos finitos, nota-se principalmente uma limitação na representação do comportamento constitutivo dos elementos que representam essas interfaces bloco-argamassa. O objetivo deste trabalho é implementar modelos constitutivos para simular o comportamento das juntas de alvenaria pela abordagem da micromodelagem simplificada no programa computacional de elementos finitos ANSYS. A partir da programação em FORTRAN de subrotinas do usuário para elementos de interface do ANSYS, dois modelos foram implementados: Mohr-Coulomb com superfície de cut-off na tração e superfície de fechamento na compressão com encruamento; e Mohr-Coulomb com superfície de cut-off na tração e dano. Finalmente, exemplos de validação e aplicação são apresentados.

 

O aço inoxidável vem sendo cada vez mais aplicado na construção civil por conta de suas características de resistência mecânica, resistência à corrosão e durabilidade, além do seu grande apelo estético e sustentável. Contudo, as normas vigentes para esse material são obtidas por analogias com o comportamento do aço carbono, e não costumam diferenciar as diversas classes de aço inoxidável existentes. Essa dissertação apresenta uma extensa análise numérica de cantoneiras de abas iguais laminadas a quente submetidas à compressão axial, considerando os aços austenítico, duplex e ferrítico. Essa escolha foi feita porque as colunas com seção em cantoneira podem desenvolver flambagem por flexão na menor inércia ou flambagem por flexo-torção, fenômeno que mescla dois modos de flambagem puros (torção e flexão na maior inércia). Na análise numérica, foram consideradas curvas de caracterização obtidas experimentalmente em outros trabalhos, e a calibração foi feita através da introdução de imperfeições geométricas ao modelo, buscando obter valores condizentes com ensaios já realizados. Na sequência, o programa de análise foi expandido e considerou 31 seções comerciais. Ao comparar os resultados da análise numérica com as prescrições normativas, concluiu-se que os procedimentos vigentes, em geral, subestimavam as resistências de cantoneiras em aços austenítico e duplex, mas superestimavam a resistência da seções em aço ferrítico. Por essa razão, foram propostas alternativas de dimensionamento para cada tipo de aço inoxidável, considerando os dois modos de flambagem pertinentes. A proposta sugerida apresentou resultados muito próximos dos obtidos nos modelos numéricos e corrigiu alguns problemas que as formulações vigentes apresentavam, tanto para a flambagem por flexão quanto para a flambagem por flexo-torção.

 

Rupturas causadas por liquefação apresentam consequências catastróficas por todo mundo, tais rupturas são mais presentes no setor de mineração, nas barragens de rejeito, motivo pelo qual o fenômeno vem sendo amplamente estudado, sendo A essa ruptura caracterizada por perda abrupta de resistência não drenada, observada após pico. Vários são os pré-requisitos para que um determinado solo seja susceptível a liquefação, entre eles destacam-se: curva granulométrica, densidade relativa, grau de saturação, etc. Nos casos onde foram relatados a ocorrência do citado fenômeno, o solo passa por uma mudança de estado físico, passando a se comportar como um líquido. Contudo, existe certa ambiguidade na definição de liquefação. Para alguns autores, como por exemplo, Jeferries & Been e Slade, a liquefação se caracteriza pelo processo de amolecimento (strain softening) do solo, ou seja, pela ruptura frágil que o solo apresenta, enquanto que outros autores, Carrera et al., tratam como liquefação materiais que têm sua resistência ao cisalhamento igualadas a zero, sendo essa observada por meio de trajetórias de tensão que se encaminham para o local onde p e q são iguais a zero, denominando esta de liquefação verdadeira. A presente pesquisa apresenta uma série de resultados de ensaios triaxiais não drenados em uma areia uniforme e com grãos arredondados do Rio de Janeiro. Foram estudas também diversas metodologias de moldagem de corpos de prova de ensaios triaxiais, além da determinação da linha de estado crítico e da linha de ruptura por liquefação (flow liquefaction line) As trajetórias de tensões obtidas de vários resultados de ensaios triaxiais não drenados apresentam tendência de liquefação verdadeira, como o observado por Carrera et al para rejeitos oriundos da mina de Stava – Itália, apesar de algumas trajetórias não atingirem a origem de seus respectivos eixos. Contudo, não foi observada uma única linha de ruptura por liquefação.

 

Os maciços rochosos fraturados apresentam diversos mecanismos de instabilização, dentre os quais os de queda de blocos acham-se entre os mais frequentes. Este tipo de instabilização em geral ocorre repentinamente e sem sinais prévios de movimentação, podendo abranger grandes volumes de material e implicar elevados valores de energia e velocidade. O grande desenvolvimento e aperfeiçoamento das metodologias de estudo deste fenômeno tem proporcionado um grande avanço em sua compreensão e análise, possibilitando projetos de mitigação mais condizentes com a realidade do problema. No entanto, ainda se faz necessário um entendimento maior a respeito dos fatores que regem estes eventos e como estes se manifestam. Assim, Ignacio (2019) propôs e aplicou em sua pesquisa uma nova perspectiva de análise utilizando a teoria do caos e obtendo resultados satisfatórios. Esta teoria trata de sistemas dinâmicos não lineares, que apresentam como característica principal a sua grande sensibilidade às condições iniciais, o que os torna não previsíveis na prática a longo prazo, aspecto este marcante no fenômeno de queda de blocos. Esta dissertação objetiva estudar o fenômeno de queda de blocos utilizando-se a teoria do caos. Mais precisamente, propõe analisar a influência da geometria dos blocos e das encostas rochosas na dinâmica de queda, a partir das distribuições de probabilidade de localização final dos blocos, obtidas por meio de simulações numéricas para dezesseis cenários propostos. Cada cenário é formado pela combinação de quatro perfis transversais distintos e quatro geometrias de blocos diferentes, que variam em formatos hexagonais e quadrangulares, com bordas arredondadas e vivas. Os resultados mostraram que a teoria do caos pode ser utilizada na análise da queda de blocos, sugerindo, entretanto, que o estabelecimento de um comportamento dinâmico fraca ou fortemente caótico não depende somente do tipo de geometria apresentada pelo perfil das encostas e dos blocos instáveis, mas também de sua interação mútua, o que confere a este fenômeno aspectos de difícil apreensão.

 

É por meio dos portos onde se realizam grande parte das exportações e importações de bens e mercadorias no Brasil. É o aumento da demanda de trocas comerciais que desperta a necessidade de modernização de um porto, permitindo que embarcações maiores e equipamentos de transbordo de maior capacidade sejam capazes de operar em tal instalação portuária. Portanto, visando acomodar navios maiores, o presente trabalho trata do reforço estrutural do Cais da Gamboa, no Porto do Rio de Janeiro (RJ), visando o aprofundamento do berço de atracação do terminal de passageiros. O Cais da Gamboa é uma estrutura histórica dentro do contexto da cidade do Rio de Janeiro e, o projeto de reforço visa manter íntegra a mesma, além de não alterar a lâmina d’água da baía de Guanabara, patrimônio ambiental. Esta dissertação busca trazer todo o histórico do Cais e mostrar a evolução da administração do Porto do Rio de Janeiro ao longo dos anos. Este trabalho apresenta suscintamente uma revisão bibliográfica sobre investigações geotecnológicas no âmbito das obras marítimas, seus aspectos geotécnicos, além de tratar brevemente do processo de dragagem. A modelagem do projeto de reforço estrutural foi realizada no software RS2, com o uso do Método dos Elementos Finitos. Com isso, analisou-se a estabilidade do Cais através do Fator de Segurança da obra, observando resultados como tensões máximas cisalhantes desenvolvidas pelo maciço e deslocamento total da estrutura.

 

(Versão digital final. Sem finalizacao do processo interno)

 

Esta dissertação trata de um estudo realizado a partir de ensaios CPT e SPT executados em verticais próximas de um banco de dados selecionado e organizado pelo autor. O objetivo principal foi a comparação entre os modelos de cálculo da resistência estática mobilizada durante a penetração do amostrador propostos por Schmertmann (1979) e por Aoki (2013). A proposta mais antiga foi desenvolvida a partir da premissa do não embuchamento do amostrador durante sua penetração, enquanto a segunda proposta considerou a possibilidade do embuchamento. Aoki (2013) considerou a possibilidade de melhor interpretação do ensaio quando do conhecimento do comprimento da bucha, após o término da penetração de 45 cm. O autor procurou adaptar as equações de Schmertmann (1979) às dimensões do amostrador utilizado no Brasil, e para diferentes comprimentos de bucha, de forma a permitir sua comparação direta com o modelo de cálculo de Aoki (2013). Através da aplicação dos dois modelos de cálculo, a resistência de ponta unitária e o atrito lateral unitário no amostrador foram estimados e comparados aos resultados de qc e fs do CPT, em diferentes abordagens. O autor ilustrou as interpretações para uma obra específica, indicando os demais casos estudados em documentos em anexo. O autor observou que a partir da proposta de Schmertmann (1979) e de Aoki (2013) foi possível obter valores próximos aos experimentais. Os resultados indicam a maior possibilidade de embuchamento do amostrador nos solos argilosos, reproduzido nas análises por Aoki (2013), e não embuchamento nos solos arenosos, reproduzido nas hipóteses de Schmertmann (1979) e Aoki (2013). Confirmou-se as expectativas de Aoki (2013), de que a medida do comprimento da bucha ao final da penetração traz novas possibilidades de interpretação do ensaio SPT como uma ferramenta ainda mais útil ao projetista de fundações. Os resultados revelam que a execução do ensaio de forma cuidadosa, com resultados mais acurados e equipes qualificadas, bem como a instrumentação da energia que chega ao amostrador, são fundamentais à melhor interpretação do ensaio, permitindo a contínua evolução de sua interpretação.

 

O setor da construção civil é uns dos setores responsáveis por gerar grandes vultos de resíduos e estes, por muitas vezes, são descartados em locais inapropriados. Por outro lado, esta atividade econômica requer uma grande quantidade de matéria prima natural. Perante a necessidade em reduzir os impactos causados pelo setor da construção, inúmeros pesquisadores têm estudado o comportamento do concreto quando este é confeccionado com substituição do agregado natural pelo agregado reciclado. As pesquisas realizadas pela comunidade acadêmica apontam viabilidade na utilização de agregados para fins estruturais porem, pouco se conhece sobre o comportamento desses concretos a longo prazo. Fenômenos como a retração e a fluência fazem com que as estruturas em concreto permaneçam se deformando ao longo do tempo. A retração, ao contrário da fluência, faz com que os elementos se deformem ainda que estes não se encontrem submetidos a esforços e tal fato pode levar ao surgimento de fissuras de retração e, consequentemente, vir comprometer a durabilidade da estrutura. Assim, diante da importância deste fenômeno, este trabalho tem como objetivo determinar experimentalmente a magnitude da retração autógenas e da retração por secagem em concretos convencionais e em concretos confeccionados com agregados graúdos reciclados. Diante disto, para estudar a retração, foram conduzidos ensaios experimentais de acordo com a ABNT NM 131 (1997) e ASTM 157 (2017) em concretos de 60MPa produzidos com cimento CP 2 e CP 5, concreto de 40MPa confeccionado com cimento CP 2 e com fator água/cimento de 0,35 e 0,38 e em traço de concreto de classe de resistência de 40MPa com substituição do agregado graúdo natural por 25%, 50%, 75% e 100% de agregado reciclado de concreto (RCA) e de tijolo (RMA). Os valores obtidos experimentalmente foram comparados com os valores indicados para concretos convencionais pela norma ABNT NBR 6118 (2014) e pelos códigos CEB-fip (2010), Eurocode 2 (2004) e ACI209.2R (2008). Posteriormente, os valores de retração obtidos nos concretos com reciclados foram comparados com os valores encontrados por Lye et al. (2016) e Silva et al. (2015) e estes também foram confrontados com as equações indicadas por Lye et al. (2016). Foi conduzida uma análise de covariância (ANOVA) dos grupos de concretos produzidos a fim de identificar as diferenças entre os concretos produzidos. Nesta análise foi possível identificar que, por exemplo, a resistência do concreto e o tipo de cimento influenciaram na magnitude da retração, já a variação do fator água cimento de 0,35 para 0,38 não apresentou diferença significativa. Por meio de regressões lineares, obteve-se equações que melhor representem a retração autógena e por secagem dos concretos produzidos. Estas equações foram utilizadas para determinar a abertura de fissuras em lajes de concreto através das equações propostas por Gilbert e Nejadi (2004). Através desta análise, foi possível verificar a diferença entre as fissuras que ocorrerão em lajes de concretos confeccionadas com concretos convencionais e quando estas forem produzidas com concretos com reciclado além de identificar a quantidade ideal de taxa de armadura a ser adotada nestas lajes para combater a retração.

 

(Versão digital final. Sem finalizacao do processo interno devido a AEDA-031/REITORIA/2020)

 

Apesar de ainda apresentar um custo direto maior em relação às estruturas usuais de concreto armado ou em aço carbono e mistas, nota-se um crescimento nos últimos anos no uso de aço inoxidável em elementos estruturais. Este crescimento justifica-se pela sua durabilidade, proporcionada pela alta resistência à corrosão, e consequente redução nos custos de manutenção, alto impacto estético conferido às construções além de elevada resistência ao fogo. Buscando melhorar a relação custo-benefício, estudos vêm sendo realizados para aperfeiçoar as metodologias de dimensionamento existentes. Os códigos normativos atuais ainda tratam o comportamento de estruturas em aço inoxidável de forma similar aos elementos em aço carbono, usualmente subestimando os valores de resistência desses elementos. Este trabalho tem como objetivo, o estudo do comportamento de colunas, vigas-coluna e vigas em seções tubulares circulares de paredes finas em aço inoxidável austenítico SAE-AISI A554 304. Isto foi feito através de um programa experimental e modelagem numérica através do Método dos Elementos Finitos. Os ensaios experimentais foram executados com seções CHS 101,6×1,5 e CHS 127,0×2,0 submetidas a compressão e flexão. Os modelos numéricos foram gerados através do software ABAQUS 6.14 e foram calibrados por meio dos resultados obtidos pelo programa experimental realizado no Laboratório de Engenharia Civil (LEC) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Estes resultados foram comparados o método de dimensionamento presente no Eurocode 3 Parte 1-4 e com o Método da Resistência Contínua modificado.

 

A alta concentração de solos moles na região litorânea do oeste da cidade do Rio de Janeiro devido a sua localização geográfica e formação característica, aliada à necessidade cada vez maior de ocupação de novos espaços na cidade diante do aumento da população, induz aos engenheiros a implementação de técnicas que visam o melhoramento desses solos. Diante desse cenário, uma técnica brasileira – geoenrijecimento com CPR Grouting – foi desenvolvida se tornando uma opção viável, mais rápida e funcional, que possibilita construções sobre solos inabitáveis anteriormente. Por ser relativamente recente, poucos estudos existem sobre a técnica. O objetivo deste trabalho é avaliar a confiabilidade dos parâmetros obtidos pelo modelo geotécnico equivalente proposto por Rodrigues et. al. (2017), a partir de dados oriundos de monitoramento de obras que aplicaram o geoenrijecimento combinado com a utilização de drenos verticais. A partir desse modelo, obtêm-se os parâmetros do solo homogeneizado pós geoenrijecimento com CPR-Grouting, o que proporcionará uma melhor previsão para projetos futuros que utilizem a técnica.

 

As estruturas de concreto pré-moldado apresentam facilidade de execução e de controle de qualidade de seus elementos. Porém, as ligações entre os elementos são o principal problema. A máxima economia do projeto ocorre quando os elementos de ligação possuem desempenho adequado e fácil montagem. Uma forma de ligação entre pilar e viga é através de consolo de concreto. Consolos são elementos estruturais que se projetam de pilares para servir de apoio para outras partes da estrutura. O trabalho apresenta uma revisão bibliográfica acerca dos principais conceitos para a pesquisa. Possui um programa experimental no qual foram ensaiados seis modelos em escala reduzida com consolos curtos de mesma dimensão. Sendo eles quatro com taxas de armadura iguais, variando o método de ancoragem do tirante e a forma de concretagem do consolo, monolíticos e em etapa posterior à execução do pilar. Foram confeccionados ainda outros dois modelos com taxa de armadura do pilar superior e taxa de armadura de costura inferior aos mencionados anteriormente. Estes dois modelos foram monolíticos e a forma de ancoragem do tirante foi variada. Dessa forma, foi possível avaliar o comportamento e a segurança de consolos curtos monolíticos e concretados em etapa posterior à execução do pilar com estribos na região de ancoragem. Foram avaliadas a influência de estribos na região de ancoragem, a contribuição da armadura de costura na resistência dos consolos e a influência da variação das taxas de armadura do pilar e do consolo no modo de ruptura. Todos os modelos se comportaram de forma dúctil e apresentaram cargas últimas maiores que o previsto por normas. Os modelos de cálculo teóricos forneceram valores mais próximos aos observados experimentalmente devido ao fato deles considerarem a contribuição da armadura de costura no cálculo da resistência. Constatou-se que os estribos na região de ancoragem contribuíram para aumentar a rigidez do consolo e que o modo de ruptura do modelo depende do trabalho em conjunto entre a armadura do consolo e do pilar.

 

 (Versão digital final. Sem finalizacao do processo interno devido a AEDA-031/REITORIA/2020)

 

Estruturas com perfis tubulares vêm ganhando cada vez mais espaço no ramo da construção civil. Possuem grandes vantagens em relação a outros tipos de seções transversais, tais como, boa trabalhabilidade na execução de estruturas treliçadas, bom comportamento estrutural quando submetidas à torção, eficiência na utilização em estruturas mistas funcionando como forma para o concreto, e ainda, a sua aparência atrativa que vem sendo apreciada pelos engenheiros e arquitetos. Em alguns lugares do mundo, este tipo de estrutura já é utilizada desde o século passado. Porém, o seu uso em larga escala é relativamente recente no Brasil. De fato, as novas tecnologias na indústria siderúrgica facilitaram os processos e aumentaram a produção deste tipo de perfil, além do desenvolvimento de uma norma brasileira para estruturas tubulares. Neste sentido, este trabalho objetiva o estudo do comportamento estrutural de ligações tubulares do tipo T com reforço de chapa. É investigado a influência da espessura da chapa de reforço, uma vez que as normas EN1993- 1-8, ABNT NBR 16.239 desconsideram a contribuição da espessura da parede do banzo no dimensionamento de ligações tubulares do tipo T com reforço de chapa. Assim, foi realizado um programa experimental para avaliar o comportamento estrutural com perfis tubulares quadrado consistindo em cinco protótipos divididos em dois grupos. Em cada um destes grupos, há a variação da espessura da chapa de reforço. Além destes ensaios, foi desenvolvido um modelo numérico com base no método dos elementos finitos utilizando o programa Abaqus. Os modelos numéricos foram validados confrontando os seus resultados com aqueles observados nos ensaios experimentais. Em detalhes, foram avaliadas as tensões de von Mises e o modo de falha dos casos investigados. Com isso, foi possível investigar um número maior de casos através de uma análise paramétrica. Com relação aos resultados encontrados, foi observado que o aumento da espessura da chapa de reforço proporciona uma maior capacidade de carga à ligação. Este aumento de resistência é não linear, e ainda, observou-se um limite específico para o acréscimo de resistência com o aumento da espessura relacionado a contribuição de outro modo de falha. Por fim, os resultados observados foram comparados com as formulações preconizadas por normas e por outros estudos, concluindo que, as normas possuem valores muito conservadores e as formulações propostas por outros autores apresentam valores mais próximos aos resultados, porém com valores distintos. Sendo assim, uma nova proposta de formulação para a determinação da resistência das ligações foi desenvolvida, e ainda, uma modificação na avaliação da capacidade da ligação é proposta com base na análise de dois modos de falha.

 

 (Versão digital final. Sem finalizacao do processo interno devido a AEDA-031/REITORIA/2020)

 

A busca por parâmetros confiáveis para uma correta análise é um dos grandes desafios encontrados na área de projetos para obras de Engenharia Geotécnica. Fatores como o alto custo de ensaios mais precisos, a demora em obter resultados, e os erros praticados durante as investigações resultam em complicações técnicas para os profissionais projetistas. O objetivo da presente dissertação é apresentar um método de obtenção de parâmetros para ensaios pressiométricos a partir de análises numéricas auxiliadas por uma rotina específica em linguagem Python. Será realizada uma retroanálise de um caso onde foram obtidos parâmetros de projeto a partir de resultados de PMT (Pressuremeter Menard Test), e comparados com parâmetros resultantes da rotina Python, valores decorrentes de instrumentação geotécnica e de projeto anteriormente executado. Esta metodologia visa implementar uma escolha rápida e eficaz para a utilização de dados provenientes de ensaios pressiométricos. Através da reprodução automatizada de inúmeras simulações numéricas do referido ensaio com diferentes parâmetros, será possível a escolha dos valores que levam à curva mais fiel à obtida no ensaio de campo. A rotina, inicialmente desenvolvida pelo Eng. Francisco Santos Marques, foi aprimorada e passou por uma série de modificações para funcionar corretamente no estudo de caso, e com a versão atualizada do software Plaxis 2019. Os resultados encontrados foram utilizados em modelo 3D da obra de reservatório de amortecimento pluvial da Praça Varnhagem, onde foi possível analisar a confiabilidade da proposta através das medidas nas paredes diafragma do local.

 

Quedas de blocos são fenômenos comuns em encostas rochosas e trazem enorme risco para pessoas e estruturas físicas ao redor. Consistem em movimentos de massa que, de forma geral, ocorrem de forma instantânea e sem muitos sinais de alerta. Em função de geralmente estarem associadas a altas elevações, as energias envolvidas neste tipo de evento são elevadas, resultantes de altas componentes de energia potencial que são transferidas para componentes cinética e rotacional. Nos casos em que o peso dos blocos é elevado, a efetividade do evento torna-se evidente, com devastação de áreas naturais, colapso de estruturas de engenharia e perdas humanas. Nos casos mais extremos, o impacto de um grande bloco pode resultar em grandes explosões de rocha (Rock Blasting), resultando na fragmentação do bloco, que pode chegar ao nível de pulverização, aumentando potencialmente o caráter destrutivo do evento e a devastação resultante. Estas explosões podem atingir níveis tão altos de energia quanto qualquer bomba não nuclear existente, causando ondas de choque que podem, eventualmente, decepar árvores a centenas de metros e devastar espaços inteiros. Não há muitas pesquisas disponíveis a respeito do Rock Blasting proveniente de queda de blocos, portanto muito ainda precisa ser desenvolvido acerca deste tema. A presente pesquisa busca reproduzir e compreender um fenômeno semelhante ocorrido no distrito de Banquete, Bom Jardim-RJ, que resultou na devastação total de área Florestal no topo de um talude, com pulverização de fragmentos de tamanhos variados arremessados a distâncias variáveis, cujo ápice do alcance registrado foi a cobertura de uma residência distante horizontalmente cerca de 430m do ponto de impacto. Conseguiu-se, através do programa Meshlab, a criação de um perfil muito próximo da realidade para efetiva análise da queda de bloco no programa RocFall v 6.0. Várias hipóteses foram simuladas a fim de melhor entender o comportamento cinético e cinemático do processo de queda e, através de uma sequência lógica de pesquisa, uma reprodução do fenômeno foi obtida, respeitando e criando soluções para as limitações do programa que trabalha bem a queda de blocos, porém nada resolve na questão da fragmentação do bloco. A conclusão do trabalho identifica as causas que podem ter conjuntamente potencializado o Rock Blasting e propõe ações mitigatórias para novas ocorrências.

 

Análises numéricas baseadas em simulações com o Método dos Elementos Finitos (MEF) estão presentes na rotina diária de diversos centros acadêmicos e escritórios de cálculo estrutural ao redor do mundo. Entretanto, um dos problemas para sua utilização é a confiabilidade da análise MEF, de modo a representar a resposta correta do modelo estrutural analisado. Atualmente, é possível utilizar os resultados de monitorações experimentais dinâmicas para verificar e calibrar o modelo numérico e, consequentemente, melhorar a precisão dos resultados. A monitoração experimental dinâmica permite a extração dos parâmetros modais (frequências naturais, modos de vibração e coeficientes de amortecimento). Estes parâmetros são relevantes para a correta caracterização do modelo investigado e são calculados com base nos sinais experimentais de aceleração, velocidade e deslocamento. Desta forma, neste trabalho, os parâmetros modais relacionados a um edifício em aço de cinco andares construído em laboratório são determinados com base na monitoração experimental dinâmica. Em sequência, visando validar as equações de movimento do sistema estrutural, tanto a resposta dinâmica numérica quanto a resposta dinâmica experimental do modelo físico foram correlacionadas. Os resultados são apresentados em termos de parâmetros modais, funções de resposta de frequência (FRFs) e respostas no domínio do tempo. Estes parâmetros modais foram usados para calibrar o modelo numérico em MEF. O modelo computacional proposto, desenvolvido para a análise dinâmica do edifício investigado, adotou as técnicas usuais de refinamento de malha presentes em simulações MEF implementadas no software ANSYS. Neste modelo numérico, os pilares foram representados por elementos de viga tridimensionais, onde os efeitos de flexão e torção são considerados. As lajes foram representadas por elementos de placa. Em seguida, uma análise de vibração forçada foi realizada, e a resposta dinâmica do modelo numérico, quando sujeito a cargas de impacto, foi comparada com a resposta estrutural real do modelo de edifício em aço. As conclusões enfatizam a relevância da monitoração experimental dinâmica para caracterizar e ajustar o modelo MEF desenvolvido do edifício investigado. A boa correspondência entre os resultados numéricos e os resultados experimentais podem corroborar o uso adequado do modelo numérico desenvolvido.

 

Os deslizamentos de encostas são muito frequentes no Rio de Janeiro, principalmente no verão, onde as condições meteorológicas são influenciadas pelo calor e alta umidade do ar, contribuindo para formação de áreas de instabilidade ocasionando chuva forte. Na cidade do Rio de Janeiro o Maciço da Tijuca, Maciço da Pedra Branca e Maciço Gericinó-Mendanha constituem o compartimento de maciços litorâneos, sendo que o Maciço da Tijuca ocupa a posição central do município. Este maciço é formado por uma grande variedade de serras e por morros, alguns com vertentes para a Zona Norte, outras para o centro da cidade, outras em direção ao Oceano Atlântico e outras para a Baixada de Jacarepaguá. Em algumas regiões do Maciço da Tijuca, devido à morfologia, características geológicas, urbanização e a alta densidade populacional ocorrem muitos movimentos de massa que são agravados principalmente em dias de chuva intensa. Neste contexto é necessário ter o conhecimento prévio de onde são as áreas mais afetadas, para que medidas mitigadoras sejam empregadas, e muitas tragédias não voltem a acontecer. Neste trabalho, foram gerados mapas de susceptibilidade ao risco geotécnico utilizando o modelo de atualização bayesiana de probabilidades, a partir da análise de laudos de ocorrências geotécnicas no período de 2010 a 2015 e aplicando a metodologia proposta por Lima (2017), onde todas as ocorrências são classificadas de acordo com a gravidade do movimento de massa associados ao correspondente risco de susceptibilidade. Definidos os valores das probabilidades em cada grupo de pontos, torna-se possível a modelagem dos mapas de com a utilização de ferramenta de interpolação geoestatística do software ArcGIS.

 

(Versão digital final. Sem finalizacao do processo interno devido a AEDA-031/REITORIA/2020)

 

O emprego de perfis tubulares em estruturas de aço tem se destacado, em especial, devido à sua elevada resistência à compressão, torção, flexão e esforços combinados. Por este motivo, são amplamente empregados em colunas, treliças e em elementos de contraventamento. Diante deste contexto, faz-se necessário o desenvolvimento de estudos na área, visando alcançar a melhor forma de aplicação destes perfis em elementos estruturais. Um aspecto particularmente importante no dimensionamento de estruturas tubulares é a verificação das ligações, visto que estes pontos estão suscetíveis a diferentes mecanismos de falha. Tradicionalmente, esta verificação é realizada com base em normas de projeto, tais como o Eurocode 3, parte 1-8, ABNT NBR 16239 e ISO 14346. O presente trabalho tem como objetivo desenvolver um estudo numérico para avaliar a influência de tensões normais no banzo para a resistência de ligações soldadas entre perfis SHS e RHS, com ? igual a 1. Uma análise paramétrica foi conduzida com modelos em elementos finitos elaborados no programa ANSYS, e calibrados com ensaios experimentais. Nesta análise, foram simuladas ligações T com e sem reforço de chapa lateral, considerando diferentes níveis de esforço axial no banzo. A partir dos resultados obtidos, observou-se que a introdução de esforços axiais de compressão e de tração no banzo resulta em uma diminuição da resistência da ligação. Uma redução maior da resistência última é observada para ligações com o banzo sujeito a tração. Com a inclusão de reforço de chapa lateral verificou-se uma diminuição menor da resistência última, indicando que o efeito da introdução de tensões normais no banzo é mais expressivo em ligações não reforçadas do que em ligações reforçadas. Por fim, concluiu-se que a função Qf da norma ISO 14346 foi a que apresentou os melhores resultados, porém forneceu valores contra a segurança para uma ampla gama de ligações sujeitas a tensões de tração no banzo, e por esta razão, dois novos métodos são propostos fornecendo resultados satisfatórios.

 

Os softwares geotécnicos de elementos finitos e de equilíbrio limite de maior alcance acadêmico e profissional, desenvolvidos sob a premissa de pequenas deformações, consideram que os geosintéticos são estruturas capazes de absorver apenas forças axiais de tração. As principais consequências dessa hipótese simplificadora são a previsão de esforços axiais inferiores aos reais e o desconhecimento das forças cortantes, decorrentes de efeitos de segunda ordem, que são negligenciados nesses softwares. Na presente Dissertação, objetiva-se a quantificação conceitual das forças cortantes nos geosintéticos, através de análises de deformação plana por elementos finitos.

 

(Versão digital final. Sem finalizacao do processo interno devido a AEDA-031/REITORIA/2020)

 

Dos novos materiais para a construção civil que vêm sendo estudados em substituição ao aço, estão as barras não-metálicas. Algumas vantagens no seu uso podem ser citadas como: menor espessura de cobrimento, alta resistência à tração, baixo peso específico e não condutividades elétrica, térmica e magnética. Este trabalho analisa experimentalmente a aderência entre barras de GFRP e concreto através de ensaios de arrancamento (Pull Out), adaptados das normas canadense e americana, CSA S806-12 e ACI 440.3R-04. Foram considerados como parâmetros o comprimento de aderência e o diâmetro da barra. Os resultados experimentais foram comparados com formulações normativas propostas e resultados de pesquisas anteriores da literatura técnica. Nos modelos experimentais foi possível analisar a influência das propriedades mecânicas das barras, assim como as tensões de aderência, a influência do diâmetro, modos de ruptura do ensaio e o coeficiente de conformação superficial. Foram ensaiados cinco diâmetros diferentes, e três comprimentos de aderência, totalizando cinquenta e sete modelos neste estudo.

O aço inoxidável vem sendo utilizado em vários tipos de construções devido às suas características de alta resistência à corrosão, durabilidade, aparência e estética. As atuais normas de projeto de aço inoxidável são em grande parte baseadas em analogias assumidas com o comportamento de estruturas de aço carbono. Além disso, apesar da simplicidade geométrica, colunas caracterizadas por seção transversal em cantoneira de abas iguais apresentam um comportamento estrutural bastante particular, pois exibem interação entre os modos globais de flambagem por flexo-torção e flexão no eixo de menor inércia. O fenômeno da flambagem por flexo-torção está associado a um platô aproximadamente horizontal da carga crítica axial em função do comprimento e apresenta um comportamento distinto dentro desse platô. Portanto, verifica-se que, tanto o material quanto a seção transversal cantoneira, evidenciam lacunas que precisam ser preenchidas. Esta dissertação apresenta uma análise experimental e numérica de colunas com seção transversal em cantoneiras de abas compactas iguais laminadas a quente de aço inoxidável austenítico 304 com condição de contorno biengastada. O programa experimental foi conduzido em três seções transversais, como: L76x76x6,4; L64x64x4,8 e L64x64x6,4, onde os comprimentos das colunas para cada seção foram definidos através de uma análise de flambagem elástica por meio da curva de assinatura obtida pelo programa GBTul. O material das cantoneiras foi caracterizado tanto em compressão quanto em tração e, posteriormente, foram medidas as imperfeições geométricas iniciais globais (flexão nos eixos de maior e menor inércia) e locais (rotação) ao longo do comprimento dos protótipos. Os resultados obtidos experimentalmente, incluem os modos de falhas, as trajetórias de equilíbrio e as forças resistentes das colunas. Isto foi seguido por uma análise numérica paramétrica, onde os modelos em elementos finitos desenvolvidos no programa ANSYS 17.0 foram validados com os ensaios experimentais a fim de gerar um escopo de resultados mais amplo abrangendo outros comprimentos e outras seções transversais utilizadas usualmente. Comparando-se os resultados da análise numérica com a curva de dimensionamento do Eurocode 3 – Parte 1.4 e com o método desenvolvido por Dinis e Camotim (2015) baseado no Método da Resistência Direta, concluiu-se que os procedimentos de dimensionamento atuais não proporcionam um dimensionamento adequado e, por isso, nesta dissertação é proposto um método de dimensionamento modificado baseado no procedimento utilizado pelo Eurocode 3 – Parte 1.4.

 

O comportamento de estruturas de engenharia civil submetidas a cargas explosivas tem sido estudado com bastante frequência nos últimos anos e muito esforço está sendo aplicado para idealizar curvas e prever as correspondentes respostas estruturais e dos elementos protetivos. O fenômeno de explosão resulta em uma abrupta onda de sobrepressão seguida por uma onda de sobpressão, sendo esta última normalmente desconsiderada na maioria das análises estruturais. Contudo, recentes estudos alegam que a fase de sucção é primordial, de forma que pode levar a deslocamentos e tensões substancialmente maiores. No caso de ondas de explosão de alta intensidade, elementos estruturais experimentam grandes deslocamentos, de forma que efeitos de segunda ordem devem ser incluídos nas análises. Este trabalho investiga a influência da não linearidade na análise dinâmica de placas submetidas a cargas explosivas. O problema foi modelado considerando um sistema não linear de um grau de liberdade com a aplicação da teoria de von Karman para grandes deflexões, considerando as configurações de apoio simples e engastado. Uma carga de pressão uniforme é simulada para os casos de ondas sobrepressão e sobpressão com a implementação da equação de Friedlander e a aproximação cúbica, respectivamente. O método de Runge-Kutta é usado para solucionar as equações de movimento para deslocamentos. Soluções numéricas para deslocamentos e tensões foram obtidas para placas com variadas configurações geométricas e ondas de explosão, tornando possível mensurar a influência da pressão de sucção e do efeito de membrana na resposta.

 

A técnica de tratamento Consolidação Profunda Radial Grouting (CPR Grouting) vem sendo utilizada em muitos locais onde se encontram espessas camadas de solos compressíveis. A técnica consiste no bombeamento de argamassa sob elevadas pressões, associados com geodrenos previamente instalados. O tratamento induz o solo a perder água e volume resultando em um aumento de resistência e de rigidez do conjunto (solo mole e bulbos de argamassa). Com o intuito de se conhecer melhor o comportamento da técnica, é apresentado um equipamento triaxial modificado que permite que sejam realizadas expansões de cavidade através de uma agulha de injeção posicionada no interior do corpo de prova. Na extremidade desta agulha, é colocada uma membrana de látex que é expandida com volumes variados, simulando a formação dos bulbos que ocorrem em campo. Os ensaios realizados nesta pesquisa foram chamados de ensaios de Expansão de Membrana Interna e buscaram simular o comportamento da técnica em condições laboratoriais. Os resultados permitiram investigar e quantificar alguns parâmetros utilizados na metodologia de cálculo do CPR Grouting, como, por exemplo, o potencial de adensamento (), além de avaliar a geração das poropressões, as pressões de expansão e as deformações pós tratamento. Notou-se que é extremamente dependente da razão de substituição () e também das características do solo ensaiado. Os ensaios reproduziram satisfatoriamente o comportamento da técnica tornando-se, assim, um novo dispositivo para engenheiros geotécnicos, principalmente para aqueles que estão envolvidos no melhoramento de solos moles.

 

De modo geral, as turbinas eólicas modernas são projetadas para operarem com uma velocidade de rotação dentro de uma faixa de projeto delimitada. Acima da velocidade máxima de operação, as pás se alinham com o vento, reduzindo o torque gerado pelas forças aerodinâmicas, e o rotor deixa de girar, permanecendo a turbina nesta condição durante a ocorrência de ventos extremos. Todavia, a instabilidade aeroelástica de turbinas eólicas estacionadas (com velocidade de rotação nula) ainda é um fenômeno relativamente pouco estudado, tendo alcançado relevância significativa nos últimos tempos, a partir do aumento das dimensões das turbinas eólicas. Diante deste contexto, o objetivo deste trabalho de pesquisa é o de investigar os principais fatores que influenciam o comportamento dinâmico aeroelástico de turbinas eólicas estacionadas. Assim sendo, utiliza-se o simulador aeroelástico FAST v8, desenvolvido pelo U.S. Department of Energy’s (DOE) National Renewable Energy Laboratory (NREL). A resposta estrutural dinâmica da turbina eólica conceitual NREL 5-MW é simulada com base em diversas situações distintas, identificando-se as configurações instáveis por meio da análise não linear dos deslocamentos no domínio do tempo. Em seguida, as instabilidades identificadas são analisadas no domínio da frequência, correlacionando-se os valores das frequências naturais predominantes encontradas com os modos naturais de vibração da estrutura. Os resultados obtidos ao longo do estudo indicam com clareza que as instabilidades observadas ao longo das análises são governadas pelos modos naturais da estrutura caracterizados pela vibração das pás na direção edgewise (paralela às cordas das seções transversais das pás), sendo o amortecimento sensível à posição das pás e à direção do vento incidente.

 

Atualmente, o projeto e construção de edifícios altos e esbeltos para atender ao crescimento populacional; e, bem como, a redução dos espaços livres disponíveis em áreas urbanas, têm originado problemas estruturais relevantes causados pela ação dinâmica do vento e associados a vibrações excessivas desconforto humano. A utilização de testes experimentais em túneis de vento ainda é a forma mais confiável de avaliar a resposta estrutural dinâmica de edifícios. Todavia, tal metodologia pode gerar atrasos; e, ainda, crescimento dos custos na fase de projeto de um edifício. Uma alternativa viável ao emprego dos túneis de vento diz respeito à utilização de metodologias simplificadas para se estimar a resposta dinâmica. Dentro deste contexto, destacam-se os métodos normativos que geralmente são baseados no Método do Fator de Rajada de Davenport, os Métodos Assistidos por Base de Dados, que consideram os dados obtidos em ensaios realizados em túneis de vento, considerando-se geometrias padronizadas para o cálculo das respostas, e o Método da Representação Espectral, utilizado para gerar o carregamento de vento considerando suas características dinâmicas. Assim sendo, objetivando comparar as metodologias mencionadas, esta dissertação de mestrado considera quatro modelos de edificações, a saber: modelo estrutural com dimensões de 40 m x 40 m x 200 m e características fornecidas no trabalho de pesquisa de Zhou (2003), modelo de edifício com dimensões de 30 m x 45 m x 180 m e características fornecidas no artigo de Holmes (2014); além de dois modelos estruturais de edifícios reais, sendo a primeira edificação em concreto armado com dimensões de 20,24 m x 29,19 m e altura total da ordem de 70 m e o segundo edifício em estrutura mista aço-concreto com dimensões de 32 m x 45 m e altura total de 172,80 m. No que tange aos edifícios reais foi realizada uma avaliação do conforto humano com base na ISO 10137 (2007). As comparações foram realizadas com as normas de projeto americana (ASCE 7, 2010), japonesa (AIJ, 2004), australiana (AS/NZS, 2011) e brasileira (NBR 6123, 1988), com base nos valores máximos das acelerações longitudinal e transversal, respectivamente, calculadas no topo dos edifícios. O Método da Representação Espectral foi empregado tendo como base a metodologia proposta por Shinozuka (1987) e para os Métodos Assistidos por Base de Dados foram utilizados a plataforma VORTEX Winds e os dados da Universidade Politécnica de Tóquio, Japão. Dentre as normas e métodos considerados, a norma de projeto americana e o Método da Representação Espectral apresentaram valores das acelerações longitudinais mais próximos daqueles obtidos nos testes experimentais realizados em túneis de vento. Considerando-se os valores das acelerações transversais, nenhuma norma de projeto estudada apresentou resultados satisfatórios. Contudo, apesar das diferenças encontradas, esta investigação mostra com clareza a importância da consideração da aceleração transversal que, na maioria dos casos, apresentou valor mais elevado ao longo das análises, sendo, portanto, um fator determinante para a verificação do conforto humano.

 

A área da Geotecnia traz consigo uma gama de incertezas, em especial no que se refere às fundações. Boa parte dessas incertezas são inerentes às condições de carregamentos, às nuances dos processos executivos, poucos dados de investigação e variabilidade do solo, entre tantas outras que têm influência direta na estimativa de capacidade de carga das mesmas. Em se tratando de fundações solicitadas a esforços não convencionais à construção civil, como é o caso de esforços de tração, tais incertezas se tornam ainda maiores, visto que se soma às condições já citadas também a dubiedade e adaptabilidade de métodos de cálculo. O objetivo da presente dissertação é a apresentação de diferentes métodos de cálculo para fundações solicitadas à tração e o estudo da confiabilidade desses métodos através de análises conceituais e técnicas. Neste processo, será utilizado conceito da Teoria Bayesiana, utilizando dados de ensaios de provas de carga à tração para atualização dos resultados esperados. Várias observações poderão ser realizadas acerca dos métodos disponíveis para cálculo de fundações sob efeito de tração e a aplicabilidade dos métodos desenvolvidos em cada tipo de fundação, seja direta, indireta e/ou indireta com alargamento de base. A continuidade deste estudo pode direcionar ao aprimoramento das metodologias de cálculo para estimativa de capacidade de carga de diferentes tipos de fundação solicitadas a esforços de tração levando, consequentemente, à maior segurança do empreendimento.

 

Na elaboração de um projeto de fundações, o engenheiro geotécnico se depara com inúmeras incertezas, em consequência da variabilidade espacial dos parâmetros geotécnicos, limitação dos modelos de análise e reduzida investigação geotécnica do subsolo. Com o objetivo de contribuir na confiabilidade de estacas tubulares metálicas, esta dissertação propõe o estudo de um conjunto de estacas executadas na Baixada Fluminense, utilizando uma abordagem probabilística. Foi adotado a teoria bayesiana onde as incertezas envolvidas foram modeladas por distribuições à priori e a posteriori. A distribuição a posteriori é obtida da atualização da capacidade de carga à priori por meio das funções de verossimilhança. Para a distribuição à priori, foram utilizados dois métodos de cálculo de capacidade de carga, um teórico, denominado como ß por Fellenius (2016), e outro semi empírico, Aoki-Velloso (1975). Em relação às funções de verossimilhança foram adotados os resultados das fórmulas dinâmicas de Sorensen e Hansen (1957), conhecida como fórmula dos Dinamarqueses, e de Chellis-Aoki (1986). Os resultados da distribuição a posteriori apresentam uma menor incerteza quando se considera, para a verossimilhança, a fórmula dos Dinamarqueses. Uma estimativa de set-up também foi realizada, tanto com base na interpretação dos ensaios dinâmicos como com a interpretação através dos ensaios estáticos.

A demanda crescente por energia no mundo e o avanço tecnológico crescente das últimas décadas,alinhados com a necessidade de se obter uma energia que impacte minimamente no meio ambiente, impulsionaram um grande desenvolvimento de técnicas para a utilização de energias provenientes de fontes renováveis, tais como: ventos, marés e o sol. De acordo com este contexto, a energia eólica tem se mostrado bastante promissora, pois se trata de uma energia inesgotável e de baixo impacto ambiental. Assim sendo, este trabalho de pesquisa objetiva o estudo da resposta estrutural estática e dinâmica não determinística de uma torre de aço para ser utilizada como suporte de uma turbina eólica modelo tipo MM92 da Repower. Ao longo do estudo são desenvolvidos modelos numéricos distintos, através da utilização do programa computacional ANSYS, a partir do emprego de técnicas usuais de discretização, por meio do Método dos Elementos Finitos (MEF), com o intuito de verificar de que maneira a modelagem da interação solo-estrutura interfere sobre o comportamento estrutural da torre de aço investigada. A análise da resposta dinâmica não determinística do modelo estrutural é realizada para diferentes velocidades de vento, tendo em mente uma avaliação crítica acerca dos valores máximos obtidos para os deslocamentos e tensões de Von Mises. Finalmente, os resultados obtidos ao longo do trabalho de pesquisa são avaliados e comparados com os valores limites recomendados por normas de projeto e recomendações internacionais.

 

Houve um aumento significativo de pesquisas relacionadas ao uso do aço inoxidável na construção civil considerando análises experimentais e numéricas. Tal fato, está associado as propriedades que esse tipo de material pode proporcionar quando comparado com o aço carbono, tais como, elevada resistência à corrosão, durabilidade, resistência ao fogo, e ao seu grande valor estético. Outro fator que influencia o aumento de pesquisas nessa área diz respeito às normas e códigos vigentes, que de fato, são baseadas por premissas associada ao aço carbono seguindo regras para o aço conformado a frio e utilizando fatores para reduzir sua elevada capacidade de deformação. O aço inoxidável possui um comportamento estrutural muito distinto. Sua curva tensão versus deformação é não linear desde baixos níveis de tensão e sem um patamar definido de tensão de escoamento. Além disso, para cada tipo de aço inoxidável pode se observar diferentes comportamentos, enquanto o aço carbono apresenta um trecho inicial quase linear elástico e com um patamar de escoamento bem definido, que separa de forma consistente a região elástica da região plástica. O propósito do presente trabalho é contribuir com análises experimentais e numéricas a fim de avaliar o desempenho de ligações aparafusadas submetidas ao corte. Os modelos de ligações avaliados são compostos por placas finas de aço inoxidáveis conectadas por um parafuso com um e dois planos de cortes. Comparações com normas e códigos vigentes foram realizadas, assim como, a utilização de métodos propostos por outros autores e pelo novo manual de dimensionamento de aço inoxidável. Nesse trabalho, também foi realizado um estudo sobre a influência dos efeitos curling e pulling into line na resistência última de ligações aparafusadas, que chegaram a alterar o modo de falha previsto pelos códigos e normas vigentes e reduzir a resistência última das ligações estudadas em até 36% e 25% para os aços austenítico e ferrítico, respectivamente. Como solução para atenuar essa redução, foi estudado a utilização de um reforço composto por placas enrijecidas que impediram o efeito curling para ligação com aço ferrítico e minimizaram a redução da carga última para o aço austenítico, chegando a se obter um acréscimo da resistência em até 17%.

 

Este trabalho apresenta experimentos de predição de carga de ruptura de estacas carregadas axialmente à compressão utilizando redes neurais artificiais (RNA). O banco de dados utilizado na pesquisa possui 342 elementos, e é composto de resultados de provas de cargas estáticas à compressão, ensaios de carregamentos dinâmicos e sondagens à percussão. O programa adotado é o MATLAB®, versão R2017a. São utilizados quatro modelos de redes buscando-se a previsão da carga de ruptura a partir de dados do comprimento e área da seção transversal da estaca, e dos valores do NSPT. Em cada modelo realizam-se processos de treinamento e teste. Posteriormente, procede-se à validação de cada arquitetura adotada, apresentando-se as redes com melhor desempenho. Os diferentes modelos buscaram um refinamento da rede, e a capacidade de generalização da mesma. No Modelo 01, a rede com melhor desempenho apresenta Rtraining = 0,96 e Rtest = 0,81. No Modelo 02, houve um refinamento na rede, chegando-se a Rtraining = 0,99 e Rtest = 0,89. No Modelo 03, a rede com melhor performance apresenta Rtraining = 0,95 e Rtest = 0,93 e no Modelo 04, a rede chegou a Rtraining = 0,95 e Rtest = 0,96. Apesar dos bons coeficientes de correlação apresentados, todas as redes apresentam elevados erros percentuais nos resultados do treinamento e teste, bem como na etapa de validação, quando se comparam os dados obtidos (output) com os dados esperados (target). Os resultados sugerem que as redes não são capazes de generalizar uma solução obtendo um resultado final com respostas satisfatórias. Alguns fatores que podem interferir no desempenho da rede são a qualidade das informações do banco de dados, a diversidade de solos, que pode conduzir a saídas distintas para um mesmo dado de entrada, e às incertezas inerentes ao comportamento dos solos e à qualidade dos ensaios analisados.

 

Encostas rochosas apresentam grande potencial de instabilização por queda de blocos. Este tipo de movimento de massa geralmente ocorre de forma abrupta e sem indícios de movimentação prévia, envolvendo energias cinéticas e velocidades elevadas, que resultam em eventos muitas vezes catastróficos. Apesar das pesquisas existentes acerca do tema, ainda se faz necessário um nível de compreensão maior acerca das interações existentes entre os fatores condicionantes e a susceptibilidade de ocorrência destes eventos. A teoria do caos analisa fenômenos que, além de possuírem sensibilidade às condições iniciais, apresentam o comportamento global do sistema notoriamente distinto daqueles observados em Sistemas Lineares, nos quais é possível realizar a divisão do problema em partes e as investigar isoladamente. Esta dependência decorre das não-linearidades existentes no sistema, que amplificam pequenas variações nas condições iniciais, tornando imprevisível a evolução do fenômeno. A presente pesquisa visa analisar a aplicabilidade da teoria do caos para descrever o comportamento deste movimento de massa por meio de simulações de trajetórias de movimentos utilizando o programa RocFall 6.0. Inicialmente foi realizado um estudo preliminar de quatro casos distintos para a verificação da possibilidade de utilização da teoria do caos para descrever o comportamento da queda de blocos rochosos em encostas de gnaisse facoidal e com isso, viabilizar a aplicação da mesma para o estudo de caso, elaborado a partir de uma seção da escarpa do Morro do Cantagalo, com face para a Rua Professor Gastão Bahiana, Bairro de Copacabana, na cidade do Rio de Janeiro. Os resultados obtidos durante a pesquisa sugerem que os movimentos de massa do tipo quedas de blocos rochosos podem ser descritos pela teoria do caos – tendo em vista a universalidade funcional encontrada, e que o comportamento caótico está associado principalmente com a concavidade e/ou com a convexidade apresentadas pelas superfícies das encostas, podendo apresentar um comportamento fracamente ou fortemente caótico.

 

O foco atual sobre o desenvolvimento sustentável enfatiza o reparo e o reforço das estruturas ao invés de uma construção nova. Neste ponto, os reparos e reforços de estruturas em concreto precisam ser tão duradouros quanto possível. Um dos aspectos críticos da durabilidade dos reparos em estruturas de concreto é uma ligação efetiva e duradoura entre um material de reparo e o substrato de concreto existente. Este trabalho discorre sobre um programa experimental conduzido para avaliar a resistência de aderência da ligação entre concreto e argamassas. Foram testados oito tipos de argamassas, duas argamassas cimentícias e duas poliméricas específicas para reparos, uma argamassa produzida em laboratório e três quatro traços de compósitos cimentícios reforçados com fibras. Os principais ensaios realizados foram o ensaio de cisalhamento oblíquo (slant shear test), de acordo com a norma britânica vigente e o ensaio de arrancamento de pastilha (pull off test), feito conforme as normas europeia e brasileira. No ensaio de cisalhamento oblíquo, os corpos de prova eram prismáticos com dimensões de 100x100x400 mm e interface com ângulo de 60º em relação a horizontal. Para representar a ligação, como substrato existente foi empregado um traço de concreto convencional. A rugosidade da superfície da interface foi obtida ao imprimir sulcos com uso de ferramenta mecânica. Os materiais de reparo foram aplicados na condição fresca sobre o substrato endurecido, sem uso de ponte de aderência. Os corpos de prova foram ensaiados 28 dias após a aplicação das argamassas. Os resultados do ensaio de cisalhamento oblíquo mostraram-se bastante realistas, os ensaios de arrancamento indicaram baixas resistências de aderência, não sendo possível correlacionar os resultados destes dois ensaios.

 

O presente trabalho estuda numericamente o uso da técnica de coluna de brita em um aterro teste, em um depósito de pilha de minério, localizado no bairro de Santa Cruz e implantado sobre argila compressível muito mole. A en-genharia contemporânea preza constantemente por métodos e processos construtivos que levem em conta a eficiência e a eficácia dos dimensionamen-tos, com a finalidade de que sejam atingidos resultados satisfatórios e de acor-do com a previsão dos projetistas. Por esta razão, faz-se necessário o aprimo-ramento e averiguações, analíticas e empíricas, de métodos anteriormente formulados. Com o avanço da tecnologia e o surgimento de softwares, métodos então consagrados podem ser analisados e comparados com o método dos elementos finitos processados por esforços computacionais, gerando um enri-quecimento do banco de dados e revisões acadêmicas relacionadas a estes. Este trabalho apresenta sucintamente uma revisão bibliográfica sobre colunas de brita, abordando efeitos de instalação, metodologias de cálculo de projetos, casos de obras realizadas com esta solução e estudos numéricos e/ou analíti-cos de obras em coluna de brita realizadas pelo mundo. Após esta, o objetivo se concentra em uma análise numérica do estudo de caso em questão onde são utilizados os dados da instrumentação realizada no aterro teste. Estes da-dos são comparados com os resultados de deslocamento vertical, deslocamen-to horizontal, excesso de poropressão e plastificação das colunas obtidos por dois programas de elementos finitos: Plaxis e RS2 (da empresa Rocsience). O modelo constitutivo utilizado para as análises numéricas foi o Mohr-Coulomb que também foi comparado com os resultados obtidos no modelo Cam-Clay modelado por Lima (2012). Foi avaliada como satisfatória a compatibilidade dos resultados apresentados pelos dois softwares de elementos finitos.

 

Nas últimas décadas foi notável a verticalização urbana no Brasil, onde inclusive em médias cidades, observou-se a construção de inúmeros edifícios com altura considerável. Paralelamente a esse processo de verticalização das construções, o avanço tecnológico dos materiais, principalmente do concreto e do aço, permitiu uma significativa diminuição das seções dos elementos estruturais. Esse fato corroborou para que o projeto desses edifícios utilize sistemas estruturais cada vez mais flexíveis, o que pode promover a existência de baixos valores de frequências naturais, causando problemas de vibrações excessivas. Outro importante fator refere-se ao efeito da rigidez das alvenarias de vedação e da interação solo-estrutura sobre a resposta estrutural de edifícios altos, aspectos esses, normalmente desconsiderados na prática dos escritórios de cálculo estrutural, sendo o cálculo baseado na hipótese de que as alvenarias são consideradas como carregamentos distribuídos atuantes sobre as vigas em apoios indeslocáveis. Assim sendo, este trabalho de pesquisa tem como objetivo proceder a uma análise de conforto humano de edifícios, quando submetidos à ação não determinística do vento, mediante investigação da resposta dinâmica, de maneira a elaborar uma metodologia de projeto mais realista, tendo em vista a consideração de efeitos importantes, que usualmente são desconsiderados na prática corrente de projeto. Desta forma, investiga-se o comportamento estrutural dinâmico de edifício em concreto armado, com altura de 48 metros, composto de 16 pavimentos e dimensões em planta de 15,0m por 14,2m. Para tal, foram desenvolvidos modelos numéricos com características distintas objetivando uma representação mais realista do edifício investigado, via emprego do Método dos Elementos Finitos (MEF), com base no emprego do programa ANSYS. Os resultados alcançados nesta investigação apontam para diferenças quantitativas de projeto relevantes em relação à avaliação da resposta estrutural do edifício de concreto armado em estudo (valores das frequências naturais, deslocamentos e acelerações máximas), a partir da inclusão do efeito dos painéis das alvenarias e da influência da interação solo-estrutura na modelagem numérica do sistema.

 

Na execução de escavações em balanço é comum se deixar uma banqueta, do lado escavado, para melhorar o comportamento quanto à estabilidade da cortina bem como a redução dos esforços e dos deslocamentos durante a construção. A forma de se considerar a influência da banqueta no empuxo resultante costuma ser procedida de forma simplificada, com base na cunha de ruptura e na geometria da banqueta. Porém, nenhuma verificação é feita quanto aos deslocamentos horizontais da cortina e os recalques dos vizinhos. O presente estudo objetiva a avaliação da influência da geometria da banqueta no cálculo dos empuxos, nos deslocamentos horizontais do topo da cortina, bem como no recalque nas adjacências da área escavada, o qual pode afetar construções vizinhas. A análise numérica por elementos finitos foi realizada com o uso do software PLAXIS 2D. O objetivo desta pesquisa foi a elaboração de uma série de ábacos normalizados, que servem como uma ferramenta prática para solucionar problemas de projeto de cortinas em balanço com banqueta. Adicionalmente, os resultados foram interpretados com base em comparação com resultados de análises numéricas bidimensionais, as quais contemplam a iteração solo-estrutura. Esta pesquisa permitiu concluir, para as situações analisadas, que os métodos analíticos fornecem uma compreensão simplificada do comportamento do sistema solo-estrutura, entretanto, as hipóteses nas quais esses métodos são baseados os tornam conservadores, devido ao número de suposições necessárias para simplificar o procedimento de projeto. A análise numérica no Plaxis, a partir de estudos paramétricos, forneceu resultados que permitiram compreender a influência da rigidez da cortina no comportamento da escavação em balanço, indicando níveis de deslocamentos os quais, por sua vez, afetam a mobilização dos empuxos atuantes na estrutura.

 

O aço inoxidável vem sendo utilizado em vários tipos de construções por sua alta versatilidade, possuindo como características principais, a elevada resistência à corrosão (propriedade que mais o distingue do aço carbono) e a temperaturas elevadas, além de boa resistência mecânica, tenacidade e fadiga exigindo poucos requisitos de manutenção. Embora muitas das propriedades mecânicas sejam semelhantes às propriedades do aço carbono, as características não lineares implicam regras de dimensionamento diferentes. Essa não linearidade afeta principalmente a resposta à flambagem local e global com alguns limites mais rigorosos para a classificação da seção. Com a crescente utilização do aço inoxidável em estruturas, foi publicada em 2006 a primeira norma para o dimensionamento de elementos em aço inoxidável utilizada na maior parte dos países europeus, o Eurocódigo 3: Parte 1-4 que engloba produtos laminados a quente, soldados e conformados a frio. Em algumas zonas, as regras da edição de 2006 da EN 1993-1-4 são bastante conservadoras, com limitação de aplicação devido à falta de dados experimentais. m 2015, foi publicada uma nova emenda à EN 1993-1-4, com novas regras de dimensionamento menos conservadoras, bem como a ampliação das classes de aço inoxidável abrangidas pela EN 1993-1-4. Algumas das áreas que demandam pesquisas e estudos diz respeito ao comportamento de colunas de aço inoxidável compostas por cantoneiras sujeitas à forças de compressão. Esta foi a motivação para a presente dissertação que objetivou estudar o comportamento e a resistência desse tipo de coluna. Oito ensaios foram realizados em cantoneiras em aço inoxidável austenítico 304 de seção nominal L63,5×63,5×4,76 com comprimento longitudinal de 700 mm, sendo os dois primeiros realizados em cantoneira única e os seis últimos compostos por duas cantoneiras dispostas em cruz, conhecidas como starred angles. Dentre os modelos formados por duas cantoneiras em cruz, os ensaios foram realizados com três variações construtivas: cantoneiras sem ligação interna entre as mesmas, cantoneiras ligadas por solda e cantoneiras ligadas por chapa parafusada. Para obtenção dos valores do módulo de elasticidade, tensão de escoamento, tensão de ruptura e as curvas tensão versus deformação foram realizados ensaios de caracterização à tração, além de ensaios de caracterização à compressão. Em seguida, foram realizadas análises numéricas através do método dos elementos finitos (MEF) no programa computacional ABAQUS 6.14 e posteriormente calibradas com os resultados obtidos nos ensaios experimentais. Por fim, estes resultados foram comparados com métodos de cálculo preconizados no Eurocode 3: Parte 1-4 (2006) e o Método da Resistência Contínua, método que ainda não foi incluído na norma europeia até o presente momento. O modo de ruína apresentado pelas colunas de cantoneira única foi o de flambagem flexo-torsional. Já para os modelos formados por duas cantoneiras em cruz, houve predominância do modo torsional ocorrendo, entretanto, para os modelos de cantoneiras sem ligação interna flexo-torção (porém com modo de flexão pouco pronunciado).

 

O presente trabalhou buscou avaliar as condições de estabilidade a desempenho das estruturas de estabilização de um talude localizado no Km 78 da rodovia RJ-116. O talude composto basicamente por uma camada de colúvio argiloso assente sobre uma camada de solo residual silto arenosa muito micáceo tem apresentado um longo histórico de movimentações. Tais movimentação foram deflagradas por interferências antrópicas associadas a condicionantes naturais como geologia, hidrologia, relevo e chuvas algumas intervenções foram executadas para estabilização da encosta. Entretanto, as movimentações não cessaram, havendo assim a necessidade de investigação mais detalhada da geologia da região. Sondagens mistas foram realizadas para definição do perfil geológico do talude. Adicionalmente, o comportamento do talude foi monitorado com o auxílio de inclinômetros e piezômetros. Para solucionar o problema da movimentação do talude, foram propostas intervenções de drenagens superficiais e profundas a fim de manter o nível d’água abaixo da sua condição crítica, e um constante monitoramento a partir de instrumentações de campo. Este trabalho tem por objetivo, verificar o desempenho das estruturas projetadas e fazer uma previsão do funcionamento dessas estruturas a longo prazo. Para isso serão utilizados métodos de análises tradicionais de equilíbrio limite e método de elemento finitos, utilizando os programas computacionais Slide e Plaxis para seções representativas definidas pelos levantamentos topográficos. O nível d’ água será adotado com base nas leituras dos piezômetros nos períodos após a obra, sondagens e informações técnicas. Ao fim da dissertação serão apresentadas comparações entre os resultados de deslocamentos obtidos das análises e os valores de deslocamentos obtidos pelo constante monitoramento de campo. Será ainda apresentada uma previsão de desempenho das estruturas caso haja uma falha nos dispositivos de drenagem e o nível d’água atinja um nível crítico.

 

Com o avanço dos conhecimentos na área da Geotecnia, técnicas que permitem a melhoria e o reforço do solo vêm sendo crescentemente utilizadas em obras de estabilização de taludes. O uso de sistemas computacionais em projetos de obras de reforço de solo por grampeamento vem se tornando cada vez mais presentes na Geotecnia. Neste trabalho, serão apresentados e discutidos os resultados de análises paramétricas em perfil de talude com solo grampeado. A análise será executada a partir do programa computacional PLAXIS, baseado no método dos elementos finitos, a fim de avaliar a influência da face de uma estrutura em solo grampeado na estabilidade do talude. A calibração deste modelo foi realizada a partir da comparação entre os resultados fornecidos pelos programas PLAXIS e GeoSlope, e o cálculo pelo Método de Mitchell e Villet (1987), a fim de se obter maior confiabilidade nos resultados numéricos. As análises posteriores à calibração foram baseadas na variação de alguns parâmetros (inclinação dos grampos, espaçamento vertical dos grampos e espessura da camada de solo da face) que podem influenciar na magnitude dos deslocamentos horizontais máximos da estrutura e no fator de segurança. Os resultados sugerem que o PLAXIS é um software capaz de reproduzir o comportamento de estruturas em solo grampeado. Além disso, as análises também mostraram que a face do talude não tem função estrutural e que o seu revestimento se mostra importante para combater instabilidades locais e processos erosivos.

 

A utilização do aço inoxidável na construção civil é crescente principalmente devido ao maior potencial de resistência e durabilidade deste material. Assim como a utilização de estruturas em aço inoxidável, a implantação de estruturas mais leves, como é o caso da aplicação de colunas compostas, se apresenta também como boa alternativa na busca de soluções mais competitivas. As atuais normas internacionais de projeto de aço inoxidável disponíveis foram desenvolvidas em grande parte de acordo com as diretrizes baseadas no aço carbono, levando a resultados conservadores e economicamente desvantajosos, por não considerarem o acréscimo de carga que o aço inoxidável pode alcançar. Os métodos de cálculo empregados no dimensionamento de elementos compostos apresentam resultados distantes da sua capacidade. Até então, os estudos têm sido focados em colunas de aço carbono. Desse modo, visando agregar informações a estas pesquisas, além da análise de colunas compostas em aço carbono, esse trabalho analisa o comportamento estrutural de colunas compostas em aço inoxidável, estudando os aços austeníticos, ferríticos e duplex. Foram investigadas colunas compostas, com conexão por chapas igualmente espaçadas e seções transversais formadas a partir de perfis u não enrijecidos. Modelos numéricos foram desenvolvidos no programa Abaqus, baseado no método dos elementos finitos, a fim de determinar a resistência destes elementos. O modelo foi calibrado baseado em ensaios experimentais. Verificou-se que os aços duplex e ferrítico apresentaram resistência mais elevada, enquanto o aço austenítico apresentou resistência similar ao aço carbono. Com base nos resultados alcançados, constatou-se a boa concordância entre os resultados numéricos e teóricos baseados no código europeu, para as colunas analisadas em aço carbono e aço austenítico, enquanto para os aços ferrítico e duplex os resultados apresentaram maios distinção. Quanto aos métodos disponibilizados na norma brasileira os resultados foram bem distantes do comportamento das colunas.

 

Blocos sobre estacas são elementos estruturais que possuem grande importância no desempenho global de uma estrutura, nomeadamente por garantirem a segurança. Por não haver um consenso no meio técnico quanto ao comportamento e dimensionamento desses blocos, este estudo foi necessário. Posto isto, a pesquisa teve como objetivo analisar o comportamento estrutural de blocos sobre estacas, através de uma análise numérica de dois blocos reais que foram utilizados como Estudo de Caso. O primeiro é um bloco sobre dois tubulões e o segundo é um bloco sobre quatro estacas. A análise numérica foi realizada por meio do Método de Elementos Finitos do programa computacional ABAQUS. Para a validação dos parâmetros de dados de entrada no programa, assim como para a definição dos modelos constitutivos do concreto que melhor representasse o comportamento do material foi realizado um estudo de calibração, a partir de comparações de resultados de ensaios experimentais. Nestes blocos estudados foram avaliados os seguintes parâmetros: detalhamento da armadura (armaduras secundárias e ancoragem), taxa de armadura principal de tração, resistência do concreto e altura dos blocos, a fim de se analisar a influência de cada parâmetro no comportamento estrutural. Nos blocos sobre dois tubulões, foi observado que a mudança da taxa de armadura aumentou significativamente a capacidade resistente, sendo este aspecto mais relevante do que a variação da altura do bloco e da resistência à compressão do concreto. Em contrapartida, nos blocos sobre quatro estacas o aumento da resistência à compressão e da altura do bloco foi mais significativo do que a variação da taxa de armadura. Em relação à influência da armadura secundária, constituída por armadura superior, armadura de suspensão e armadura de pele, esta apenas mostrou-se significativa para o bloco sobre dois tubulões. Em ambos os blocos, foi confirmado que a utilização da ancoragem no detalhamento das armaduras não se faz necessário

 

A estimativa da grandeza dos recalques de estacas isoladas e de grupos de estacas é bastante relevante em análises de interação solo x estrutura. A ABNT NBR 6122 (2010) estabelece, em seu item 5.5, que “Em estruturas nas quais a deformabilidade das fundações pode influenciar na distribuição de esforços, deve-se estudar a interação solo-estrutura ou fundação-estrutura”. Por este motivo, a estimativa acurada de recalques tem merecido a atenção de muitos projetistas geotécnicos de fundações. Todavia, diferentemente das fundações diretas que transmitem toda a carga da estrutura através de tensões nas suas bases, as fundações profundas transmitem parte da carga por atrito lateral e parte pela ponta. Neste caso deve-se considerar a forma da transferência de carga ao solo, pois a parcela de resistência correspondente ao atrito lateral poderá estar esgotada para a carga de serviço. A porcentagem de carga transferida pela ponta, na situação de trabalho, é muito inferior àquela que ocorre por ocasião da ruptura. Antes de chegar neste estágio (último ou de ruptura), por exemplo, no nível das cargas de serviço, a mobilização da resistência é parcial e boa parte do solo que envolve a estaca está distante da ruptura. A forma como a carga aplicada no topo de uma estaca se distribui ao longo do fuste depende não somente da estratigrafia, mas também da rigidez relativa entre a estaca e o solo. O comportamento da fundação expresso pela curva carga-recalque é função também da transferência de carga, ou seja, da forma como a carga aplicada no topo se distribui em profundidade. Esta, por sua vez, costuma ser considerada de forma simplificada, já que sua determinação envolve muitas incertezas, sendo função do nível de tensões aplicadas, variando também com o tempo, entre outros fatores. Neste trabalho foram estudados alguns casos de obra contemplando estacas com comportamento conhecido, para os quais os recalques são previstos com transferência de carga estimada de forma simplificada e com o auxílio de funções de transferência, com modelos disponíveis na literatura. Esta pesquisa tem por objetivo um olhar crítico nos modelos disponíveis para a avaliação dos mecanismos de transferência de carga de estacas isoladas visando verificar sua influência na previsão do comportamento carga-recalque, e comparar com o comportamento medido, por meio de resultados de provas de carga. Os resultados mostraram que a utilização de modelos simples de análise de recalques e considerando a transferência de carga de uma forma simplificada gerou boas previsões do comportamento carga x recalque para os casos analisados, quando comparados com os resultados das instrumentações. Por fim, também foi verificada a influência das tensões residuais, cujo efeito é tornar mais rígido o comportamento carga-recalque, não influenciando na carga de ruptura.

 

Este trabalho estuda o comportamento estrutural de colunas mistas formadas por dois perfis tubulares concêntricos com preenchimento de concreto entre eles, onde o tubo interno é de aço carbono, enquanto o tubo externo é de aço inoxidável. Este sistema estrutural, largamente utilizado em países asiáticos, combina as vantagens oferecidas pela coluna tipo CFDST (Concrete Filled Double Skin Tubular), com as do aço inoxidável. Com sua utilização, a coluna ganha vantagens adicionais referentes a estética, resistência à corrosão e a durabilidade, combinando de forma otimizada, os três tipos de materiais. Ensaios foram realizados com colunas curtas de seção circular submetidas a compressão simples. Posteriormente, os resultados experimentais foram comparados com os obtidos por uma análise numérica não linear através do programa de elementos finitos ABAQUS e por uma abordagem teórica através do método de dimensionamento existente na literatura para este tipo de coluna. Após a validação do modelo numérico, uma análise paramétrica foi realizada onde são variadas a razão oca entre as colunas, a espessura externa e interna dos tubos. Com estes resultados, verificou-se a eficácia da equação de dimensionamento existente na literatura técnica para este elemento estrutural evidenciando a sua aplicabilidade.

 

Este estudo analisa a utilização de três tipos diferentes de resíduos oriundos do processo construção e demolição de alvenarias: resíduos de tijolo, resíduos de argamassas e resíduo misto de demolição de alvenaria. Para análise foram geradas argamassas com 30% e 50% de substituição dos agregados com dois traços diferentes, um forte 1:3 para simular a utilização de argamassas de assentamento e um fraco 1:6 para simular a utilização argamassa de revestimento. Para análise das argamassas, além dos ensaios no estado fresco e no estado endurecido por meio da confecção de corpos de prova, também foi observado o desempenho simulando sua real forma de utilização. Para avaliar as argamassas de revestimento foram confeccionadas paredes que ficaram expostas em ambiente externo e foram revestidas com as argamassas estudadas onde foram realizados ensaio de arrancamento para verificar a resistência à aderência e ensaio de permeabilidade. Como conclusão observou-se que para as argamassas de revestimento as resistências mecânicas aumentavam com a utilização de resíduos, a resistência à aderência variou de acordo com o tipo de resíduo utilizado, entretanto todas as misturas apresentaram classificação máxima segundo a norma, sobre a permeabilidade, com exceção da argamassa com 50% de tijolo que se mostrou mais permeável, as demais não apresentaram variação significativa comparada à referência. Para as argamassas de assentamento, observou-se que os resultados de resistência mecânica diminuíam com a utilização de resíduos, para o teste de compressão dos primas observou-se que as todas as misturas estudadas contribuíram para resistência, destacando-se a argamassas com 50% de resíduo de parede e que na ruptura os prismas seguiram o comportamento de tração das argamassas.

 

A presente dissertação de mestrado refere-se ao estudo das condições de aderência aço – concreto com barras de aço finas e grossas, no âmbito da pesquisa e de avaliação da resistência de aderência e da determinação do coeficiente de conformação superficial experimental, utilizando concreto classe C40 e aços da categoria CA-50 nervurados (diâmetros 6.3, 10.0, 20.0, 25.0 e 32.0 mm), CA-60 nervurados (diâmetros 3.4, 4.2, 6.0 e 9.5 mm) e CA-60 lisos (diâmetros 3.4 e 4.2 mm). Visto que o ensaio de Barras Confinadas, recomendado pela NBR 7477 “Determinação do coeficiente de conformação superficial de barras e fios de aço destinados a armaduras de concreto armado”, não é eficiente para barras menores que 10 mm, foram executados os ensaios de arrancamento “Pull-out test”, recomendado pela RILEM, para determinação das tensões de aderência aço-concreto e determinação do coeficiente de conformação superficial experimental baseado na norma francesa BAEL-91. Para validar o método de ensaio, foram apresentadas análises de resultados de ensaios experimentais entre laboratórios universitários e comerciais e comparados às prescrições normativas e teóricas utilizadas pela comunidade técnica. Foram avaliadas tensões médias e ultimas de aderência, a influência do diâmetro, modos de ruptura do ensaio, o coeficiente de conformação superficial experimental e a análise da relação entre os resultados dos ensaios de aderência e a geometria das nervuras transversais, eventualmente traduzida na sua área relativa de nervura.

 

Motivados pelo alcance de maior durabilidade em estruturas de concreto, a utilização de polímeros reforçados com fibra, FRP, se destaca como uma alternativa viável na construção civil. Dentre os produtos feitos com esta tecnologia, destacam-se as barras de armadura para estruturas e concreto. No âmbito mundial, estas barras são produzidas com fibras de vidro, aramida e, mais recentemente, basalto. Esta tecnologia é de certa forma nova no Brasil, e como se refere na literatura técnica, o processo de fabricação da armadura interfere diretamente no seu comportamento estrutural. Assim, além de pesquisas bibliográficas, este trabalho analisa, pela primeira vez no Brasil, experimentalmente, quatro vigas totalmente armadas com barras de GFRP de fabricação nacional, variando-se a quantidade de armaduras longitudinais e transversais, com enfoque ao comportamento à flexão e ao cisalhamento. Os resultados são comparados a uma viga com armadura ordinária de aço. São apresentados os comportamentos quanto à relação momento-curvatura, momento x deformações, carga – flecha e deformação nos estribos. Como já descrito na literatura, os ensaios mostram que o desempenho das armaduras de GFRP é afetado pelo seu baixo módulo de elasticidade, pela configuração superficial da barra e pela aderência ao concreto. Mas que ainda assim, os resultados exibidos mostraram homogeneidade e correspondência à previsão teórica. Mais além, observa-se que o aumento das taxas de armadura melhora o desempenho à flexão e ao cisalhamento dos elementos em relação a diversos aspectos. De uma maneira geral, pode-se dizer que o uso de armaduras de GFRP em vigas de concreto armado é viável, desde que os requisitos oriundos das características mecânicas dessas armaduras sejam levadas em consideração em projeto.

 

As tensões residuais surgem ao longo da ponta e do fuste das estacas após cessada a cravação ou após descarregamento, num ensaio estático. Embora estas tensões não interfiram na capacidade de carga das estacas, elas poderão alterar bastante a transferência de carga e, portanto, o comportamento da estaca para a carga de serviço. A previsão das cargas residuais tem sido objeto de pesquisa de vários autores, já tendo sido comprovado que a simulação da cravação, realizada num intervalo de tempo suficiente para a estabilização dos deslocamentos na estaca, é uma ferramenta adequada a esta finalidade. O programa comercial Unipile, entre outros objetivos, costuma ser usado na prática também para a análise de tensões residuais. A presente pesquisa teve por objetivo um olhar crítico acerca do Unipile e sua capacidade de previsão das tensões residuais. Inicialmente, procurou-se entender a habilidade do programa, comparando os resultados de sua aplicação a uma análise paramétrica elaborada por Costa (1994), utilizando a simulação da cravação para a estimativa das tensões residuais. Após o conhecimento de alguns condicionantes do programa Unipile, um caso de obra clássico, com estacas instrumentadas contemplando a medida das tensões residuais, foi analisado por ambas as ferramentas: o programa de simulação da cravação e o programa Unipile. A pesquisa compara e discute as duas ferramentas de cálculo, seus resultados, destacando suas potencialidades e limitações. Embora não fazendo parte do objetivo inicial, a pesquisa também discute os resultados dos ensaios estáticos do banco de dados, que não foram, na ocasião, amplamente explorados. Por se tratar de instrumentação mais antiga, a autora procurou revisitar e interpretar os resultados, à luz de conhecimentos mais recentes.

 

Entender as diferentes técnicas de tratamento para uma camada de solo mole é essencial para um engenheiro geotécnico, na escolha da solução adequada que irá atender aos objetivos requeridos em projeto. Análises analíticas ou comparações experimentais podem ser complexas e onerosas. Assim, para o caso de um aterro sobre sole mole é apresentado a comparação numérica do seu comportamento quando empregado a técnica do CPR Grouting, colunas de brita e drenos verticais. As análises foram realizadas com auxílio do software Plaxis 2D. Os resultados mostraram que a conversão para o estado plano de deformações, pode ser realizada através de paredes drenantes ou por meio homogêneo equivalente, incluindo a correção da permeabilidade, geometria ou da rigidez quando necessário. Após a confirmação da equivalência entre os resultados nas células unitárias, procedeu-se a comparação entre as técnicas, para um caso de aterro. Nesse estudo, observou-se que para razões de substituição semelhantes, o CPR Grouting proporciona a menor magnitude de recalque, levando os fatores de segurança no controle da instabilidade a valores mais satisfatórios. Os prazos para estabilização dos recalques e as vantagens de supressão da sobrecarga temporária e reforço com geogrelhas são semelhantes entre as técnicas do CPR Grounting e as colunas de brita. No entanto, a técnica de aterro sobre drenos verticais apresentou recalque e prazo para estabilização bem superiores, como também, os menores fatores de segurança, mesmo com emprego de geogrelha e sobrecarga para acelerar o adensamento

 

As obras geotécnicas são um dos maiores exemplos de interação entre natureza e engenharia. Fundações descrevem precisamente a necessidade do homem em relação a previsão do comportamento do solo, de maneira que o dimensionamento destas estruturas exige considerações e ações específicas para o alcance da segurança necessária. Grande parte das incertezas inerentes ao projeto de fundações está relacionada ao uso de tratamentos determinísticos nos dimensionamentos e avaliações. Estes, aliados as grandes imprecisões originadas pelos ensaios de SPT, contribuem para aumentar a deficiência na previsão do desempenho destas estruturas. Este aspecto tem orientado à necessidade crescente do desenvolvimento de metodologias que permitam reduzir as incertezas intrínsecas a comportamento dos projetos de fundações. Com o objetivo de contribuir ao estudo da confiabilidade de estacas pré-moldadas de concreto, esta dissertação propõe a análise de um conjunto de estacas executadas em loteamentos adjacentes no bairro de Sepetiba, na Região da Zona Oeste do Rio de Janeiro, ensaiadas por intermédio de métodos dinâmicos de controle. No intuito de verificar as particularidades referentes a três métodos empíricos específicos, baseados no ensaio de SPT, e assumidos como distribuições “a priori”, utiliza-se dos conceitos da análise Bayesiana, para estimar as atualizações “a posteriori” da capacidade de carga das estacas empregadas na região de estudo, adotando-se como função de verossimilhança, os resultados das provas de carga dinâmica interpretados pela ferramenta computacional CAPWAP. Da possibilidade de se avaliar separadamente as resistências mobilizadas pela ponta e por atrito lateral, as mesmas atualizações são executadas separadamente para estas parcelas de capacidade de carga. Seguindo a metodologia proposta incialmente por Vrouwenvelder (1992), o estudo fornece uma aplicação voltada para a análise de ensaios de carregamentos dinâmico, abrindo uma série de possibilidades para o maior estudo da confiabilidade de estacas cravadas submetidas a provas de carga. A posterior calibração dos parâmetros dos modelos matemáticos adotados como estimativa “a priori” sugere um valor prático de elevada relevância para otimização técnica-financeira dos projetos e obras de fundações.

 

Entender as diferentes técnicas de tratamento para uma camada de solo mole é essencial para um engenheiro geotécnico, na escolha da solução adequada que irá atender aos objetivos requeridos em projeto. Análises analíticas ou comparações experimentais podem ser complexas e onerosas. Assim, para o caso de um aterro sobre sole mole é apresentado a comparação numérica do seu comportamento quando empregado a técnica do CPR Grouting, colunas de brita e drenos verticais. As análises foram realizadas com auxílio do software Plaxis 2D. Os resultados mostraram que a conversão para o estado plano de deformações, pode ser realizada através de paredes drenantes ou por meio homogêneo equivalente, incluindo a correção da permeabilidade, geometria ou da rigidez quando necessário. Após a confirmação da equivalência entre os resultados nas células unitárias, procedeu-se a comparação entre as técnicas, para um caso de aterro. Nesse estudo, observou-se que para razões de substituição semelhantes, o CPR Grouting proporciona a menor magnitude de recalque, levando os fatores de segurança no controle da instabilidade a valores mais satisfatórios. Os prazos para estabilização dos recalques e as vantagens de supressão da sobrecarga temporária e reforço com geogrelhas são semelhantes entre as técnicas do CPR Grounting e as colunas de brita. No entanto, a técnica de aterro sobre drenos verticais apresentou recalque e prazo para estabilização bem superiores, como também, os menores fatores de segurança, mesmo com emprego de geogrelha e sobrecarga para acelerar o adensamento

 

Diante das inúmeras incertezas inerentes às fundações de uma obra civil, é papel do engenheiro adequar o projeto de forma a otimizá-lo, sem comprometer s segurança. A NBR6122 da ABNT adota a abordagem determinística de adoção de fatores de segurança globais ou parciais. Por outro lado, o Eurocode já exige a verificação da probabilidade de ruína das fundações, em paralelo à adoção de fatores de segurança parciais existentes em cada país. No Brasil, a abordagem probabilística já é utilizada em grandes projetos, sob exigência de companhias de seguro para o cálculo dos prêmios de seguro de grandes obras. A presente pesquisa estuda o índice de confiabilidade de um estaqueamento e a influência da atualização bayesiana na redução de incertezas, utilizando como função de máxima verossimilhança fórmulas dinâmicas com base em registros obtidos durante a cravação das estacas. Uma análise inicial das estacas que foram submetidas ao ensaio de carregamento dinâmico levou a dois procedimentos e adoção de duas funções de verossimilhança: no primeiro procedimento foram considerados apenas os dados obtidos na cravação (nega e repique) e no segundo foi utilizado também o conhecimento dos ensaios de carregamento dinâmico e estimativa do mecanismo de transferência de carga ao solo na ruptura. As estimativas a priori foram calculadas através dos métodos semi-empíricos de Aoki-Velloso e Decourt-Quaresma. As funções de máxima verossimilhança permitiram, através do procedimento de Bayes, a atualização das estimativas a priori, resultando em estimativas a posteriori com menor coeficiente de variação. Entre as fórmulas dinâmicas adotadas como função de verossimilhança, Chellis(1951) ou Sorensen-Hansen (1957), foi verificada àquela que melhor se ajustou aos resultados dos ensaios de carregamento dinâmico. Com a adoção desta fórmula e do primeiro procedimento, foi procedida a análise de um conjunto bem maior de estacas, num banco de dados extenso. Nesta análise de um conjunto maior de estacas, foi quantificado o índice de confiabilidade do grupo, inicialmente para as estimativas a priori e, finalmente, após a redução da incerteza pela atualização de Bayes. Observou-se um expressivo incremento do índice de confiabilidade, com consequente redução da probabilidade de ruína. Concluiu-se sobre a relevância dos registros de cravação, capazes de revelar a variabilidade natural do solo, bem como a capacidade do procedimento de atualização de Bayes na redução das incertezas e aumento da confiabilidade do estaqueamento. Este é um aspecto a se considerar quanto à necessidade de um controle executivo, como o registro da nega e repique de estacas cravadas, na redução da incerteza e melhoria da confiabilidade em outros tipos de estacas.

 

A evolução dos métodos construtivos, dos materiais de alto desempenho e dos métodos mais refinados de análise estrutural levaram ao desenvolvimento de estruturas cada vez mais esbeltas que possuem cargas de projeto mais próximas da capacidade estrutural. Este avanço trouxe uma grande racionalização dos materiais utilizados na construção, e como consequência, uma diminuição significativa dos custos das obras. Em contrapartida, estruturas mais esbeltas oferecem um menor nível de redundância, quando se analisa o mesmo tipo de solução estrutural. Nas últimas décadas, a mídia tem noticiado com maior frequência uma série de eventos relacionados com o colapso de edifícios provocados por incêndios, sismos, explosões acidentais ou intencionais (terrorismo). Estes eventos têm gerado preocupação da sociedade acerca dos riscos de as estruturas colapsarem quando submetidas às cargas excepcionais e tem motivado inúmeras pesquisas ao redor do mundo. Atualmente, os engenheiros estruturais estão preocupados com procedimentos que aumentem a robustez das estruturas e diminuam a probabilidade de ocorrer um colapso progressivo ou desproporcional devido às ações de baixa probabilidade. Neste estudo, é analisada a robustez estrutural de edifícios metálicos sendo estes, contraventados e não contraventados. Determina-se a capacidade dos edifícios de resistirem ao colapso progressivo no cenário de remoção abrupta de um pilar através de análises estáticas (pushdown) e dinâmicas (time-history) não lineares. Os resultados mostraram que os valores de deformação última obtidos pela análise estática são mais conservadores que os observados na análise dinâmica. As análises indicaram que os elementos de contraventamento melhoram o desempenho da estrutura contra o colapso progressivo. Com relação ao grau de redundância, foi possível observar que o número de elementos estruturais localizados acima do pilar removido também mostra ser um fator interessante para o aumento da robustez estrutural. Além dos contraventamentos, foi estudado a utilização de treliças no topo dos edifícios com o objetivo de aumentar os níveis de robustez e melhorar o comportamento dos edifícios contra o colapso progressivo. De fato, as treliças forneceram um melhor desempenho aos edifícios com o objetivo de evitar o colapso progressivo em todos os cenários de remoção de pilar.

 

A evolução dos métodos construtivos, dos materiais de alto desempenho e dos métodos mais refinados de análise estrutural levaram ao desenvolvimento de estruturas cada vez mais esbeltas que possuem cargas de projeto mais próximas da capacidade estrutural. Este avanço trouxe uma grande racionalização dos materiais utilizados na construção, e como consequência, uma diminuição significativa dos custos das obras. Em contrapartida, estruturas mais esbeltas oferecem um menor nível de redundância, quando se analisa o mesmo tipo de solução estrutural. Nas últimas décadas, a mídia tem noticiado com maior frequência uma série de eventos relacionados com o colapso de edifícios provocados por incêndios, sismos, explosões acidentais ou intencionais (terrorismo). Estes eventos têm gerado preocupação da sociedade acerca dos riscos de as estruturas colapsarem quando submetidas às cargas excepcionais e tem motivado inúmeras pesquisas ao redor do mundo. Atualmente, os engenheiros estruturais estão preocupados com procedimentos que aumentem a robustez das estruturas e diminuam a probabilidade de ocorrer um colapso progressivo ou desproporcional devido às ações de baixa probabilidade. Neste estudo, é analisada a robustez estrutural de edifícios metálicos sendo estes, contraventados e não contraventados. Determina-se a capacidade dos edifícios de resistirem ao colapso progressivo no cenário de remoção abrupta de um pilar através de análises estáticas (pushdown) e dinâmicas (time-history) não lineares. Os resultados mostraram que os valores de deformação última obtidos pela análise estática são mais conservadores que os observados na análise dinâmica. As análises indicaram que os elementos de contraventamento melhoram o desempenho da estrutura contra o colapso progressivo. Com relação ao grau de redundância, foi possível observar que o número de elementos estruturais localizados acima do pilar removido também mostra ser um fator interessante para o aumento da robustez estrutural. Além dos contraventamentos, foi estudado a utilização de treliças no topo dos edifícios com o objetivo de aumentar os níveis de robustez e melhorar o comportamento dos edifícios contra o colapso progressivo. De fato, as treliças forneceram um melhor desempenho aos edifícios com o objetivo de evitar o colapso progressivo em todos os cenários de remoção de pilar.

 

Este trabalho de pesquisa apresenta uma investigação cujo objetivo principal é o de avaliar o comportamento estrutural estático e dinâmico; e, bem como, proceder à análise de conforto humano de edifícios, considerando-se para tal a influência dos painéis das alvenarias de vedação, para verificações de projeto nos estados limites de serviço (ELS). Assim sendo, neste estudo foi investigado um modelo estrutural de um edifício de concreto armado com 16 pavimentos, altura total de 48m e dimensões em planta de 14,20m x 15m. A modelagem numérica do edifício em estudo foi realizada através do emprego do programa ANSYS, com base no emprego de técnicas básicas de discretização, por meio do Método dos Elementos Finitos (MEF). Deste modo, modelos numéricos tridimensionais em elementos finitos foram desenvolvidos para analisar o modelo estrutural com base em três estratégias distintas: sem alvenarias; alvenarias modeladas via emprego de diagonais equivalentes e alvenarias modeladas por meio de elementos de casca. As conclusões alcançadas ao longo desta investigação demonstram a relevância de uma modelagem numérica mais realista para a representação dos painéis das alvenarias de vedação, de forma a avaliar com mais precisão a contribuição destas alvenarias sobre a resposta estrutural estática e dinâmica dos edifícios, especialmente tratando-se de análises visando a verificação dos estados limites de serviço (ELS).

 

O concreto é amplamente utilizado na construção devido a inúmeros fatores como o domínio da técnica, a mão de obra disponível, a durabilidade, a extensa disponibilidade dos materiais constituintes e a vasta possibilidade de moldagem. Todavia, mesmo com as tecnologias que foram desenvolvidas ao longo do tempo para prolongar sua vida útil, o concreto está sujeito a patologias que deterioram a sua estrutura e, por isso, a manutenção, o reforço e a reparação tornaram-se atividades significativamente essenciais para o setor da construção civil. A interface e a aderência entre o substrato e o material de reparação são aspectos críticos e de substancial importância no desempenho e sucesso do reparo. Posto isto, o presente trabalho tem como objetivo estudar numericamente a reparação estrutural de vigas de concreto armado utilizando argamassas cimentícias e poliméricas através do Método dos Elementos Finitos, por meio do software Abaqus, e comparar com ensaios experimentais anteriormente realizados. As vigas foram reparadas nas zonas comprimidas e tracionadas. Na modelagem, utilizou-se o modelo de dano com plasticidade do concreto e, para avaliar a capacidade portante das vigas, foram realizados estudos da influência da malha de elementos finitos e das leis constitutivas do concreto. Assim como, avaliou-se o desempenho do contato utilizado para permitir a transferência de esforços e a ligação entre o substrato do concreto e as argamassas utilizadas na reparação. Foi possível observar que os resultados gerados pela modelagem numérica das vigas de referência conseguiram reproduzir os resultados encontrados nos ensaios experimentais em termos de carga e fissuração adequadamente, encontrando as leis constitutivas que melhor apresentaram o comportamento do concreto. Os modelos numéricos referentes as vigas reparadas exibiram excelente comportamento quanto à carga última quando comparadas com as experimentais, porém apresentaram divergências para cargas em serviço, o que pode estar relacionado à melhor definição das características dos materiais de reparação. Em relação a distribuição das fissuras, utilizadas como um dos parâmetros de avaliação da aderência modelada, os resultados apresentaram falha na sua propagação pela interface material de reparo – substrato de concreto, o que experimentalmente foi verificado através da fissuração de aderência.

 

Atualmente o dimensionamento de estruturas constituídas com aço inoxidável considera analogias baseadas no aço carbono, porém este material apresenta quatro curvas tensão versus deformação muito distintas, modificando assim, o comportamento global da estrutura. Em adição, as ligações desempenham um papel fundamental no comportamento global das estruturas. Desta forma, o presente trabalho tem como objetivo avaliar e estudar o desempenho estrutural de ligações aparafusadas com modos distintos de falha estrutural. Essas ligações foram realizadas em chapas finas em aço inoxidável do tipo austenítico e ferrítico, sendo submetidas a esforços de tração por meio de ensaios experimentais e simulações numéricas. O modelo numérico foi desenvolvido utilizando o programa Abaqus/CAE 6.12, tendo como base os ensaios experimentais desenvolvidos nesse trabalho. Posteriormente, foi realizado um estudo paramétrico com variações da geometria da chapa. Adicionalmente, os resultados obtidos foram comparados as normas vigentes e estudos propostos na literatura. Entre os resultados encontrados, pode-se observar uma boa concordância entre os resultados do modelo numérico com os experimentais. Em termos gerais, o aço inoxidável ferrítico apresentou cargas para o modo de falha investigado mais próximas das normas de dimensionamento em comparação com o aço austenítico. Além disso, é importante mencionar que o efeito curling é mais evidente para os casos estudados em aço austenítico estando este relacionado a capacidade de deformação dos materiais analisados. O estudo paramétrico mostrou que as ligações onde o modo de colapso está relacionado ao esmagamento ou rasgamento da chapa apresenta um patamar constante de carga quando o efeito curling é observado. Nas ligações onde a falha é caracterizada pela ruptura da seção líquida, o parâmetro kr empregado na norma mostrou ser muito rigoroso para a definição da capacidade da ligação.

 

O atrito negativo é um esforço transferido à estaca nos trechos em que o recalque do maciço de solo que a envolve é maior que o recalque da estaca. A argila encontrada na Baixada de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, é conhecida por ser muito mole, de peso específico bastante baixo e elevado índice de vazios. Os valores de recalques medidos nestes depósitos têm se revelado muito elevados. A disponibilidade de instrumentação de recalques de um extenso aterro em que as construções foram assentes em estacas metálicas motivou este trabalho de pesquisa. No caso em apreço são analisados os registros de execução de todas as estacas de um pequeno estaqueamento executado sob o talude de um aterro, num trecho bem caracterizado sob o ponto de vista geotécnico, e com recalques conhecidos. Conhecido o perfil de recalque medido, em algumas das verticais, foi procedida a previsão do atrito negativo em três alinhamentos de estacas sob o talude do aterro. Procurou-se proceder à estimativa do ponto neutro através da comparação entre o recalque do solo (conhecido) e o recalque da estaca (estimado). Como o recalque varia ao longo do tempo, foi feita a previsão do desenvolvimento do ponto neutro ao longo do tempo, para os três alinhamentos de estacas. O valor do atrito negativo foi também procedido ao longo do tempo, para os três alinhamentos, considerando e não considerando o efeito do adensamento secundário. Uma vez que a capacidade de carga também varia com o tempo, foi estimada e acompanhada a evolução da segurança à ruptura das estacas em relação à carga vertical de compressão ao longo do tempo. Observou-se uma diferença de comportamento entre os valores previstos para as estacas situadas sob os alinhamentos A e B, em relação àquelas situadas sob o alinhamento C. Embora não se trate de um caso com registros de atrito negativo medidos, a previsão de comportamento indicou que o ponto neutro nas estacas que atravessam camadas de argila extremamente compressíveis se localiza em cotas bem inferiores àquelas propostas nos métodos de cálculo mais empregados na prática. Como o valor do atrito negativo máximo é função da posição do ponto neutro, a avaliação do atrito negativo pelos métodos usuais, disponíveis na literatura, pode ser contra a segurança. Observou-se uma pequena influência da compressão secundária, em razão da grandeza, já bastante elevada, dos recalques por adensamento primário. Os resultados levantam discussões interessantes quanto à consideração da posição do ponto neutro, do desenvolvimento do atrito negativo com o tempo, da posição das estacas em relação ao seu alinhamento, bem como de diferentes expressões para o fator de segurança. É um assunto muito pouco estudado no Brasil, justificando pesquisas futuras, algumas das quais são propostas neste estudo.

 

Nos últimos anos, o interesse em se conhecer e avaliar o caminho pós-crítico das estruturas cresceu consideravelmente, principalmente pelo aumento do número de atentados terroristas. Em estruturas de aço, as ligações possuem grande importância no comportamento estrutural, e a garantia de uma resistência adequada é essencial para a prevenção ao colapso progressivo. Com o objetivo de fornecer dados sobre o desenvolvimento dos esforços internos nesse tipo de análise, esta dissertação apresenta um conjunto de análises paramétricas de modelos numéricos em elementos finitos de estruturas metálicas com ligação semirrígida aparafusada com placa de extremidade ajustada, simuladas no evento da perda de uma coluna central. Avaliou-se a robustez da estrutura, bem como o desenvolvimento dos esforços internos e resposta estrutural da ligação. Posteriormente, os resultados encontrados foram avaliados segundo os principais documentos de dimensionamento à robustez. Constatou-se que a garantia da existência de elementos capazes de resistir a grandes esforços de tração é condicionante para se elevar a robustez de uma estrutura e auxiliar na prevenção ao colapso progressivo. Além disso, percebeu-se que a maioria das ligações avaliadas foram capazes de atender aos critérios das normas de prevenção ao colapso progressivo.

 

Este trabalho de pesquisa objetiva o estudo da resposta estrutural dinâmica de pisos de concreto armado, sob o ponto de vista do conforto humano. O modelo estrutural investigado consiste de um sistema de pisos de concreto armado destinado para utilização em uma academia de ginástica, sendo submetido regularmente a prática de ginástica aeróbica. A modelagem teórica das ações dinâmicas humanas rítmicas foi realizada com base no estudo e implementação de formulações matemáticas distintas representativas da ginástica aeróbica. O carregamento foi disposto em diversas posições sobre os pisos em estudo, de maneira a analisar o efeito da posição das ações dinâmicas sobre a resposta dinâmica do modelo em estudo. Para a avaliação dos resultados, as acelerações foram obtidas de três formas: em valores de pico (acelerações máximas), em valor quadrático médio (RMS) e em valor de dose de vibração (VDV). Os valores das acelerações encontradas ao longo das análises foram comparados e confrontados com os limites propostos por recomendações normativas de projeto e por diversos autores. Os resultados obtidos mostraram que os limites recomendados foram ultrapassados em algumas situações de projeto, mostrando que as atividades humanas rítmicas (ginástica aeróbica) podem vir a ocasionar prejuízo ao conforto humano dos usuários. Finalmente, com base na análise da resposta dinâmica do modelo, cabe destacar que os limites de conforto humano do sistema de pisos de concreto armado investigado podem vir a ser atendidos para determinadas posições das ações dinâmicas sobre estrutura.

O uso do aço inoxidável com aplicações na engenharia estrutural vem crescendo ao longo dos últimos anos, principalmente devido as suas características de alta resistência a corrosão, durabilidade, manutenção simples, resistência ao fogo e, além disso, alto apelo estético e baixo impacto ambiental. Atualmente, as normas de projeto de engenharia estrutural consideram o comportamento do aço inoxidável de maneira similar ao comportamento do aço carbono. Todavia, sabe-se que quando se faz este tipo de equivalência, não se aproveita o aço inoxidável em sua plenitude já que tal material apresenta quatro curvas de tensão versus deformação não-lineares, sem patamar de escoamento e região de encruamento diretamente definidos. Um dos tópicos que ainda não foi completamente compreendido é o comportamento de colunas, viga-colunas e vigas de aço inoxidável compostas por seções tubulares circulares (CHS). Desta maneira, a presente dissertação tem como objetivo estudar o comportamento destes elementos estruturais. Dez ensaios foram realizados em tubos circulares de aço inoxidável austenítico de seção CHS 101,6×1,5 contemplando colunas, vigas e vigas-colunas. Em seguida, desenvolveu-se modelos numéricos através do método dos elementos finitos que foram calibrados com os testes experimentais. Finalmente, estes resultados foram ainda comparados com métodos de cálculo recomendados pelo Eurocode 3 Parte 1-4 e o Método da Resistência Contínua, método este que ainda não foi integrado na norma europeia até o presente momento.

 

A Norma Brasileira que padroniza a execução do ensaio de palheta (NBR 10905) estabelece que devem ser medidas no ensaio a resistência de pico e a resistência amolgada do solo, sendo esta obtida após a execução de 10 revoluções do equipamento de palheta no solo, de modo a garantir a sua condição amolgada. Embora ambas resistências sejam determinadas no ensaio, a prática quase universal considerar apenas a resistência de pico nas análises de estabilidade convencionais, que é admitida constante para deformações pós-pico (modelo elástico perfeitamente plástico). De fato, os solos moles brasileiros apresentam sensibilidade baixa, quando comparados às argilas sensíveis canadenses ou escandinavas. A presente Dissertação propõe, porém, o estudo da influência da sensibilidade de solos moles brasileiros no fator de segurança calculado. Além do ensaio de palheta, a sensibilidade do solo pode ser medida de maneira satisfatória a partir de outros ensaios de campo, como o ensaio de piezocone (devidamente calibrado através do ensaio de palheta) e o ensaio T-Bar, sendo este último pouco popular no país, apesar de promissor. O fenômeno de amolecimento (strain-softening) remete à perda de resistência pós-pico sofrida de forma gradual por solos argilosos que apresentam alguma estruturação. Quanto mais acentuado for o amolecimento do solo, mais relevante será sua consideração no cálculo do fator de segurança nos problemas de estabilidade. Entretanto, como as análises clássicas por equilíbrio limite não permitem levar em conta esse efeito, só é possível considerar o amolecimento do solo quando levada em conta a respectiva relação entre tensões e deformações, ou seja, apenas em análises numéricas como, por exemplo, as de elementos finitos, usadas na presente Dissertação. Nos casos de amolecimento, as análises numéricas são de alto grau de complexidade, sendo necessário que a malha de elementos finitos seja concebida de acordo com o conceito de contínuo de Cosserat, que não é comum na maioria dos softwares comerciais, como é o caso do programa utilizado na presente Dissertação. Dessa forma, foi necessário corrigir um modelo constitutivo de queda de resistência abrupta pós-pico para representar a queda de resistência gradual observada nas curvas torque vs. rotação oriundas de ensaios de palheta. O método desenvolvido foi utilizado para reproduzir a ruptura do Aterro Experimental I de Sarapuí (ORTIGÃO, 1980) e a ruptura do Porto de Santana, sendo obtidos bons resultados para ambos os casos, no que se diz respeito ao fator de segurança calculado e à superfície crítica de ruptura encontrada. Estes dois exemplos mostram de forma bastante satisfatória a importância de se incorporar nas análises de estabilidade o efeito da queda de resistência pós-pico (amolecimento), como idealizado na presente Dissertação.

 

O uso eficiente de materiais é um tema extremamente importante atualmente. Desta forma, a busca por estruturas ótimas tem se expandido rapidamente ao longo do tempo, isso ocorre, pois este tipo de estrutura possui um melhor desempenho e por isso são capazes de gerar economia de material. Menos sensíveis a deformações e mais resistentes a flexão, as vigas perfuradas são também mais leves do que um perfil I com a alma cheia de mesma seção transversal. Entretanto, quando submetidas a carregamentos, as vigas celulares sofrem com a ocorrência de altos gradientes de tensão. O que pode indicar que estas vigas são suscetíveis à falha. Desta forma, torna-se perceptível que estes furos não apresentam uma topologia ótima, sendo assim essa remoção de material criando furos nas almas das vigas perfuradas pode ser analisada do ponto de vista da otimização topológica. Assim, este trabalho tem como objetivo encontrar uma nova forma para os furos da alma de vigas perfuradas através do módulo de otimização do programa ABAQUS. Após isso, é feita uma análise comparativa dos resultados obtidos do ponto de vista estrutural, a fim de avaliar os resultados das análises não lineares e de carga crítica para as vigas, celulares e otimizadas, ambas com o mesmo volume, tendo apenas como diferença entre si a distribuição e o formato dos furos ao longo da alma da viga. Os resultados obtidos mostraram o bom comportamento estrutural das vigas otimizadas quando comparadas a viga celular, no que tange a sua resistência e rigidez. Além disso, foi proposto um modelo aproximado a viga otimizada que apresentou um melhor desempenho, modelo este que também apresentou um bom comportamento quando comparado a viga celular.

 

Esta dissertação apresenta um programa de ensaios experimentais seguido de análise numérica com ligações soldadas tubulares tipo T, formadas por perfis SHS enformados a frio com reforço de chapa aplicado nas paredes laterais do banzo e suas respectivas não reforçadas, com o montante submetido a esforços axiais de compressão. Este tipo de reforço pode ser utilizado em ligações tubulares onde o banzo e o montante possuem a mesma largura, com o modo de falha preponderante localizado na parede lateral do banzo. As dimensões dos reforços aplicados foram variadas em espessura e comprimento. Uma análise paramétrica foi realizada com modelos numéricos calibrados pelos ensaios experimentais, onde as resistências previstas pelos modelos numéricos foram comparadas com as resistências obtidas pelas formulações do Eurocode 3 parte 1:8, da NBR 16239 e por equações propostas por outros autores. Os métodos disponíveis para o cálculo e dimensionamento destas ligações produziram resultados dispersos. Para as ligações sem o reforço obteve-se resultados bastante conservadores, principalmente com o incremento do valor da esbeltez da parede do banzo. Para as ligações onde se aplicou chapa de reforço lateral, de mesma espessura do banzo, obteve-se resultados, em sua maioria, superestimados. São propostas ao final da dissertação, duas novas equações para o dimensionamento das ligações em estudo que forneceram resultados mais coerentes com os obtidos nas análises experimentais e numéricas desenvolvidas na presente dissertação

 

Os significativos avanços tecnológicos das ciências dos materiais e dos sistemas e processos construtivos tem proporcionado um crescimento significativo de projetos arquitetônicos arrojados e com isto acarretando em sistemas estruturais de edifícios cada vez mais altos e esbeltos. Este estilo arquitetônico tem conduzido o projeto estrutural dessas edificações a soluções compostas por sistemas mais flexíveis e, desta forma, estes edifícios tem apresentado baixos valores de frequências naturais baixas, tornando-se mais suscetíveis aos problemas de vibrações excessivas. Assim sendo, este trabalho de pesquisa objetiva a investigação da resposta estrutural dinâmica e posterior avaliação do conforto humano de edifícios, quando submetidos à ação não determinística das cargas de vento, com base na consideração do efeito proveniente da interação solo-estrutura e da contribuição das alvenarias dos modelos. Deste modo, investiga-se a resposta estrutural dinâmica de um edifício de concreto armado composto por 22 pavimentos e apresentando uma altura total de 63,8 m. Os resultados obtidos ao longo das análises numéricas realizadas, em termos dos valores dos deslocamentos máximos e das acelerações de pico, são comparados com os valores limites estabelecidos por normas técnicas e recomendações internacionais de projeto, de modo a avaliar de forma crítica os níveis de conforto humano do edifício em estudo, no que tange a situações da prática corrente de projeto.

 

Este trabalho de pesquisa tem por objetivo o estudo do comportamento estrutural dinâmico e avaliação do conforto humano dos pisos de um edifício misto (aço-concreto) de 20 pavimentos, sob a ação de cargas provenientes das atividades humanas rítmicas. Este tipo de avaliação se tornou necessário devido a vibrações excessivas decorrentes da concepção de sistemas estruturais cada vez mais esbeltos, implicando em baixos níveis de amortecimento e frequências naturais cada vez mais baixas, de tal forma que as faixas de frequência das excitações associadas às atividades humanas rítmicas podem vir a causar o efeito de ressonância. O modelo estrutural investigado baseia-se em um edifício misto (aço-concreto) de vinte pavimentos, no qual três pisos foram escolhidos para serem submetidos a atividades humanas rítmicas. A modelagem numérica do edifício em estudo foi realizada com base no emprego do programa ANSYS e foram utilizadas técnicas de discretização por meio do método dos elementos finitos (MEF). As cargas aplicadas sobre os pisos, oriundas basicamente de atividades aeróbicas e saltos coordenados, são simuladas através de três modelos de carregamentos dinâmicos distintos. Uma extensa análise dinâmica foi desenvolvida sobre o modelo estrutural investigado e as respostas dinâmicas dos pisos da edificação foram obtidas em termos dos valores dos deslocamentos e das acelerações, e comparadas com os limites recomendados por normas e critérios de projeto. Ressalta-se que a resposta estrutural dinâmica dos pisos estudados viola os critérios de projeto relativos ao conforto humano e indica níveis de vibrações excessivas para os casos de carregamentos dinâmicos analisados neste estudo, corroborando para o fato de que o edifício não deve ter a sua ocupação utilizada, por exemplo, para academias de ginástica.

 

O aço inoxidável vem sendo utilizado em vários tipos de construções devido as suas características de alta resistência à corrosão, durabilidade, resistência ao fogo, facilidade de manutenção, aparência e estética. As atuais normas de projeto de aço inoxidável são em grande parte baseadas em analogias assumidas com o comportamento de estruturas de aço carbono. Entretanto, o aço inoxidável apresenta quatro curvas tensão versus deformação não lineares sem patamar de escoamento e região de encruamento claramente definidos (tração e compressão, paralela e perpendicular à direção da laminação), modificando assim, o comportamento estrutural global. Um dos aspectos que ainda não foi completamente entendido diz respeito ao comportamento de colunas de aço inoxidável compostas por cantoneiras sujeitas a compressão. Desta forma, o presente trabalho objetivou estudar o comportamento deste tipo de colunas. Treze ensaios foram realizados em cantoneiras em aço inoxidável austenítico de seção L64x64x6,35 e comprimento variável de 250mm a 1500mm. Em seguida, foram desenvolvidas análises numéricas através do método dos elementos finitos calibradas com os resultados dos ensaios experimentais. Por fim, estes resultados foram comparados com métodos de cálculo preconizados no Eurocode 3 Parte 1-4 e o Método da Resistência Contínua, método que ainda não foi incluído na norma europeia até o presente momento. O modo de ruína apresentado pelas colunas foi de flambagem local das abas das cantoneiras para comprimentos menores ou iguais a 750mm e flambagem por flexão para as demais, não apresentando assim a flambagem flexo-torsional. Verificou-se que para valores de esbeltez normalizada menores que 0,65, o critério de cálculo preconizado pelo Eurocode 3 Parte 1-4 é conservador e que para valores acima deste, contra a segurança. E que o Método da Resistência Contínua mostrou ser contra a segurança para o caso de colunas de perfis laminados de aço inoxidável.

 

Esse estudo tem como objetivo principal a elaboração de um concreto permeável com substituição de resíduo asfáltico pelo agregado natural, foram estudadas 5 misturas variando os teores em 0, 10, 20, 50 e 100%. Para analisar a influência deste parâmetro nas características mecânicas e hidráulicas, foram realizados ensaios de compressão axial, módulo de elasticidade, tração na flexão, densidade, porosidade total, capilaridade, permeabilidade e colmatação. Os resultados obtidos indicaram que é possível obter desempenho satisfatório para características de permeabilidade de concreto permeável com uso de agregados reciclados de pavimento asfáltico. Contudo, do ponto de vista das propriedades mecânicas, os resultados indicaram uma redução na resistência à compressão e tração por flexão. Vale ressaltar, que mesmo com essa redução, as diferentes misturas desenvolvidas obtiveram valores mínimos estabelecidos em norma para utilização como pavimentação para tráfego de pedestre

 

Muitas vezes considerada atrasada tecnologicamente quando comparada a outros setores, a construção civil tem buscado incorporar novas tecnologias às suas atividades tradicionais. Dentro deste contexto, pode-se destacar o uso crescente dos materiais geossintéticos na engenharia geotécnica. O foco do presente trabalho é o uso de geosssintéticos nas funções de drenagem. Reconhecidamente a fonte de grandes problemas na construção civil, a drenagem exige atenção especial do projetista. O uso de geocompostos drenantes, com a finalidade de captação e condução da água presente no solo, tem se tornado cada vez mais frequente. Conhecer e compreender o comportamento deste tipo de material pode representar um dimensionamento mais preciso e, consequentemente, uma maior segurança na aplicação e redução de custos para implementação dessas soluções. Este trabalho apresenta um estudo do desempenho de um geocomposto drenante a partir de ensaios de laboratório e análises numéricas. Os ensaios de laboratório foram executados nos laboratórios da Maccaferri, em Jundiaí, e da TRI – Testing, Research, Consulting and Field Services, no Texas, EUA, e buscaram a obtenção das características físicas, mecânicas, hidráulicas e de durabilidade do geocomposto. A partir de correlações entre os ensaios de compressão, transmissividade e fluência foi possível fazer a previsão da redução na capacidade de vazão do material em longo prazo, estabelecendo fatores de redução quanto a fluência, específicos para este tipo de material. Também foram realizadas análises numéricas dos ensaios de compressão simples e transmissividade com o objetivo de calibrar o modelo. Adicionalmente, foram realizadas análises numéricas de uma situação de campo e os resultados de vazão e deformação previstos foram comparados com os valores obtidos nos ensaios de caracterização do geocomposto drenante. Como principais conclusões, destaca-se que na modelagem do ensaio de compressão simples observou-se que para tensões inferiores a 200 kPa, o modelo numérico se aproximou satisfatoriamente dos resultados do ensaio. Na modelagem do ensaio de transmissividade, constatou-se que os valores de vazão previstos numericamente encontram maior compatibilidade para tensões menores. Na simulação da situação de campo, a deformação prevista do geocomposto mostrou-se compatível com os ensaios de compressão realizados.

 

Muitas vezes considerada atrasada tecnologicamente quando comparada a outros setores, a construção civil tem buscado incorporar novas tecnologias às suas atividades tradicionais. Dentro deste contexto, pode-se destacar o uso crescente dos materiais geossintéticos na engenharia geotécnica. O foco do presente trabalho é o uso de geosssintéticos nas funções de drenagem. Reconhecidamente a fonte de grandes problemas na construção civil, a drenagem exige atenção especial do projetista. O uso de geocompostos drenantes, com a finalidade de captação e condução da água presente no solo, tem se tornado cada vez mais frequente. Conhecer e compreender o comportamento deste tipo de material pode representar um dimensionamento mais preciso e, consequentemente, uma maior segurança na aplicação e redução de custos para implementação dessas soluções. Este trabalho apresenta um estudo do desempenho de um geocomposto drenante a partir de ensaios de laboratório e análises numéricas. Os ensaios de laboratório foram executados nos laboratórios da Maccaferri, em Jundiaí, e da TRI – Testing, Research, Consulting and Field Services, no Texas, EUA, e buscaram a obtenção das características físicas, mecânicas, hidráulicas e de durabilidade do geocomposto. A partir de correlações entre os ensaios de compressão, transmissividade e fluência foi possível fazer a previsão da redução na capacidade de vazão do material em longo prazo, estabelecendo fatores de redução quanto a fluência, específicos para este tipo de material. Também foram realizadas análises numéricas dos ensaios de compressão simples e transmissividade com o objetivo de calibrar o modelo. Adicionalmente, foram realizadas análises numéricas de uma situação de campo e os resultados de vazão e deformação previstos foram comparados com os valores obtidos nos ensaios de caracterização do geocomposto drenante. Como principais conclusões, destaca-se que na modelagem do ensaio de compressão simples observou-se que para tensões inferiores a 200 kPa, o modelo numérico se aproximou satisfatoriamente dos resultados do ensaio. Na modelagem do ensaio de transmissividade, constatou-se que os valores de vazão previstos numericamente encontram maior compatibilidade para tensões menores. Na simulação da situação de campo, a deformação prevista do geocomposto mostrou-se compatível com os ensaios de compressão realizados.

 

A crescente utilização do aço inoxidável como elemento estrutural despertou o interesse de clientes, arquitetos e engenheiros nos últimos anos. Apesar do custo ainda elevado, a sua aplicação na construção civil vem substituindo outros elementos estruturais. As normas existentes para o dimensionamento de elementos estruturais são baseadas em analogias com as de aço carbono. Entretanto, os materiais possuem comportamento distinto, sendo necessário o desenvolvimento de normas específicas para estruturas constituídas por aço inoxidável. Desta forma, esta dissertação contemplou a realização de ensaios experimentais e modelos numéricos de colunas tubulares quadradas em aço inoxidável. Os resultados mostraram que as normas conduzem a dimensionamentos muito conservadores e quando se aplica o Método da Resistência Contínua, melhores resultados são obtidos

 

A presente dissertação apresenta um estudo da influência da duração do carregamento na resistência não drenada de solos argilosos moles com vistas a aprimorar a metodologia de projeto de aterros sobre tal tipo de solo destinados à construção de vias sujeitas ao tráfego de veículos especiais ultra-pesados, as quais tendem a ser cada vez mais necessárias para atender as origens e destinos de movimentação de veículos especiais de transporte de grandes equipamentos para montagens industriais. É apresentada uma extensa pesquisa bibliográfica contemplando os principais aspectos de projeto de aterros sobre solos moles, técnicas de obtenção da resistência do solo e a influência da duração do carregamento ou da velocidade de deformação do solo no cisalhamento, assunto principal da dissertação. Também é apresentado um estudo de caso correspondente à seção da estaca E-694 da Via UHOS, onde se constatou a ocorrência de uma camada de solo mole com cerca de 16 m de espessura e se verificou na prática a influência da duração do carregamento na resistência não drenada do solo, uma vez que a referida seção, na geometria original de projeto, suportou tráfego de veículos especiais com carga distribuída equivalente até 30 kPa e, posteriormente, apresentou indício de ruptura no dia seguinte à execução do pavimento projetado de bica corrida compactada com 40 cm de espessura, que representa uma carga distribuída de cerca de 8 kPa. Com base no resultado da pesquisa bibliográfica realizada e no estudo de foi possível apresentar uma perspectiva de uma nova metodologia de projeto de aterros sobre solos moles solicitados por cargas especiais de curta duração, a qual possibilita um aprimoramento da prática atual, em que tais cargas são consideradas permanentes.

 

Este trabalho de pesquisa apresenta como objetivo principal o desenvolvimento de estratégias de modelagem numérica para avaliação da resposta estrutural dinâmica de um sistema estrutural de fundações em concreto armado, utilizado para suporte de máquinas pesadas. Basicamente, os modelos numéricos desenvolvido no âmbito deste estudo são distintos entre si, no que diz respeito a modelagem do efeito da interação solo-estrutura (modelagem das fundações do sistema). O sistema estrutural investigado tem como base uma fundação em concreto armado com dimensões aproximadas, em planta, de 15m x 12m, necessária para suportar um conjunto “compressor-motor”, que possui um peso da ordem de de cerca de 190 toneladas, posicionado a 4m de um piso de referência. Para a modelagem numérica do sistema estrutural são empregadas técnicas usuais de discretização, via método dos elementos finitos (MEF), por meio da utilização do software CSi SAP2000 V.14.0.0. Com base na metodologia de análise desenvolvida, a resposta estrutural dinâmica do sistema de fundações é devidamente avaliada, em termos dos valores das frequências naturais, características dos modos de vibração, valores dos deslocamentos, velocidades e acelerações. Os valores máximos da resposta dinâmica do sistema são comparados com os valores limites recomendados por normas e recomendações de projeto, objetivando uma avaliação criteriosa, no que tange ao desempenho das máquinas e do desempenho do modelo estrutural, em termos de vibrações excessivas e de conforto humano. Cabe ressaltar que os aspectos econômicos envolvidos na concepção do sistema de fundações investigado também são analisados. Finalmente, os resultados obtidos a partir da modelagem do efeito da interação solo-estrutura, com base no emprego dos modelos numéricos desenvolvidos, são avaliados objetivando quantificar e verificar a influência do efeitos da interação solo-estrutura sobre a resposta dinâmica do sistema estrutural analisado.

 

A presente dissertação reuniu registros de cravação de uma obra com perfis metálicos tipo Açominas cravados em solo predominantemente arenoso. Os registros de cravação que compõem o banco de dados foram analisados por ferramentas bastante distintas. A fórmula dinâmica dos dinamarqueses, em despeito de sua simplicidade e de sua indicação, na norma brasileira, apenas em caráter de verificação da uniformidade do estaqueamento executado, tem fornecido resultados muito próximos a análises mais elaboradas pela equação da onda. Por outro lado, enquanto a equação da onda trata da transmissão de ondas longitudinais na estaca, numa simulação uni-dimensional, a cravação de uma estaca no maciço é um problema tri-dimensional, uma vez que o amortecimento do solo surge, principalmente, pelo efeito de radiação, ou geométrico, dissipando uma grande parte da energia através do maciço. De forma a contemplar a análise das tensões residuais, não contemplada na fórmula dos dinamarqueses, o banco de dados disponível permitiu a retro-análise e a comparação destas três ferramentas de cálculo distintas. Apesar de todas as incertezas inerentes à eficiência do sistema de cravação, amortecimento do solo, função definidora do carregamento transiente resultante do golpe na cabeça da estaca, etc., foi possível se proceder à comparação entre os valores da resistência oferecida pelo solo durante a cravação, através destas três ferramentas de cálculo. Os resultados indicaram que apesar de simples, a fórmula dos dinamarqueses fornece valores comparáveis aos métodos mais refinados. As dificuldades inerentes à melhor representação do solo, nos métodos da equação da onde e no programa em elementos finitos, PLAXIS 2D, trazem maiores desafios de interpretação dos resultados. O PLAXIS 2D, em particular, embora revele a presença das tensões residuais, forneceu resultados de tensões ao longo do elemento, em algumas estacas, que necessitam ser melhor esclarecidos, em pesquisa mais detalhada, com estacas que contemplem instrumentação ao longo de todo o seu comprimento.

 

O presente trabalho tem como objetivo a compreensão de um escorregamento ocorrido em um talude no km 78 da RJ – 116 – Rodovia Presidente João Goulart, Nova Friburgo – RJ. O talude no km 78 tem um longo histórico de movimentações, e algumas intervenções foram executadas para estabilização da encosta. Entretanto, as movimentações não cessaram, havendo assim a necessidade de investigação mais detalhada da Geologia da Região. Sondagens mistas foram realizadas para definição do perfil geológico do talude. Adicionalmente, o comportamento do talude foi monitorado com o auxílio de inclinômetros e piezômetros. Complementarmente, foram retiradas amostras indeformadas para obtenção de parâmetros dos solos envolvidos, a partir de ensaios de caracterização, cisalhamento direto e triaxial. Com a finalidade de estabelecer as causas das movimentações deste talude a partir de retroanálises através dos métodos de análises tradicionais de equilíbrio limite e do método de elemento finitos, foram utilizados os programas computacionais Plaxis e Slide para seções representativas definidas pelos levantamentos topográficos. O nível d’ água foi adotado com base nos piezômetros, sondagens e informações técnicas. Os resultados das análises mostraram a existência de duas zonas de deslocamentos e também o quanto o nível d’ água influencia na instabilidade do talude. Para solucionar o problema da movimentação do talude, foram propostas intervenções de drenagens superficiais e profundas a fim de manter o nível d’água abaixo da sua condição crítica, e um constante monitoramento a partir de instrumentações de campo

 

As edificações urbanas podem estar expostas a diferentes tipos de excitações dinâmicas, tais como as que atuam diretamente sobre a estrutura, ou aquelas produzidas por fontes externas, distantes do edifício, cuja vibração é transmitida às fundações por ondas propagadas através do solo. O primeiro tipo de excitação é geralmente bem compreendido na área da dinâmica estrutural, ao contrário da resposta dinâmica dos edifícios quando a fonte de vibração sobre o solo se encontra afastada da estrutura. Neste caso, a resposta do edifício é geralmente analisada sob uma hipótese simplificada de movimento de base. Carregamentos transientes de curta duração e carregamentos em estado estacionário, são as fontes mais comuns de ondas que produzem vibrações indesejadas em edifícios urbanos sob fundações rasas ou profundas. Nesta dissertação, a resposta vibratória transiente de um edifício sobre espessa camada de argila mole, localizado na cidade do Rio de Janeiro, é investigada pela análise dinâmica 2D em elementos finitos, modelando a propagação de pequenas amplitudes de ondas de cisalhamento, compressão e ondas de superfície geradas pelo tráfego de veículos. Este é um caso real de vibrações excessivas, que foram monitoradas a partir de queixas de desconforto dinâmico por parte dos moradores. As fundações do edifício sobre estacas metálicas, bem como a estrutura em si mostraram-se altamente suscetíveis a vibrações induzidas por tráfego de veículos pesados próximo ao local. Os resultados, em termos de aceleração no topo do edifício, foram confrontados com a instrumentação, apresentando boa comparação.

 

Há muita experiência no projeto e na construção de estruturas portuárias de cais no Brasil, embora o único livro brasileiro que aborda este tipo de estrutura tenha sido publicado há trinta e cinco anos. O avanço dos métodos computacionais, dos processos construtivos e também das preocupações com a durabilidade das estruturas de concreto faz com que novos assuntos possam ser discutidos e avaliados dentro da filosofia de projeto das estruturas de acostagem. O presente trabalho tem dois principais objetivos: o primeiro é discutir a durabilidade de estruturas de concreto armado e protendida localizadas em ambientes de severa agressividade ambiental: o mar, ressaltando as práticas de projeto preconizadas pelas normas brasileiras e internacionais e a utilização de novos materiais. O segundo objetivo é descrever a utilização de uma ferramenta computacional moderna, o software CSiBridge, para a análise estrutural de um cais formado por vigas pré-moldadas e protendidas, com pós tração através da utilização de superfícies de influência para distribuição dos esforços e da modelagem dos elementos de protensão considerando a evolução das propriedades mecânicas dos materiais ao longo do tempo.

 

O controle de recalques desde o início da construção tem contribuído para o melhor conhecimento da compressibilidade dos diferentes depósitos sedimentares do subsolo do Rio de Janeiro, permitindo a aferição de propostas de correlações que resultam em estimativas de recalque com menores incertezas. Ao mesmo tempo, estes controles têm possibilitado a observação da uniformização da bacia de recalque e a redistribuição das cargas e sua quantificação quando se considera no projeto de fundações a interação solo x estrutura. Recentemente, a versão mais atualizada da Norma de Fundações 6122 (2010) já contempla, em seu item 5.5, o estudo da interação solo x estrutura. “Em estruturas nas quais a deformabilidade das fundações pode influenciar na distribuição de esforços, deve-se estudar a interação solo x estrutura ou fundação x estrutura. Esta dissertação trata da interação solo x estrutura de mais um caso de obra que vem sendo analisado e que contempla a instrumentação dos recalques desde o início da construção. Trata-se de uma obra de poucos pavimentos em estacas tipo Franki curtas em solo arenoso, caso este onde os recalques esperados são muito pequenos, ou seja, onde o efeito da interação não é muito relevante.A análise inclui a aferição de correlações mais atuais para a compressibilidade de solos arenosos e a tendência de uniformização dos recalques e redistribuição das cargas. De fato, como previsto, face aos pequenos recalques observados, a relevância da interação solo x estrutura não foi muito evidenciada. Observou-se também que a região da obra onde os recalques previstos foram maiores, face à maior grandeza dos carregamentos, não coincidiu com a região da construção onde os maiores recalques foram medidos. Como os recalques são muito pequenos, esta diferença de comportamento pode ser atribuída tanto à pequena acurácia dos valores medidos, bem como à variabilidade do solo. O autor verificou que a região dos maiores recalques instrumentados coincidiu com uma região não caracterizada pelo reduzido número de sondagens executadas. O autor ressalta, portanto, sobre a importância de um número adequado de sondagens, mesmo que a área da construção em planta seja reduzida, para um estudo mais rigoroso da interação solo x estrutura.

 

O uso do aço inoxidável na construção civil vem aumentando consideravelmente nos últimos anos. Isto se deve a preocupação do setor em projetos mais sustentáveis e ecologicamente corretos. Trata-se de um material que apresenta excelente desempenho ao longo de sua vida útil, com baixo custo de manutenção, sendo altamente reciclável. As normas de projeto de aço inoxidável atuais são, em grande parte, baseadas em analogias assumidas com o comportamento de estruturas desenvolvidas com aço carbono. Todavia, o aço inoxidável apresenta quatro curvas não-lineares tensão versus deformação (tensão e compressão, paralela e perpendicular a laminação do material), sem patamar de escoamento e região de encruamento claramente definidos, modificando assim, o comportamento global das estruturas que o utilizam. Este trabalho teve como objetivo avaliar o comportamento de elementos estruturais aparafusados submetidos à tração, em diferentes tipos de aço inoxidável (Austenítico 304, duplex 2205 e ferrítico 430). Para tal apresenta um programa experimental e elaboração de modelo numérico, baseado no método do elementos finitos através do programa Abaqus/CAE (versão 6.14). Foram executados e modelados duas configurações distintas de placa para cada tipo de material, e verificado os estados de limites últimos na ruptura. Os resultados obtidos mostram que as normas ainda são bastante conservadoras no dimensionamento de ligações em aço inoxidável, principalmente no caso do aço austenítico, que apresenta maior capacidade de deformação do que o ferrítico e duplex. Para isso o método da resistência contínua aparece como método alternativo de dimensionamento, pois leva-se em conta o efeito benéfico do endurecimento por encruamento do materil. A não-linearidade do material foi considerada, através do critério de plastificação de Von Mises e curvas tensão versus deformação verdadeira, assim como a não-linearidade geométrica.

 

A crescente utilização do aço inoxidável como elemento estrutural vem despertando grande interesse de clientes, arquitetos e engenheiros nos últimos anos. Apesar do seu custo inicial ainda elevado, a sua aplicação na construção civil vem substituindo outros elementos estruturais. Sua alta resistência à corrosão, aumenta consideravelmente a relação custo benefício; sua estética, proporcionando formas cada vez mais desafiadora não só; pelo seu apelo ambiental, gerando menos resíduos no meio ambiente tornando o planeta mais limpo. As torres de transmissão tem um papel muito importante no fornecimento de energia. Estas estruturas são responsáveis pelo transporte da energia gerada em usinas até os consumidores. Portanto, qualquer falha no sistema devido ao colapso estrutural das torres de transmissão acarretará em sanções pelo órgão regulador pois houve uma interrupção do fornecimento de energia. Assim, é importante manter a integridade estrutural destas torres com manutenções preventivas. Em contrapartida, as torres estão sendo construídas em zonas com limitado acesso dificultando ou onerando qualquer intervenção que venha a ser realizada. Desta forma, este trabalho propõe a realização de um estudo técnico-econômico de torres de transmissão usando aço inoxidável nos elementos estruturais. Combinar uma estrutura onde a durabilidade é um importante fator a ser considerado com um aço reconhecido pela sua alta resistência à corrosão parece ser uma solução racional. Para fins comparativos foi escolhido o projeto de uma torre existente, cuja estrutura de sua base, foi construída por cantoneiras de aço carbono galvanizado. A conjunto de torres foram dimensionadas variando a altura e o aço a ser empregado. Complementando a análise, as análises dos custos envolvidos levaram em conta o investimento inicial e manutenções preventivas a serem realizadas ao longo da vida. Dentre os resultados, pode-se mostrar que o aço inoxidável através do ciclo de vida da estrutura torna-se a solução mais viável devido a sua durabilidade e retorno financeiro.

 

A técnica de tratamento Consolidação Profunda Radial Grouting (CPR Grouting) consiste no bombeamento de argamassa no interior da camada de solo mole sob elevadas pressões, intercaladas com geodrenos anteriormente instalados. O tratamento resulta na diminuição do índice de vazios da camada compressível e no aumento da resistência, conduzindo a uma redução significativa dos recalques.A presente dissertação tem como objetivo comparar o comportamento de dois aterros experimentais, executados sobre solo mole, a partir da análise de dados de instrumentação. Em um dos aterros, foi adotada a técnica de Consolidação Profunda Radial Grouting (CPR Grouting) para tratamento de solo mole. O segundo aterro foi executado sobre camada de solo mole com geodrenos. Os aterros foram implementados na área de construção do Condomínio Palms Recreio Residencial, localizado na Avenida Miguel Antônio Fernandes, Recreio dos Bandeirantes, Rio de Janeiro – RJ. Nesta região, as espessuras de solo mole são da ordem de 8 m. A caracterização do solo mole foi realizada a partir de resultados de ensaios de campo, SPT e pressiométrico, e ensaios de adensamento unidimensional em laboratório. A instrumentação geotécnica constou de placas de recalque, perfilômetros e aranhas magnéticas, para monitoramento dos recalques; inclinômetros, para acompanhamento dos deslocamentos horizontais, e piezômetros, para controle das poropressões. A partir dos ensaios de adensamento, foi realizada uma avaliação da qualidade das amostras, de forma a garantir a representatividade dos parâmetros. As estimativas dos recalques finais, já realizadas na fase de projeto, foram reavaliadas com base nos novos parâmetros adotados.Os resultados permitiram avaliar a eficiência da técnica de consolidação profunda radial. Observou-se uma redução significativa dos recalques sobre o solo tratado, bem como uma diminuição dos deslocamentos horizontais. Ressalta-se a eficácia da técnica, que permite também, uma aceleração expressiva dos recalques com a instalação dos geodrenos.

 

Elementos estruturais feitos de perfis tubulares com costura têm sido cada vez mais adotados pela indústria da construção devido aos substanciais avanços alcançados nos processos de soldagem e fabricação. As seções tubulares com costura são consideravelmente mais econômicas que suas equivalentes sem costura e também estão prontamente disponíveis em comprimentos longos e contínuos. Apesar destes fatos, as atuais normas de projetos estruturais ainda contêm recomendações para seções tubulares com costura baseadas em resultados de testes realizados com seções produzidas com processos de fabricação já em desuso. Estes procedimentos de fabricação são ainda mais conservadores quando aplicados em elementos mistos tubulares com costura inibindo a sua maior adoção em todo o mundo. Esta dissertação apresenta uma campanha experimental realizada para investigar o comportamento estrutural de pilares mistos preenchidos por concreto e feitos com perfis tubulares retangulares com costura. Os ensaios envolveram pilares com: seções apenas de aço, seções de aço preenchidas com concreto e seções de aço preenchidas com concreto e adição de barras de armadura. O principal objetivo dos testes foi o de identificar a contribuição de cada componente na resposta estrutural global, ou seja, perfil de aço, concreto confinado e barras de armadura. Os resultados permitiram uma avaliação das recomendações de projeto presentes no Eurocode 4, visando determinar curvas de flambagem menos conservativas para serem usadas na investigação de pilares mistos feitos de perfis tubulares retangulares com costura.

 

No Brasil, até recentemente, não era comum nos escritórios de cálculo a verificação de passarelas de pedestres quanto ao atendimento dos estados limite de utilização associados ao conforto humano, no que diz respeito ao caráter dinâmico do caminhar das pessoas sobre a estrutura. Entretanto, como o objetivo principal das passarelas é o de transporte de pedestres, estes modelos estruturais devem apresentar um comportamento dinâmico apropriado, sem riscos de vibrações excessivas ou mesmo de desconforto humano. Deste modo, este trabalho de pesquisa tem como objetivo o estudo da resposta dinâmica e análise de conforto humano de passarelas mistas (aço-concreto), quando submetidas ao caminhar humano, com base no emprego de modelos biodinâmicos representativos dos pedestres. O modelo estrutural investigado corresponde a uma passarela de pedestres real, construída sobre a Avenida Ayrton Senna, na cidade do Rio de Janeiro/RJ, Brasil, possuindo um vão central com 68,6m de comprimento. Assim sendo, este trabalho de pesquisa tem por objetivo o desenvolvimento de uma metodologia para a análise do comportamento estrutural dinâmico de passarelas de pedestres, com base na modelagem numérica, análise estrutural, consideração do efeito da interação dinâmica pedestre-estrutura e, finalmente, avaliação do conforto humano, com base no emprego de modelos biodinâmicos. Os resultados alcançados ao longo do estudo indicam um alto grau de desconforto humano quando os pedestres utilizam a estrutura em análise.

 

A utilização de sistemas de colunas de aço protendidas e estaiadas na construção civil tem despertado grande interesse de pesquisadores devido a sua leveza, capacidade portante de carga e agilidade no processo de montagem de estruturas, substituindo equipamentos de içamento e escoramento, proporcionando também economia no processo de montagem de estruturas. Até então estes estudos tem focado em colunas de aço carbono. Visando agregar informações ao estudo de colunas de aço estaiadas e protendidas, o presente trabalho tem a intenção de as estudar considerando a substituição do material aço carbono pelo aço inoxidável através de análises numéricas baseadas no método dos elementos finitos.

 

Elementos estruturais feitos de perfis tubulares com costura têm sido cada vez mais adotados pela indústria da construção devido aos substanciais avanços alcançados nos processos de soldagem e fabricação. As seções tubulares com costura são consideravelmente mais econômicas que suas equivalentes sem costura e também estão prontamente disponíveis em comprimentos longos e contínuos. Apesar destes fatos, as atuais normas de projetos estruturais ainda contêm recomendações para seções tubulares com costura baseadas em resultados de testes realizados com seções produzidas com processos de fabricação já em desuso. Estes procedimentos de fabricação são ainda mais conservadores quando aplicados em elementos mistos tubulares com costura inibindo a sua maior adoção em todo o mundo. Esta dissertação apresenta uma campanha experimental realizada para investigar o comportamento estrutural de pilares mistos preenchidos por concreto e feitos com perfis tubulares retangulares com costura. Os ensaios envolveram pilares com: seções apenas de aço, seções de aço preenchidas com concreto e seções de aço preenchidas com concreto e adição de barras de armadura. O principal objetivo dos testes foi o de identificar a contribuição de cada componente na resposta estrutural global, ou seja, perfil de aço, concreto confinado e barras de armadura. Os resultados permitiram uma avaliação das recomendações de projeto presentes no Eurocode 4, visando determinar curvas de flambagem menos conservativas para serem usadas na investigação de pilares mistos feitos de perfis tubulares retangulares com costura.

 

Os movimentos de massa ocorrem em razão de fatores do meio físico como pluviosidade, declividade e formato da encosta, orientação da vertente, características pedológicas e geológicas, que são determinantes nesse tipo de processo, mas também pela ação antrópica no uso e ocupação do solo. A ação antrópica, particularmente devido à ocupação desordenada das encostas, representa um fator pontecializador na deflagração de escorregamentos. A ocupação de modo irregular é caracterizada pela mudança na geometria do taludes, que, em sua maioria, são cortados para a construção de moradias. Associa-se a isto a inexistência de infraestrutura necessária para que se observe a qualidade de vida e, principalmente, a segurança dos indivíduos. A previsão de ocorrência de movimentos de massa, provocados diretamente pela ação das chuvas, representa um desafio não só para pesquisadores, mas também para agentes do poder público, já que, em áreas urbanas, há a necessidade não só de se estabelecer políticas de delimitação de áreas de risco, mas também de balizar ações emergenciais de proteção da vida humana. Nos municípios mais desenvolvidos existem sistemas de alerta que auxiliam os administradores locais na tomada de decisões emergenciais, como por exemplo a evacuação e/ou o deslocamento da população para áreas de refúgio, seguras, quando o risco de ocorrência de deslizamentos provocados por fortes chuvas torna-se elevado. Tais sistemas baseiam-se nas correlações entre registros históricos de movimentos de massa e intensidades de chuva ocorridas no mesmo período. São definidos limiares de pluviometria acumulada associados às condições de médio e alto risco de deflagração de movimento de massa. Tais limiares devem ser periodicamente reavaliados sempre que novos eventos ocorram. Em 2010 a cidade do Rio de Janeiro registrou 627 ocorrências de movimento de massa, particularmente concentradas nos meses de março e abril de 2010. Destas, 27 ocorreram em uma das vertentes do Maciço da Tijuca, aonde localiza-se a comunidade Formiga. De acordo com os limiares pluviométricos atuais, adotados pela Fundação GeoRio, 4 escorregamentos ocorreram em um momento em que as intensidades pluviométricas eram baixas e, portanto, fora do padrão previsto. Os autores deste trabalho se propuseram, então, a analisar especificamente as 4 ocorrências, de 2010, cujos detalhamentos foram obtidos nos boletins da própria fundação Geo Rio. Para tal, foi realizado um levantamento de todas informações disponíveis na área tais como topografia, sondagens, ensaios, etc. A encosta apresenta uma forma côncava, formando um talvegue no centro. São observadas espessuras de solo residual variando de 2,5m a 18m. Em alguns locais há também camada de colúvio. Na cota 270m a rocha se apresenta aflorada. As sondagens mostram fraturamento a 18m. Ensaios de cisalhamento direto foram realizados no laboratório.Visitas à comunidade da Formiga, em 2015, mostraram dificuldades de acesso aos locais das ocorrências. Como resultado, decidiu-se estudar a estabilidade do talude e estabelecer Fatores de Segurança para condições não saturadas e, em seguida, análises para definição dos parâmetros geotécnicos necessários para instabilização. Como conclusão, a diminuição da coesão aparente do solo em virtude da infiltração da água de chuva se mostrou ser o mecanismo de ruptura mais provável.

 

Em março e abril de 2010 a cidade do Rio de Janeiro registrou números representativos de ocorrências de movimento de massa. Ao longo de 2010, Segundo relatório de escorregamentos confeccionado pela Fundação Geo-Rio e disponibilizado no site Alerta Rio, foram registradas 627 ocorrências, das quais cerca de 76% ocorreram no mês de abril e 8% no mês de março. O número de ocorrências de 2010, mais especificamente sua concentração nos meses de março e abril, atraiu a atenção para os movimentos de massa registrados nestes meses, quando comparados aos demais eventos de chuva e ocorrências em 2010. Para o desenvolvimento da correlação de chuva com movimentos de massa de solo, a que se propõe este trabalho, foi definida a Comunidade Formiga localizada em uma encosta pertencente ao Maciço da Tijuca, o qual está situado dentro da Cidade do Rio de Janeiro. O tratamento dos dados das ocorrências de escorregamentos registradas no ano de 2010, na Comunidade Formiga, e dos eventos de chuva registrados pela estação telepluviométrica da Tijuca permitiu análise gráfica, por meio de método de correlação empírica em que foram considerados as chuvas acumuladas antecedentes aos movimentos de massa de 1 hora(mm/h), de 24 h (mm/24h)e de 96h (mm/96h), bem como as acumuladas de chuva de 1 hora(mm/h), de 24 h (mm/24h)e de 96h (mm/96h), em que não foram desenvolvidos movimentos de massa. Foram desenvolvidas graficamente três alternativas relacionando chuva horaria (mm/h) vs diária (mm/24h), chuva horaria (mm/h) vs acumulado de 4 dias (mm/96h) e chuva diária (mm/24h) vs acumulada de 4 dias (mm/96h), cujos resultados indicaram limiares pluviométricos a partir dos quais há grande probabilidade de ocorrência de movimentos de massa de solo. Na correlação mm/h vs mm/24h, a chuva horaria tem pouca influencia. Os escorregamentos ocorrem a partir de um limiar associado a chuvas superiores a 200mm/24h. Já no caso da correlação mm/h vs mm/96h os escorregamentos estão associados a chuvas acumuladas superiores a 270mm/96h. Por fim, no caso da correlação mm/24h vs mm/96h, independente da chuva acumulada em 4 dias (mm/96h), há uma tendencia de ocorrência de escorregamentos quando as intensidades de chuva são superiores a 200mm/24h e 270mm/96h. Adicionamente ao estudo de correlação chuva vs escorregamento aplicado ao morro da formiga foi desenvolvida nova metodologia de correlação de chuva vs escorregamento na qual é considerada a chuva excedente à chuva média mensal histórica com aplicação para a cidade do Rio de janeiro, com proposta de subdivisão da cidade em zonas para que sejam obtidos limiares pluviométricos que amparem o acionamento das sirenes de evacuação de áreas de risco.

Um aumento crescente dos problemas estruturais associados à ação do vento sobre torres metálicas constitui a principal motivação para o desenvolvimento de uma metodologia de projeto respaldada na obtenção e avaliação da resposta dinâmica de torres de aço de telecomunicações esbeltas, quando submetidas a cargas dinâmicas não determinísticas de vento. Assim sendo, este trabalho de pesquisa objetiva contribuir com o desenvolvimento de uma metodologia para a análise do comportamento estrutural dinâmico não determinístico de torres de aço de telecomunicações, com base no emprego de uma formulação matemática utilizada para a modelagem randômica das ações do vento. Para tal, o modelo estrutural estudado baseia-se em uma torre metálica de telecomunicações real, existente, com 100,3 m de altura. No que diz respeito à modelagem da torre, são empregadas técnicas usuais de modelagem, via método dos elementos finitos (MEF), por meio da utilização do programa ANSYS. As respostas estática e dinâmica não determinística do modelo estrutural, em termos dos valores dos deslocamentos, foram obtidas e comparadas com os limites preconizados em normas e recomendações de projeto. Finalmente, com base nos resultados alcançados ao longo deste trabalho de pesquisa, pretende-se alertar os projetistas desse tipo de estrutura para as diferenças significativas que ocorrem na resposta estrutural do modelo analisado neste estudo, a partir do emprego da metodologia desenvolvida para a modelagem das torres de aço.

 

O uso de cortinas de escavações com ficha descontínua é comum em subsolos e valas. Entre as várias alternativas, os perfis metálicos cravados com as pranchas posicionadas à medida que a escavação avança é o tipo de execução mais empregado na prática. Embora seja uma solução utilizada há muitos anos, o projeto geotécnico que contempla a determinação da ficha necessária à estabilidade, os esforços de flexão nos perfis, bem como os deslocamentos horizontais ao longo da cortina para a carga de serviço, ainda contemplam muitas incertezas. Tais incertezas são atribuídas principalmente ao afastamento das condições de um estado plano de deformações ou tensões, à pequena disponibilidade de literatura técnica, sendo as poucas publicações conhecidas de origem alemã. Resumos das publicações traduzidas para o português e divulgadas por ocasião do início da construção do Metrô no Brasil, através de diretrizes estabelecidas pelos consultores alemãs, são exemplos das poucas publicações conhecidas pela maioria dos projetistas brasileiros. Com o avanço dos métodos numéricos, as possibilidades de uma análise mais detalhada do comportamento das estruturas de contenção de escavações em ficha descontínua nortearam esta pesquisa. Foram revisitadas, atualizadas e reunidas as contribuições mais relevantes sobre o assunto, que revelaram que os procedimentos convencionais de projeto atualmente aplicados pouco evoluíram em relação às diretrizes alemãs da década de 70. Por outro lado, as análises numéricas evoluíram muito no mesmo período, permitindo uma comparação com os métodos de projeto convencionais e possibilitando um melhor conhecimento das estruturas de contenção com ficha descontínua. Nesta dissertação foi observado o potencial da modelagem numérica no projeto geotécnico. O comportamento previsto para um projeto de perfis com pranchada de lajes de concreto, avaliado pelo método de Weissenbach (1967), seja em termos do comprimento da ficha, esforços de flexão atuantes e deslocamentos horizontais, se aproximaram muito dos resultados numéricos. Além disso, ambas as análises conseguiram reproduzir os valores experimentais obtidos da instrumentação de um caso de obra bem documentado de uma obra situada no centro do Rio de Janeiro.

 

Com a difusão do uso de perfis tubulares metálicos no Brasil a partir da segunda metade do século XX, acompanhando uma tendência mundial e já há muito praticada em países como Alemanha, Inglaterra, Canadá, Japão e Estados Unidos, e ainda com o surgimento de novas tecnologias permitindo a criação de perfis de com aços de alta resistência, com tensão de escoamento em torno de 1.000 MPa, torna-se necessário o aperfeiçoamento das técnicas de dimensionamento e de análise estrutural existentes. Se por um lado existem significativos avanços nas pesquisas e no desenvolvimento de novos métodos e tecnologias para utilização de perfis tubulares metálicos, por outro lado, é de extrema relevância e necessário o aperfeiçoamento e adequação das metodologias atuais de cálculo e dimensionamento o que permitirá a utilização racional, segura e mais econômica destes materiais. Este trabalho tem por objetivo comparar os resultados das reaçõese/ou esforços resistentes obtidos pelas formulações das normas técnicas NBR 16.239 [3], EC3-1.8 [4] e ISO 14.346 [5] com os resultados de ensaios experimentaisde ligações do tipo T formadas por perfis RHS no banzo e SHS no montante.Paratal foram ensaiados sete espécimes construídos com perfil RHS 100x80x6,3mm no banzo e SHS 60x60x6,3mm no montante submetidos a carga de compressão no montante e variando-se o nível de esforço normal no banzo. Com os resultados destes ensaios foram elaboradas de análises detalhadas do comportamento estrutural desta amostra considerando os referidos parâmetros de cálculos. As análises do presente trabalho permitiram comparar os valores, de resistência última das ligações ensaiadas, obtidos por meio do critério de deformação limite proposto por diversos pesquisadores com os resultados teóricos determinados com base nas prescrições constantes nas normas técnicas mencionadas anteriormente. Conclui-se, considerando os parâmetros geométricos da ligação avaliada neste estudo, que os resultados teóricos obtidos pelas prescrições normativas quando comparados com os ensaios experimentais foram compatíveis para o caso da ligação sem aplicação de esforço normal no banzo e para os casos em que houve aplicação de esforço axial de compressão de até o limite de 70% da carga de plastificação para as normas NBR 16.239 [3] e EC3-1.8 [4], se mostraram conservadores para a normaISO 14.346 [5]. Nos casos em que houve aplicação de esforço axial de tração no banzo os resultados foram conservadores em todas as normas

 

Os perfis tubulares possuem grandes vantagens associadas ao comportamento estrutural e caráter estético, com grande utilização em países da Europa, Sudeste Asiático, da América do Norte e na Austrália. Porém, tais estruturas são de uso recente no Brasil. Como uma nova tecnologia, a demanda por novas formas de divulgação e implementação de seu uso, são necessárias, além de requerer mais estudos e pesquisas buscando um melhor entendimento de seu comportamento estrutural. Buscando um melhor entendimento, esta dissertação considera um estudo comparativo entre ligações do tipo T com e sem reforço. Isto foi feito através de análises numéricas e experimentais baseadas na resistência última da ligação obtida pelo critério de deformação limite, comparando-se os resultados com as prescrições da NBR16239 (2013). Para isto, foi utilizado um perfil tubular quadrado (SHS) para o banzo e para o montante, verificando a influência do reforço na região da ligação no comportamento global. As não-linearidades física e geométrica foram incorporadas aos modelos numéricos, a fim de se mobilizar totalmente a capacidade resistente desta ligação. Os modelos em elementos finitos foram desenvolvidos no programa Ansys 12.0. Os resultados obtidos mostraram que ao se usar as prescrições de norma para o dimensionamento de ligações com reforço, valores muito conservadores são obtidos.

 

A técnica de tratamento Consolidação Profunda Radial Grouting (CPR Grouting) consiste no bombeamento de argamassa no interior da camada de solo mole sob elevadas pressões, intercaladas com geodrenos anteriormente instalados. O tratamento resulta na diminuição do índice de vazios da camada compressível e no aumento da resistência, conduzindo a uma redução significativa dos recalques.A presente dissertação tem como objetivo comparar o comportamento de dois aterros experimentais, executados sobre solo mole, a partir da análise de dados de instrumentação. Em um dos aterros, foi adotada a técnica de Consolidação Profunda Radial Grouting (CPR Grouting) para tratamento de solo mole. O segundo aterro foi executado sobre camada de solo mole com geodrenos. Os aterros foram implementados na área de construção do Condomínio Palms Recreio Residencial, localizado na Avenida Miguel Antônio Fernandes, Recreio dos Bandeirantes, Rio de Janeiro – RJ. Nesta região, as espessuras de solo mole são da ordem de 8 m. A caracterização do solo mole foi realizada a partir de resultados de ensaios de campo, SPT e pressiométrico, e ensaios de adensamento unidimensional em laboratório. A instrumentação geotécnica constou de placas de recalque, perfilômetros e aranhas magnéticas, para monitoramento dos recalques; inclinômetros, para acompanhamento dos deslocamentos horizontais, e piezômetros, para controle das poropressões. A partir dos ensaios de adensamento, foi realizada uma avaliação da qualidade das amostras, de forma a garantir a representatividade dos parâmetros. As estimativas dos recalques finais, já realizadas na fase de projeto, foram reavaliadas com base nos novos parâmetros adotados.Os resultados permitiram avaliar a eficiência da técnica de consolidação profunda radial. Observou-se uma redução significativa dos recalques sobre o solo tratado, bem como uma diminuição dos deslocamentos horizontais. Ressalta-se a eficácia da técnica, que permite também, uma aceleração expressiva dos recalques com a instalação dos geodrenos.

 

A técnica em solo grampeado vem sendo cada vez mais utilizada em obras de estabilização de taludes. O uso de sistemas computacionais em projetos de obras de reforço de solo por grampeamento vem se tornando cada vez mais presentes nos escritórios. Ainda assim, não existe uma norma brasileira para direcionar melhor a execução deste tipo de estabilização. Este trabalho apresenta um estudo de caso de uma obra instrumentada no Japão onde a escavação de 13,50 metros de altura procedeu-se sobre um solo residual granilítico. Foi realizada calibração deste modelo através do Programa PLAXIS, para validação do software e posteriores análises. Os resultados dos estudos mostraram o quanto eficiente e simples pode ser a adoção do Plaxis como ferramenta de apoio em estruturas de solo grampeado. As análises posteriores à calibração foram baseadas em alguns parâmetros que podem influenciar na magnitude dos deslocamentos horizontais máximos da estrutura. Ainda há uma hesitação dos pesquisadores/ executores desta técnica sobre a espessura ideal do paramento, que garanta estabilidade local e ainda proporcione rapidez na obra e diminuição dos custos. Em função disto, foram realizadas análises sobre diferentes espessuras adotadas no revestimento da face e a avaliação da sua influência na magnitude dos deslocamentos horizontais máximos. Foi possivel também nesta pesquisa realizar análise dos esforços máximos nos grampos através da modelagem e comparar os resultados com os dados fornecidos na instrumentação. Também foi realizada uma comparação entre diferentes processos executivos e a sua influência nos valores de deslocamentos máximos. A análise dos resultados possibilitou confirmar a capacidade e utilidade do programa Plaxis no desenvolvimento e elaboração de projetos de solo grampeado além de ter uma compreensão melhor sobre os fatores que influenciam na magnitude dos deslocamentos horizontais da estrutura.

 

Nas últimas décadas, a partir do crescimento substancial da população das grandes cidades, a demanda por espaço para habitação tem crescido de maneira importante. Para atender a estas necessidades, edificações cada vez mais altas e mais esbeltas são projetadas e vãos cada vez maiores são utilizados. Novos materiais são criados e aprimorados para que seja extraído o máximo de desempenho com o menor custo. Deste modo, esta dissertação tem como objetivo o estudo do comportamento estrutural e avaliação de conforto humano de edifícios de concreto armado. Para tal, são considerados ao longo do estudo quatro projetos de edificações de concreto armado distintos, com alturas variando na faixa de 30m a 70m (11 a 24 pavimentos), submetidos às ações das cargas usuais de projeto atuantes sobre edifícios residenciais, além das cargas de vento. No que tange ao desenvolvimento dos modelos computacionais são empregadas técnicas usuais de discretização, via método dos elementos finitos, por meio do programa ANSYS. Inicialmente, a resposta estrutural estática (deslocamentos e esforços) e dinâmica (acelerações de pico) dos modelos é obtida e comparada com base nos valores limites propostos por normas e recomendações de projeto. A partir de análises qualitativas e quantitativas desenvolvidas sobre a resposta dos modelos em estudo o desempenho estrutural dos edifícios analisados é avaliado, no que diz respeito ao conforto humano.

 

Os perfis tubulares sem costura são utilizados em diversos países, principalmente devido às vantagens associadas à estética a sua elevada resistência à torção, cargas axiais e efeitos combinados. Canadá, Inglaterra, Alemanha e Holanda utilizam de forma veemente estas estruturas e possuem produção contínua e industrializada com alto nível de desenvolvimento tecnológico. O Brasil, porém, se limitava praticamente ao uso destes perfis nas coberturas espaciais. Devido ao aumento da utilização desses tipos de estruturas, fez-se necessário o aprofundamento dos estudos com métodos de análise coerentes para utilização de perfis tubulares, principalmente em relação às ligações, pois são consideradas regiões vulneráveis neste tipo de estrutura. Para atender a necessidade de normatização deste procedimento desenvolveu-se uma norma brasileira específica para o dimensionamento de estruturas em perfis tubulares. Considerando esta perspectiva, este trabalho apresenta uma análise de ligações tipo “T” com reforço tipo chapa com perfis tubulares circulares (CHS) para o banzo e para o montante efetuada com base na norma europeia, Eurocode 3, no CIDECT, na NBR 16239:2013 e ISO 14346. Desenvolveu-se no programa Ansys um modelo de elementos finitos para cada tipo de ligação analisada, calibrado e validado com resultados experimentais e numéricos existentes na literatura. Verificou-se a influência da compressão atuante no montante no comportamento global das ligações. As não-linearidades físicas e geométricas foram incorporadas aos modelos a fim de se mobilizar totalmente a capacidade resistente desta ligação. A não-linearidade do material foi considerada através do critério de plastificação de von Mises através da lei constitutiva tensão versus deformação bilinear de forma a exibir um comportamento elasto-plástico com encruamento. A não-linearidade geométrica foi introduzida no modelo através da Formulação de Lagrange Atualizada. A análise dos esforços resistentes obtidos em comparação com os resultados do modelo numérico, apresentaram valores a favor da segurança no cálculo utilizando as equações de dimensionamento. Por fim um estudo para fatores de correção das equações de dimensionamento foi também proposto.

 

Atualmente, os projetos de edifícios altos necessitam cada vez mais de sistemas estruturais simples, que agilizem sua montagem, reduzindo os custos e promovendo maior flexibilidade de utilização para os espaços construídos. Com essa finalidade, estruturas com poucas vigas vêm sendo muito utilizadas. Entretanto, o sistema estrutural com poucas vigas pode ocasionar dois tipos de problemas, relacionados entre si, a saber: diminuição do sistema de contraventamento da edificação e vibrações excessivas. Portanto, é fundamental, nesses casos, a verificação da estabilidade global da estrutura, utilizando índices de sensibilidade além de outros parâmetros de projeto, como também, o desenvolvimento de um estudo minucioso acerca do conforto humano da edificação. Assim sendo, neste trabalho de pesquisa, foram investigados quatro modelos estruturais de edifícios altos de concreto armado, com base no estudo da variação entre o número de pavimentos e a quantidade de vigas existentes em cada modelo, objetivando-se verificar quais os efeitos que tais variações podem vir a gerar sobre a estabilidade global e, bem como, sobre o conforto humano dos sistemas estruturais investigados. A modelagem numérica dos edifícios em estudo foi realizada através do emprego do programa ANSYS e, para tal, foram utilizadas técnicas básicas de discretização, por meio do método dos elementos finitos. As conclusões alcançadas ao longo da investigação versam acerca do estudo da resposta estrutural estática e dinâmica dos edifícios, no que diz respeito as variações dos valores dos parâmetros de instabilidade, dos valores dos deslocamentos e esforços, e, bem como, dos níveis de conforto humano de cada modelo estrutural analisado.

 

Um estudo das propriedades geotécnicas em argilas moles na Baixada Santista foi realizado neste trabalho. Sobre a argila mole estudada foi realizada a implantação da Sede Administrativa da Bacia de Santos. A Bacia de Santos é uma bacia sedimentar localizada na plataforma continental brasileira, abrangendo uma área de cerca de 352 mil quilômetros quadrados até a cota batimétrica 3000 m. Uma campanha de investigações geotécnicas, dividida em ensaios de laboratórios e de campo foi realizada. Este programa de investigação foi composto de ensaios de caracterização, ensaios de adensamento convencionais (SIC), ensaios triaxiais drenados e não drenados, conhecimento do subsolo por meio de SPT, ensaios de VST, DMT e CPTU. Os parâmetros geotécnicos obtidos foram analisados entre os ensaios realizados e confrontados com os valores reportados na literatura para a Baixada Santista, onde foi perceptível a obtenção de parâmetros geotécnicos correlatos entre os ensaios e correspondentes com a literatura. A espessura de aproximadamente 7 m da argila mole estudada foi constatada nos resultados dos ensaios, assim como o seu nível de pré-adensamento. Valores de resistência ao cisalhamento sob condições não drenada e módulo oedométrico apresentaram-se constante com a profundidade.

 

A técnica de deposição de resíduos de processamento de bauxita prevê uma operação inicial de lançamento de resíduos, por via úmida, no interior de reservatórios artificiais. Nesta fase de deposição, os resíduos são lançados em forma de polpa, sofrendo processos de sedimentação e adensamento por peso próprio. A vida útil dos reservatórios depende fundamentalmente do comportamento geotécnico do resíduo, cujas propriedades variam ao longo do tempo e da profundidade. A presente dissertação tem como objetivo a análise do comportamento de uma área de resíduos de bauxita durante a operação de enchimento do reservatório. Para tanto, foi utilizado o programa Plaxis, que executa análises tensão-deformação pelo método dos elementos finitos. Os parâmetros geotécnicos do resíduo foram definidos com base em ensaios de adensamento e piezocone, executados em amostras representativas da polpa de resíduos. Para calibração do modelo, a batimetria executada no reservatório foi confrontada com as cotas de enchimento previstas numericamente. Finalmente, a distribuição dos parâmetros geotécnicos (peso específico, índice de vazios, permeabilidade) com a profundidade prevista numericamente foi confrontada com os valores medidos no campo, ao final da etapa de enchimento. O conhecimento da variação dos parâmetros geotécnicos com a profundidade ao final do enchimento é importante para avaliar o comportamento do reservatório na etapa de operação de alteamento, e para a estimativa do ganho de vida útil do reservatório. Os resultados permitiram avaliar o funcionamento da drenagem de fundo, a distribuição complexa dos excessos de poropressão ao final do enchimento, os perfis dos índices físicos com a profundidade e o ganho de vida útil. As análises mostraram que o programa foi capaz de reproduzir os processos simultâneos de sedimentação e adensamento por peso próprio, em análises de enchimento de reservatórios de resíduos.

 

As pontes rodoviárias metálicas e mistas (aço-concreto) são submetidas a um grande número de carregamentos repetitivos de diferentes magnitudes, ao longo do tempo. Estas ações dinâmicas podem causar a nucleação de fraturas ou mesmo a propagação destas sobre o sistema estrutural. A depender da magnitude, estes efeitos podem comprometer o sistema estrutural e a sua confiabilidade, além de reduzir a vida útil das pontes. Assim sendo, neste trabalho de pesquisa foi investigada a resposta dinâmica de uma ponte mista (aço-concreto), simplesmente apoiada, com vão de 40,0 m, submetida ao tráfego de veículos sobre a superfície irregular do pavimento. Para tal um modelo numérico representativo do sistema estrutural foi desenvolvido com base no emprego do programa ANSYS, por meio do uso de técnicas usuais de discretização, via método dos elementos finitos. Um estudo paramétrico foi desenvolvido para identificar, de forma qualitativa e quantitativa, o efeito das irregularidades do pavimento sobre o comportamento dinâmico da ponte mista investigada. Em seguida, a verificação do projeto à fadiga do sistema misto foi realizada, com base no emprego do algoritmo de contagem de ciclos Rainflow e em curvas S-N associadas às principais normas de projeto sobre o tema. As conclusões deste trabalho de pesquisa alertam aos engenheiros estruturais para a possibilidade concreta acerca do aumento do dano por fadiga, relacionado às ações dinâmicas de veículos trafegando sobre o tabuleiro de pontes em aço e mistas (aço-concreto).

 

O presente trabalho aborda o efeito de sobrecargas assimétricas em estacas, através do estudo de caso de encontros da Ponte do Rio Capivari nas obras do Arco Metropolitano. Neste caso específico as estacas foram construídas previamente a execução de aterros em terra armada e para minimizar o efeito de Tschebotarioff o solo foi reforçado com colunas de brita. Com embasamento na revisão bibliográfica apresentada foi realizada a análise pelo Método dos Elementos Finitos. Esta análise, realizada pelo programa computacional Plaxis, teve como foco principal a obtenção dos deslocamentos e momentos fletores nas estacas sem colunas de brita e com solo homogêneo equivalente (com colunas de brita). Foi possível verificar a influência da introdução das colunas de brita na redução dos momentos fletores e deslocamentos horizontais nas estacas dos encontros. Realizou-se ainda uma simulação em que as estacas seriam construídas após a realização dos aterros em “terra armada” onde pode-se constatar que o efeito de sobrecargas assimétricas seria mitigado. Foi efetuada também a comparação entre os deslocamentos provenientes de dados coletados da instrumentação de campo (inclinômetros) e os obtidos pelas análises numéricas, estando os mesmos compatíveis entre si, demonstrando que a metodologia adotada para simulação das colunas de brita no Método dos Elementos finitos foi adequada.

 

Atualmente, o assunto de segurança em fundações tem despertado a atenção de diversos pesquisadores. Muitos entendem ser ultrapassada a utilização, pura e simples, de fatores de segurança em obras geotécnicas. O tratamento determinístico nos projetos de fundações não corresponde às variações e incertezas geradas em todo o processo de investigação do subsolo e processo executivo da fundação, sendo ainda o projeto de fundações um “fim de linha” de uma longa fila de disciplinas que a precedem e que geram também incertezas nas informações de esforços de suas estruturas e solicitações nas fundações. Porém, são as fundações as primeiras a serem executadas em qualquer obra civil. Este aspecto tem levado à necessidade crescente de verificar também a probabilidade de ruína da fundação por meio da chamada análise de confiabilidade. Com o objetivo de contribuir com a discussão sobre o emprego da análise de confiabilidade, as orientações da norma e o aprimoramento de modelos de cálculo, esta dissertação apresenta, através da aplicação em um estudo de caso, os diferentes aspectos de segurança abordados em projetos de fundações. Procura-se destacar dois tipos básicos de incertezas: aquelas inerentes à variabilidade espacial das propriedades do solo e as decorrentes do modelo de cálculo. Nesta pesquisa são procedidas inicialmente as extrapolações das curvas das provas de carga, que resultarão nos valores da função de Verossimilhança, para a atualização por Bayes. Numa segunda etapa se procede à estimativa da capacidade de carga “a priori” por alguns métodos consagrados e amplamente utilizados no Brasil. A atualização da estimativa da capacidade de carga é, a seguir, realizada através da metodologia de Bayes, sendo esta uma aplicação de conceitos da probabilidade condicional. A ideia de se proceder a estas duas alternativas de análise “à priori” foi norteada por duas motivações distintas: i) contribuir para a prática, pelo procedimento de combinação de informações num caso real bem documentado, conforme proposto por Vrouwenvelder (1992) e ii) motivar discussão de opiniões polêmica de engenheiros de fundações brasileiros em relação à adoção de um fator de segurança inferior a 2 no caso de provas de carga especificadas na fase de projeto

 

Com base no crescimento exponencial das populações urbanas, a demanda por espaço para habitação tem crescido vertiginosamente. Para atender a estas necessidades, edificações cada vez mais altas e mais esbeltas são projetadas e vãos cada vez maiores são utilizados. Novos materiais são criados e aprimorados para que seja extraído o máximo de desempenho com o menor custo. Deste modo, esta dissertação tem como objetivo o estudo do comportamento e otimização do projeto estrutural de edifícios. Para tal, considera-se ao longo do estudo o projeto de uma edificação de concreto armado com 15 pavimentos e 47 metros de altura, submetida às ações das cargas usuais de projeto atuantes sobre edifícios residenciais, além das cargas de vento. No que tange ao desenvolvimento do modelo computacional são empregadas técnicas usuais de discretização, via método dos elementos finitos, por meio do programa ANSYS. Inicialmente, a resposta estática e dinâmica do modelo estrutural é obtida e comparada com base nos valores limites propostos por normas de projeto. A partir de análises qualitativas e quantitativas desenvolvidas sobre a resposta estrutural do modelo em estudo são utilizadas técnicas de otimização com o objetivo de modificar e aprimorar o desempenho estrutural do edifício analisado.

 

As tensões residuais de cravação ocorrem quando a estaca e o solo não são totalmente descomprimidos após dissipação completa da energia transferida à estaca durante sua instalação. Este assunto tem merecido a atenção de vários pesquisadores, uma vez que a presença das tensões residuais na estaca causa uma alteração no seu comportamento quando carregada. A presente dissertação reuniu estudos anteriores que estabeleceram os principais fatores que incluenciam as tensões residuais de cravação. Procurou-se executar uma série de simulações objetivando melhor entender o desenvolvimento das tensões residuais com a porcentagem de resistência de ponta, em continuidade aos estudos de Costa(1994). Costa (1994) observou que a porcentagem de carga na ponta é um fator relevante na avaliação das tensões residuais de cravação. Uma análise paramétrica efetuada confirmou estudos anteriores, verificando que a razão entre a carga residual na ponta em relação à capacidade de carga global cresce, a medida que a porcentagem de carga na ponta aumenta, chegando a um valor máximo para, em seguida, diminuir. Este comportamento é similar ao da curva de compactação do solo, quando, ao aumentar a umidade, o peso específico seco aumenta, até um valor máximo, correspondente à umidade ótima, para em seguida reduzir. Verificou-se, ainda, semelhantemente ao aumento da energia de compactação, que vai transladando a curva para cima e para à esquerda do gráfico umidade x peso específico seco, que o aumento do comprimento da estaca apresenta um comportamento similar. O aumento do comprimento leva a curva para cima e para a esquerda. Finalmente, selecionou-se um caso de obra com condições propícias para o desenvolvimento de altas tensões residuais de cravação. Trata-se de um caso de estacas metálias longas, embutidas em solo residual jovem, de elevada resistência, bem documentado com extensa instrumentação, por ocasião da instalação. A retroanálise de cinco estacas do banco de dados mostrou que as cargas residuais previstas, num programa de simulação de cravação, se aproximaram muito dos valores experimentais. Foi observado também que a profundidade do ponto neutro previsto e medido apresentou uma excelente concordância. O resultado mais relevante desta pesquisa foi quando os valores de porcentagem de ponta foram introduzidos no eixo das abscissas e os valores da razão entre a carga residual na ponta e a capacidade de carga global, no eixo das ordenadas, e se observou o aspecto da curva de compactação. A dissertação ilustra ser possível e simples a previsão das tensões residuais de cravação através de uma análise pela equação da onda.

 

As vigas casteladas já são utilizadas em diversos tipos de estruturas para se vencer grandes vãos. Há uma nova realidade para o uso de perfis castelados, agora em aço inoxidável. Este trabalho apresenta uma análise comparativa entre vigas casteladas e vigas de alma cheia em perfis IPE, baseadas na norma europeia, no método da resistência contínua; e, também, através de um modelo em elementos finitos desenvolvido no programa Ansys. Este trabalho tem como objetivo verificar o comportamento e a resistência à flexão das vigas casteladas em aço inoxidável. As não-linearidades físicas e geométricas foram incorporadas aos modelos, a fim de se mobilizar totalmente a capacidade resistente desta estrutura. A não-linearidade do material foi considerada através do critério de plastificação de von Mises e da lei constitutiva tensão versus deformação multi-linear, de forma a exibir um comportamento elasto-plástico com encruamento. A não-linearidade geométrica foi considerada a partir de uma formulação de Lagrange atualizado. Os resultados numéricos das vigas em estudo foram avaliados quanto aos modos de falha e da distribuição de tensões. Os momentos resistentes analíticos foram comparados com os resultados do modelo numérico apresentando valores satisfatórios e a favor da segurança.

Estudos de fundações de obras de arte, como barragens de concreto-gravidade e barragens de terra, devem contemplar todos os esforços atuantes no maciço de fundação, principalmente as tensões e deformações esperadas durante todo o processo construtivo e no período pós-construtivo. Quando essas estruturas são apoiadas sobre rochas de boa sanidade, a escolha do barramento geralmente favorece a implantação de barragens de concreto. Entretanto, quando os maciços de fundação são formados por solos, a opção técnica geralmente mais bem aceita é quanto à utilização de barragens de terra. Em ambos os casos, as análises de estabilidade e de deformação são desenvolvidas por métodos analíticos bem consolidados na prática. Nas condições mais adversas de fundação, seja em rochas ou em solos com marcante anisotropia e estruturas reliquiares herdadas da rocha-mãe, a utilização de modelos constitutivos anisotrópicos em análises por elementos finitos propicia simulações mais realistas dessas feições estruturais, contribuindo para o seu melhor conhecimento. O presente trabalho teve por objetivo demonstrar a utilização de um modelo constitutivo anisotrópico no estudo da fundação da Barragem San Juan, localizada na República Dominicana, que foi concebida como uma estrutura tipo concreto-gravidade apoiada sobre solos residuais jovens altamente anisotrópicos. Nessa obra, apesar de sua pequena altura, a presença marcante de descontinuidades ensejou um estudo mais detalhado do comportamento tensão-deformação da fundação, levando em conta o levantamento detalhado da atitude das descontinuidades presentes no maciço e os resultados de ensaios de resistência em planos paralelos e normais às descontinuidades. Para a estimativa de deformações, os respectivos módulos de Young (Es) foram estimados com base em correlações com a resistência à penetração SPT desenvolvidas nesta dissertação, a partir de um estudo estatístico baseado em várias publicações disponíveis na literatura. As análises numéricas por elementos finitos foram desenvolvidas através do programa Plaxis 2D, utilizando-se como modelo constitutivo aquele denominado “The Jointed Rock Model”, que é particularmente recomendado para análises de estabilidade e deformação de materiais anisotrópicos. Os resultados das análises numéricas foram comparados com as análises de equilíbrio limite elaboradas para o projeto executivo da referida barragem, pelo programa Slope, utilizando o método rigoroso de Morgenstern e Price, que se mostrou conservador. Os resultados das análises numéricas mostraram sua inequívoca versatilidade para a escolha de opções de reforço da fundação, através de dentes que objetivavam o aumento das condições de estabilidade da barragem.

 

Com o passar dos anos a engenharia estrutural passou a lidar com a exigência cada vez maior de estruturas que ocupem menos espaço e sejam consideravelmente mais leves. No caso de passarelas de pedestres, a esbeltez da estrutura aliada a um baixo peso pode acarretar em problemas de vibrações devido à ressonância com o caminhar dos pedestres. Estes problemas podem variar desde uma simples sensação de desconforto até problemas mais graves como o colapso estrutural. Com base nestas premissas, esta dissertação visa investigar dois modelos estruturais, um em concreto armado e outro misto, do tipo aço concreto, onde os modelos serão estudados mediante o emprego do método dos elementos finitos através do programa ANSYS. Os modelos numéricos permitem determinar as frequências naturais da estrutura e consequentemente estudar as respostas dos modelos mediante análises de vibrações forçadas. As respostas dinâmicas das passarelas serão obtidas em termos dos valores dos deslocamentos máximos e das acelerações de pico. Os resultados obtidos foram comparados com os principais guias que regem o conforto humano no caso de caminhar de pessoas em passarelas de pedestres, de forma que houve indicativos de possíveis desconfortos após a análise dos resultados obtidos ao longo da investigação. Finalmente, foi feito um estudo considerando-se movimentos aleatórios dos pedestres sobra as passarelas, objetivando estudar os níveis da resposta dinâmica das estruturas nestas situações.

 

Este trabalho tem por objetivo avaliar o comportamento dinâmico de pisos mistos (aço-concreto) sob a ação de cargas provenientes das atividades humanas rítmicas, especificamente a prática de ginástica aeróbica, sob o ponto de vista do conforto humano. Tal avaliação torna-se necessária por crescentes problemas estruturais associados às vibrações excessivas, decorrentes da concepção de sistemas estruturais com baixos níveis de amortecimento e com frequências naturais cada vez mais baixas e bastante próximas das faixas de frequência das excitações associadas às atividades humanas rítmicas. O modelo estrutural investigado baseia-se em um piso misto (aço-concreto) submetido a aulas de ginástica aeróbica. A modelagem numérica do piso misto investigado foi realizada com base no emprego do programa ANSYS e foram utilizadas técnicas de discretização por meio do método dos elementos finitos (MEF). As cargas aplicadas sobre o piso, oriundas das atividades aeróbicas, são simuladas através de dois modelos de carregamentos dinâmicos distintos. Uma extensa análise paramétrica foi desenvolvida sobre o modelo estrutural investigado e a resposta dinâmica do sistema foi obtida, em termos dos deslocamentos e das acelerações, e comparada com os limites recomendados por normas e critérios de projeto. A resposta dinâmica do piso estudado viola os critérios de projeto relativos ao conforto humano e indica níveis de vibrações excessivas nos casos de carregamento dinâmicos analisados nesta dissertação.

 

Ao longo dos anos, inúmeros estádios de futebol no Brasil têm sido projetados para suportar as cargas acidentais (carga de pessoas) como sendo do tipo estática (4kN/m2). Entretanto, ultimamente com base na mudança do comportamento do público, especialmente em jogos de futebol, através da ação de torcidas organizadas e, ainda, com o emprego desses estádios para shows de música, os sistemas estruturais passaram a sofrer um maior impacto pela natureza dinâmica dos carregamentos solicitantes. Assim sendo, alguns destes estádios passaram a apresentar problemas de vibrações excessivas e tornou-se necessária a consideração efetiva das cargas dinâmicas nos projetos estruturais. Deste modo, este trabalho de pesquisa objetiva o estudo do comportamento dinâmico e avaliação do desempenho do sistema estrutural das arquibancadas do Estádio Nacional de Brasília, no que diz respeito ao conforto humano. Cabe ressaltar que o referido estádio foi projetado e construído para ser utilizado na Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil. Os resultados alcançados ao longo do desenvolvimento deste estudo são confrontados com aqueles fornecidos por normas e recomendações internacionais de projeto. Os resultados revelam a importância da análise dinâmica para o projeto de estádios de futebol, no que tange a obtenção de dados relevantes para o conforto humano e, bem como, segurança dos usuários desse tipo de estrutura.

 

Uma das tarefas mais importantes do engenheiro na área da Geotecnia é a escolha dos valores de parâmetros geotécnicos obtidos de ensaios de campo ou laboratório e que serão utilizados nos modelos e cálculos na fase de projeto. Incertezas de diversas sortes, como a inerente ao próprio solo pela heterogeneidade de sua formação, bem como aquelas derivadas de equipamentos, processos e erros humanos na execução de ensaios, vêm acarretar a enorme variabilidade que se encontra nos valores dos parâmetros geotécnicos de interesse, a exemplo do NSPT, número de golpes do Standard Penetration Test (SPT). Diante da incerteza e da heterogeneidade de abordagens para a utilização dos valores de NSPT em projetos, e visando a uma tomada de decisão de forma mais racional, onde as partes envolvidas de interesse – consumidores, projetistas, fiscais de obras, executores e comunidade científica – possam discutir em bases harmoniosas e mais objetivas, é proposta neste estudo, a aplicação de um critério estatístico para obtenção de valores de NSPT, a partir da construção de intervalos de confiança de 95% de probabilidade em torno da reta ajustada de regressão linear simples entre a variável aleatória NSPT e a profundidade. A disponibilidade da base de dados – sondagens e resultados de 19 provas de carga estáticas – de um extenso estaqueamento do tipo hélice contínua, realizado na região de Araucária – PR, possibilitou a construção do critério de obtenção do NSPT para seis regiões representativas que, juntas, compõem a área do estaqueamento. Os valores obtidos de NSPT foram utilizados na previsão da capacidade de carga das 19 estacas isoladas a partir da utilização de três métodos semi-empíricos. As cargas de ruptura dessas 19 estacas ensaiadas, que foram obtidas pelos métodos de Van Der Veen e Décourt (Rigidez), serviram para comparação e consequente validação do critério.

 

O presente trabalho tem como objetivo a análise numérica do comportamento dos aterros instrumentados que compõem a obra do Arco Metropolitano do Rio de Janeiro. Os resultados da instrumentação de campo serão retroanalisados, juntamente com dados disponíveis na literatura, buscando-se a definição de parâmetros confiáveis, representativos do comportamento da argila compressível da região em estudo. O Arco Metropolitano é uma rodovia projetada que servirá como ligação entre as principais rodovias que cortam o município do Rio de Janeiro. Devido À presença de grandes espessuras de solo compressível em alguns trechos da região, cortados pelo traçado da rodovia, placas de recalque e inclinômetros foram instalados para avaliar os deslocamentos verticais e horizontais dos aterros durante o processo construtivo. Para este trabalho, foram selecionados trechos de aterros que apresentaram recalques expressivos e uma resposta satisfatória da instrumentação. A partir da análise dos parâmetros de projeto e dos parâmetros encontrados na literatura, procede-se à simulação numérica do processo construtivo dos aterros selecionados com o programa PLAXIS, de elementos finitos, através de uma modelagem bidimensional. Os resultados numéricos são confrontados com a instrumentação de campo e com os resultados de previsões teóricas. Os resultados comprovaram que a modelagem numérica mostrou-se uma ferramenta adequada para a previsão dos recalques totais, tempos de adensamento e ganhos de resistência ao longo do tempo. A retroanálise do comportamento de aterros sobre solos moles permite a reavaliação das premissas de projeto, uma vez que as limitações das teorias de análise e a dificuldade na seleção de parâmetros, muitas vezes acarretam em estimativas de recalque incoerentes com as observações de campo.

 

A Costa Peruana apresenta alta atividade sísmica, tornando imprescindível a execução de análises de estabilidade que considerem os eventos sísmicos. Com o desenvolvimento de novas ferramentas numéricas, a análise dinâmica está se tornando cada vez mais importante e usual na fase de projeto, não se justificando mais a execução de análises estáticas em locais tão vulneráveis a sismos. A presente dissertação tem como objetivo realizar a análise da estabilidade dos penhascos de Lima, Peru, considerando quatro taludes distintos, em uma região bastante afetada por abalos sísmicos. As análises foram executadas pelos métodos de equilíbrio limite, elementos finitos e pseudo-estático, buscando-se uma comparação entre os diferentes métodos. O trabalho apresenta uma descrição completa dos taludes em estudo, uma avaliação da condição sismológica da região e finalmente a estabilidade dos Penhascos de Lima, fazendo uso dos programas computacionais Slide (método do equilíbrio limite) e Plaxis (método dos elementos finitos).Os resultados mostraram que os três métodos adotados forneceram fatores de segurança compatíveis, principalmente quando se considera perfis menos estratificados. Para perfis homogêneos, as diferenças obtidas foram da ordem de 0,5 a 1.0 %.As análises ressaltaram a importância de considerar a condição dinâmica, e mostraram-se bastante sensíveis aos valores de carga sísmica adotado.

 

Perante diversas situações da engenharia são utilizadas formulações empíricas de dimensionamento baseadas em dados de campo e experiência profissional que definem muito o caráter subjetivo da metodologia padrão de projeto. O presente trabalho de pesquisa aborda os diversos métodos de obtenção dos esforços gerados em dutos enterrados submetidos a cargas dinâmicas e estáticas e sua posterior reavaliação através de modelagem numérica com o programa Plaxis 3D. Os métodos analíticos não convencionais foram comparados com o método padrão de cálculo sendo que o mesmo demonstrou ter uma boa precisão mesmo sem considerar outros fatores importantes como a parcela de resistência devida à coesão do solo e sua deformabilidade. A modelagem numérica demonstrou o conservadorismo do método de Marston e o subdmensionamento do espraiamento em prisma devido aos efeitos locais ocasionados pela adoção do recobrimento mínimo e sobrecarga dinâmica elevada. Também se observou, através da modelagem 3D, que a utilização dos dois métodos clássicos favorecem a obtenção de resultados dentro da razoabilidade. Verificou-se também, como resultado desta pesquisa, que a proposta de um método clássico modificado permite uma melhor aproximação da carga que atinge o duto.

 

Os recentes desastres ocorridos no país, como o rompimento da adutora em Campo Grande e os desastres relacionados às enchentes urbanas, mostram a necessidade de desenvolvimento de pesquisas científicas que auxiliem na compreensão e no dimensionamento das estruturas projetadas para atender a demanda da população. Os métodos analíticos e experimentais mais utilizados possuem algumas limitações de ordem teórica ou prática. Por outro lado, os métodos numéricos, capazes de simular etapas construtivas e envolver materiais com diferentes modelos constitutivos numa mesma análise, buscam atender às necessidades práticas dos projetos de geotecnia e, ao mesmo tempo, complementam os modelos analíticos e experimentais. Nesse trabalho foram realizadas comparações entre resultados obtidos em ensaios experimentais e resultados extraídos do modelo computacional, buscando aumentar a compreensão sobre a interação solo-estrutura em relação à distribuição de tensões mobilizadas e aos deslocamentos e deformações provocados. A simulação numérica foi feita com a utilização do PLAXIS/3D, software de análise geotécnica baseado no método dos elementos finitos. Os ensaios foram confeccionados na Escola de Engenharia de São Carlos/USP por Costa (2005) e envolveram dutos enterrados submetidos à perda de apoio ou elevação localizada. O estudo experimental foi realizado através de modelos físicos compostos por um maciço de areia pura, contendo um tubo repousando sobre um alçapão no centro do vão. Os modelos físicos foram equipados com instrumental capaz de medir as deflexões e as deformações específicas ao longo do duto, além das tensões totais no maciço de solo circundante e na base do equipamento.

 

A argila encontrada na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, é conhecida por ser muito mole e de peso específico bastante baixo. Passados 17 anos após a execução de um aterro em um dos depósitos argilosos da região, foram realizados ensaios de piezocone e SPT para aferir a espessura atual da camada mole. Tendo-se as espessuras originais da camada, determinadas a partir de ensaios de palheta e SPT na época da realização da obra, foi possível, assim, determinar o recalque que realmente ocorreu. O recalque primário foi calculado através dos parâmetros de compressibilidade previamente conhecidos daquele material. Foi aplicada a correção devido à submersão do aterro e, para isso, foi desenvolvida neste trabalho uma nova metodologia de cálculo para este efeito, considerando a submersão do aterro de forma gradual em todo o seu desenvolvimento matemático. Através da diferença entre o recalque total verificado nos ensaios e o recalque primário calculado, determinou-se a magnitude do recalque secundário. Com isso, estimou-se o OCR secundário do local. Este parâmetro surge da teoria que diz que os recalques secundários também ocorrem devido à variação das tensões efetivas, mas, nesse caso, horizontais. As principais conclusões desta pesquisa apontam para um valor de OCR secundário maior do que aquele já conhecido da argila de Sarapuí, que serviu de base para a referida teoria. Além disso, a proposta de cálculo do efeito da submersão se mostrou fácil e rápida de ser aplicada e forneceu resultados próximos daqueles obtidos pelas metodologias usuais.

 

A presente dissertação apresenta um estudo do comportamento de um muro de gravidade flexível submetido a carregamentos sísmicos. A influência do carregamento sísmico, e mais precisamente da variação da aceleração horizontal de pico é avaliada num estudo paramétrico, através da análise dos resultados obtidos para os deslocamentos e acelerações horizontais que ocorreram no paramento do muro de gravidade. Optou-se pela análise ao longo do tempo, introduzindo o carregamento sísmico ao modelo numérico do qual fazia parte o muro de gravidade através de 5 históricos temporais de acelerogramas horizontais normalizados em 0,05g, 0,10g, 0,15g, 0,20g e 0,25g. O evento sísmico de origem dos acelerogramas normalizados foi o terremoto ocorrido no Chile em 27 de fevereiro de 2010 e medido na estação em San Jose de Maipo, a 332,7km do epicentro do terremoto. Utiliza-se um software computacional aplicado à Geotecnia, o Plaxis, para a calibração de um modelo numérico em situação estática e posterior desenvolvimento das análises paramétricas em condições sísmicas. As análises realizadas para avaliação do comportamento do muro de gravidade em condição sísmica foram a verificação da influência da variação do acelerograma horizontal normalizada introduzido na base do modelo nos valores das acelerações e deslocamentos horizontais atuantes no muro e a verificação da influência do carregamento sísmico em comparação com a situação estática, comparando-se os valores dos deslocamentos horizontais obtidos na análise estática e nas análises dinâmicas. Os fatores que influenciam potencialmente nos resultados numéricos em condições sísmicas foram apresentados, destacando-se os aspectos relacionados à modelagem numérica em condição de sismo. Os modelos constitutivos oferecidos, a possibilidade de incorporação do carregamento sísmico na base do modelo e a possibilidade de consideração do amortecimento visco-elástico de Rayleigh nos materiais são as principais qualidades do Plaxis, utilizado na modelagem numérica. Avaliou-se positivamente a potencialidade do Plaxis, visto que o programa mostrou-se uma ferramenta capaz de simular o comportamento de muros de gravidade sujeitos a carregamentos sísmicos.

 

Os perfis tubulares sem costura são largamente utilizados em diversos países, porém, no Brasil, o uso desses perfis na construção civil era bastante limitado, restringindo-se praticamente a coberturas espaciais. Considerando uma nova realidade para o uso de perfis tubulares, este trabalho apresenta uma análise de ligações tipo “T” com perfis tubulares quadrados (SHS) para o banzo e para o montante efetuada com base na norma europeia, Eurocode 3, no CIDECT, na NBR 16239:2013 e ISO 14346 através de um modelo em elementos finitos desenvolvido no programa Ansys. Verificou-se a influência do momento atuante no montante no comportamento global das ligações. As não-linearidades físicas e geométricas foram incorporadas aos modelos, a fim de se mobilizar totalmente a capacidade resistente dessa ligação. A não-linearidade do material foi considerada através do critério de plastificação de von Mises através de uma lei constitutiva tensão versus deformação tri-linear de forma a exibir um comportamento elasto-plástico com encruamento. A não-linearidade geométrica foi introduzida no modelo através da Formulação de Lagrange Atualizado. Os resultados numéricos são avaliados para a ligação em estudo quanto aos modos de falha e a distribuição de tensões.

 

Passarelas de pedestres mistas (aço-concreto) e de aço são frequentemente submetidas a ações dinâmicas de magnitude variável, devido à travessia de pedestres sobre a laje de concreto. Estas ações dinâmicas podem produzir vibrações excessivas e dependendo de sua magnitude e intensidade, estes efeitos adversos podem comprometer a confiabilidade e a resposta do sistema estrutural e, também, podem levar a uma redução expectativa da vida útil da passarela. Por outro lado, a experiência e o conhecimento dos engenheiros estruturais em conjunto com o uso de novos materiais e tecnologias construtivas têm produzido projetos de passarelas mistas (aço-concreto) bastante arrojados. Uma consequência direta desta tendência de projeto é um aumento considerável das vibrações estruturais. Com base neste cenário, esta dissertação visa investigar o comportamento dinâmico de três passarelas de pedestres mistas (aço-concreto) localizadas no Rio de Janeiro, submetidas ao caminhar humano. Estes sistemas estruturais são constituídos por uma estrutura principal de aço e laje em concreto e são destinados à travessia de pedestres. Deste modo, foram desenvolvidos modelos numérico-computacionais, adotando-se as técnicas tradicionais de refinamento presentes em simulações do método de elementos finitos, com base no uso do software ANSYS. Estes modelos numéricos permitiram uma completa avaliação dinâmica das passarelas investigadas, especialmente em termos de conforto humano. As respostas dinâmicas foram obtidas em termos de acelerações de pico e comparadas com valores limites propostos por diversos autores e normas de projeto. Os valores de aceleração de pico encontrados na presente investigação indicaram que as passarelas analisadas apresentaram problemas relacionados com o conforto humano. Assim sendo, considerando-se que foi detectado que estas estruturas poderiam atingir níveis elevados de vibração que possam vir a comprometer o conforto dos usuários, foi verificado que uma estratégia para o controle estrutural era necessária, a fim de reduzir as vibrações excessivas nas passarelas. Finalmente, uma investigação foi realizada com base em alternativas de controle estrutural objetivando atenuar vibrações excessivas, a partir do emprego de sistemas de atenuadores dinâmicos sintonizados (ADS).

 

O presente trabalho tem como objetivo a compreensão de um escorregamento ocorrido em um talude no km 15+700 da Rodovia RJ – 124 – Via Lagos, Rio Bonito – RJ. Após a movimentação do talude, algumas medidas foram tomadas para estabilização da encosta. No entanto, as movimentações não cessaram, despertando a necessidade de um estudo mais detalhado sobre a Geologia local. Sondagens mistas e rastreamentos geofísicos foram executados, buscando-se a definição de um perfil geológico-geotécnico. Adicionalmente, foram executados ensaios de cisalhamento direto para obtenção de parâmetros de resistência, com amostras retiradas do local, e instalada uma instrumentação composta por inclinômetros, medidores de nível d’água e piezômetros. Com o auxílio do Programa Plaxis, de elementos finitos, foi realizada uma modelagem númerica com o objetivo de confrontar os deslocamentos do talude medidos pela inclinometria com as previsões numéricas. Análises de estabilidade também foram executadas, objetivando a compreensão das causas da instabilidade. Finalmente, o trabalho propõe uma alternativa simples de estabilização e destaca a importância da interação entre a Geologia e a Geotecnia.

 

Considerando-se os diversos carregamentos que solicitam a estrutura de uma ponte rodoviária, ao longo de sua vida útil, alguns possuem um comportamento essencialmente dinâmico, ou seja, variam com o tempo, diferentemente do que é considerado na prática corrente de projeto desse tipo de obra de arte. Em geral, os projetistas desse tipo de estrutura têm tratado carregamentos como o de vento, tráfego de veículos e de pedestres como ações de natureza estática, ignorando seu perfil cíclico. Tal consideração, em diversas situações de projeto, tende a minorar os efeitos das ações dinâmicas sobre o sistema estrutural. Além disso, estruturas submetidas a solicitações cíclicas repetidas, sob uma carga inferior à caga máxima suportada pelo material, estão sujeitas ao fenômeno da fadiga. A consideração adequada de todos estes aspectos mostra-se fundamentalmente importante para correta avaliação dos níveis de esforços solicitantes do sistema estrutural e, bem como, para a identificação de fenômenos importantes como o da fadiga que pode vir a provocar, por exemplo, a ruptura de componentes estruturais sem aviso prévio ou motivo aparente. Para tal, nesta dissertação as técnicas para a contagem de ciclos de tensão e a aplicação das regras de dano acumulado foram analisadas através de curvas do tipo S-N, associadas a diversas normas de projeto. A ponte rodoviária mista (aço-concreto) investigada neste estudo é constituída por seis vigas de aço longitudinais com enrijecedores transversais, oito transversinas e por um tabuleiro de concreto armado. O modelo numérico-computacional, desenvolvido para a análise dinâmica da ponte foi elaborado com base em técnicas usuais de discretização através do método dos elementos finitos. As mesas e almas das vigas, assim como os enrijecedores , foram modelados por elementos de casca e laje de concreto armado, por elementos sólidos. O carregamento dinâmico avaliado no presente estudo diz respeito ao tráfego de veículos, cuja representação se dá a partir de sistemas “massa-mola-amortecedor”. Os comboios formados são adotados como sendo semi-infinitos, deslocando-se com velocidade constante sobre a ponte. As conclusões da presente investigação versam acerca da vida útil de serviço dos elementos estruturais de pontes mistas (aço-concreto).

 

Considerando uma nova realidade com o incremento do uso de perfis tubulares, este trabalho apresenta uma análise de ligações soldadas tipo “T” com perfis tubulares circulares (CHS) para a coluna e perfil I ou H para a viga com flexão no plano, efetuado com base nas normas EC3, CIDECT e a NBR 16239 comparando com o critério de deformação limite, proposto por Lu et al., através de um modelo em elementos finitos desenvolvido no programa Ansys versão 12.0. A não-linearidade geométrica foi introduzida no modelo através da Formulação de Lagrange Atualizado. Com base nos resultados numéricos avaliados foram traçadas curvas momento-rotação para cada modelo com o objetivo de obter o momento resistente de cada ligação bem como a classificação da ligação quanto a capacidade de rotação, a influência dos parâmetros geométricos em cada modelo e o modo de falha que controlará o dimensionamento da ligação.

 

A demanda pelo uso de perfis tubulares em estruturas na construção civil tem tido grande avanço no Brasil, apesar de ser, a muito tempo, amplamente empregado na Europa e países desenvolvidos. O lançamento de uma Norma Técnica Brasileira específica para dimensionamento de perfis tubulares confirma esta tendência, havendo então a necessidade de uma maior divulgação e execução de estudos e trabalhos de pesquisa para uma melhor compreensão e desenvolvimento desta tecnologia. O presente trabalho apresenta uma análise da influência da aplicação de esforço normal no banzo no comportamento de ligações tubulares do tipo “T”. No desenvolvimento deste trabalho, foram realizados seis ensaios em laboratório com ligações do tipo “T” com perfis do tipo RHS para o banzo e SHS para o montante, sendo utilizados perfis conformados a frio para composição das ligações ensaiadas. Do total dos ensaios foram executados dois ensaios sem aplicação de esforço normal no banzo; dois com aplicação de esforço normal de compressão e dois com aplicação de esforço normal de tração. A resistência última das ligações obtida nos ensaios por meio do critério de deformação limite proposto por diversos pesquisadores. Estes resultados foram comparada com os resultados obtidos em modelos numéricos em elementos finitos desenvolvidos no programa ANSYS 12.0, sendo consideradas nestes modelos, as não linearidades geométricas e de material. Estes resultados também foram comparados com os resultados teóricos obtidos com base nas prescrições constantes nas Normas Eurocode 3; Norma Brasileira NBR 16239 e do CIDECT. Conclui-se com este estudo que os resultados obtidos tanto nos ensaios experimentais quanto nos modelos numéricos ficaram a favor da segurança quando comparados com os valores teóricos obtidos pelas normas Eurocode 3 e NBR 16239:2013 e CIDECT com o banzo sem aplicação de esforço normal e com aplicação de esforço normal de compressão, havendo uma maior aproximação dos resultados com os valores teóricos obtidos pelo CIDECT. Os resultados obtidos com a aplicação de esforço normal de tração no banzo foram bem acima dos resultados teóricos no caso estudado.

 

As pontes rodoviárias de concreto armado estão sujeitas às ações dinâmicas variáveis devido ao tráfego de veículos sobre o tabuleiro. Estas ações dinâmicas nem sempre são corretamente consideradas pelos projetistas. Deste modo, a correta consideração destes aspectos mostra-se de fundamental importância, de forma a se avaliar os esforços dinâmicos oriundos do tráfego de veículos sobre o tabuleiro. De acordo com este contexto, a ponte rodoviária investigada nesta dissertação é constituída por duas vigas longitudinais, três transversinas, sendo uma central e duas sobre os apoios, e por um tabuleiro em concreto armado. O modelo computacional, desenvolvido para a análise dinâmica da ponte, foi concebido com base no emprego de técnicas usuais de discretização através do método dos elementos finitos. Os veículos são representados a partir de sistemas do tipo “massa-mola-amortecedor”. O tráfego destes veículos é considerado mediante a simulação de comboios semi-infinitos, deslocando-se com velocidade constante sobre a ponte. As técnicas para a contagem de ciclos de tensões e a aplicação das regras de dano acumulado foram analisadas através das curvas S-N de diversas normas e recomendações internacionais vigentes que versam sobre o tema. As conclusões deste trabalho de pesquisa se referem à análise da resposta dinâmica e, bem como, da vida útil de serviço da obra de arte rodoviária de concreto armado investigada, quando submetida às ações dinâmicas provenientes do tráfego de veículos pesados sobre o tabuleiro.

 

Avanços tecnológicos no ramo das ciências dos materiais e de processos construtivos, combinado a um cenário econômico favorável, têm levado a um crescimento substancial na construção de edifícios de múltiplos andares pelo mundo. Estes edifícios têm sido construídos com estruturas cada vez mais arrojadas e com elevados níveis de esbeltez, tornando-se verdadeiras obras de arte. Todavia, a compatibilidade dos requisitos arquitetônicos com as condições necessárias de estabilidade de tais estruturas é fundamental e requer dos engenheiros civis um conhecimento teórico substancial desde a concepção do projeto estrutural até o processo construtivo propriamente dito. Assim sendo, o objetivo desta dissertação de mestrado é o de investigar o comportamento estrutural de um edifício de 20 pavimentos misto (aço-concreto) submetido às ações dinâmicas do vento não determinísticas. No núcleo interno da edificação, três tipos de contraventamentos são analisados e comparados. De forma semelhante, no desenvolvimento do modelo computacional são empregadas técnicas usuais de discretização, via método dos elementos finitos, por meio do programa ANSYS. Assim, a resposta dinâmica não determinística do modelo estrutural, em termos dos valores máximos médios dos deslocamentos e das acelerações, é obtida e comparada com os valores limites propostos por normas e recomendações de projeto.

 

Avanços tecnológicos no ramo das ciências dos materiais e de processos construtivos, combinado a um cenário econômico favorável, têm levado a um crescimento substancial na construção de edifícios de múltiplos andares pelo mundo. Estes edifícios têm sido construídos com estruturas cada vez mais arrojadas e com elevados níveis de esbeltez, tornando-se verdadeiras obras de arte. Todavia, a compatibilidade dos requisitos arquitetônicos com as condições necessárias de estabilidade de tais estruturas é fundamental e requer dos engenheiros civis um conhecimento teórico substancial desde a concepção do projeto estrutural até o processo construtivo propriamente dito. Assim sendo, o objetivo desta dissertação de mestrado é o de investigar o comportamento estrutural de um edifício de 20 pavimentos misto (aço-concreto) submetido às ações dinâmicas do vento não determinísticas. No núcleo interno da edificação, três tipos de contraventamentos são analisados e comparados. De forma semelhante, no desenvolvimento do modelo computacional são empregadas técnicas usuais de discretização, via método dos elementos finitos, por meio do programa ANSYS. Assim, a resposta dinâmica não determinística do modelo estrutural, em termos dos valores máximos médios dos deslocamentos e das acelerações, é obtida e comparada com os valores limites propostos por normas e recomendações de projeto.

 

Projetos de construção são caracterizados pela escala, complexidade e seus riscos internos. Não é incomum encontrar planejamento e definição de escopo incompletos o que leva a aumento de custos e prazos. Durante as fases de planejamento do projeto, é recomendável que a equipe responsável quantifique os riscos relacionados à execução do projeto. A principal contribuição desse trabalho é apresentar um método de usar a simulação de Monte Carlo para quantificar e considerar o impacto dos riscos de custos no projeto e, consequentemente, incluir reservas de contingência. Utilizando o método, podem-se priorizar os riscos de custos, de forma a formular plano de mitigação de riscos de forma eficaz. O método apresentado é baseado em estimativa de custo de projeto básico. Utilizando-se técnicas de simulação de Monte Carlo, pode-se simular contingência de custo, permitindo que os impactos de riscos de custos sejam calculados

Diversas formas de geração de energia vêm sendo desenvolvidas com o objetivo de oferecer alternativas ecologicamente corretas. Neste contexto, a energia eólica vem se destacando na região Nordeste do Brasil, devido ao grande potencial dos ventos da região. As torres, que representam parcela significativa do custo total do sistema, tendem a crescer buscando ventos mais fortes e permitindo assim a utilização de aerogeradores com maior capacidade de geração de energia. Este trabalho tem como objetivo formular um modelo de otimização de torres tubulares de aço, para aerogeradores eólicos. Busca-se minimizar o volume total (custo, indiretamente), tendo como variáveis de projeto as espessuras da parede da torre. São impostas restrições relativas à frequência natural e ao comportamento estrutural (tensão e deslocamento máximo de acordo com recomendações da norma Europeia). A estrutura da torre é modelada com base no Método dos Elementos Finitos e o carregamento atuante na estrutura inclui os pesos da torre, do conjunto de equipamentos instalados no topo (aerogerador), e o efeito estático da ação do vento sobre a torre. Para verificação das tensões, deslocamentos e frequências naturais, foram utilizados elementos finitos de casca disponíveis na biblioteca do programa de análise ANSYS. Os modelos de otimização foram também implementados no modulo de otimização do programa ANSYS (design optimization), que utiliza técnicas matemáticas em um processo iterativo computadorizado até que um projeto considerado ótimo seja alcançado. Nas aplicações foram usados os métodos de aproximação por subproblemas e o método de primeira ordem. Os resultados obtidos revelam que torres para aerogeradores merecem atenção especial, em relação à concepção do projeto estrutural, sendo que seu desempenho deve ser verificado através de metodologias completas que englobem além das análises clássicas (estáticas e dinâmicas), incluam também as análises de otimização.

 

A análise de fundações sob solicitações dinâmicas é algo sempre presente em projetos na área industrial. É um campo pouco explorado na área de engenharia geotécnica, onde existem relativamente poucas informações no Brasil, de maneira geral. O método mais comum de realizar essas análises é a simplificação de modelos estruturais a partir do uso de molas. Sabe-se que esses coeficientes de reação têm uma variação relativamente grande e que esse enfoque de projeto pode, em alguns casos, mostrar-se contra a segurança ou levar a superdimensionamentos desnecessários. Verifica-se, então, a necessidade de uma avaliação mais criteriosa, utilizando a interação solo x estrutura, onde as molas comumente utilizadas nas análises vibratórias convencionais são substituídas pela rigidez real do solo quando concebido como um meio contínuo, através de sua discretização pelo método dos elementos finitos. A presente dissertação analisa o problema através do módulo de dinâmica do programa Plaxis 2D. Neste tipo de análise, além da modelagem do solo como um meio contínuo, torna-se possível introduzir condições de contorno específicas ao problema em estudo, múltiplas camadas de solo, sejam horizontais ou inclinadas, além da introdução de amortecedores capazes de evitar a reflexão espúria das ondas incidentes nos limites da malha de elementos finitos e assim modelar mais adequadamente a perda de energia por radiação. A presente dissertação compara medições experimentais e soluções efecientes de métodos vibratórios clássicos com a resposta obtida pelo MEF, mostrando resultados bastante satisfatórios tanto pelos métodos clássicos quanto pelo MEF.

 

Depósitos argilosos, muito moles a moles, de idade geológica recente ocorrem com frequência em regiões de baixadas litorâneas. Os solos são superficiais de espessura variável, podendo chegar a grandes espessuras. Projetos executados sobre depósitos de argila mole resultam em recalques de magnitude elevada e, face à baixa permeabilidade deste material, demandam muito tempo para que se atinja a estabilização das deformações. Além deste aspecto, tais depósitos estão sujeitos à compressão secundária, a qual gera deformações adicionais. Diante deste quadro, é fundamental conhecer as características de compressibilidade e adensamento para que se possa prever a evolução dos recalques ao longo do tempo. O ensaio mais adotado para determinação dos parâmetros de compressibilidade e de adensamento de depósitos muito compressíveis é o ensaio de adensamento oedométrico convencional (SIC). Nos últimos anos, pesquisas têm sido desenvolvidas com o objetivo de difundir o uso do ensaio de adensamento com velocidade controlada (CRS) que apresenta uma série de vantagens para uso em projetos. A presente dissertação objetiva a comparação do comportamento geotécnico de um depósito de argila muito mole, localizado na Baixada de Jacarepaguá, antes e após a construção do um aterro de 2,4m de espessura, para implantação de um empreendimento comercial. A obra ocorreu em 1998 e, nesta época, foi realizada uma série de investigações envolvendo sondagens de reconhecimento e de extração de amostras para ensaios de adensamento e triaxiais. Foram também realizados ensaios de palheta de campo. Todos os dados dos ensaios, realizados em 1997, foram disponibilizados e re-analisados no presente trabalho, à luz da prática atual. Adicionalmente, foram extraídas, em 2012, novas amostras indeformadas, nos mesmos pontos analisados no projeto, a fim de se determinar os parâmetros de compressibilidade da camada compressível após longo tempo de aterro. Foram realizados ensaios de adensamento convencional (SIC) e com velocidade controlada (CRS). Como objetivo secundário, foi também estudada a questão da influência da velocidade de execução do ensaio CRS. Os resultados mostraram o recalque sofrido pela camada através da redução significativa do índice de vazios de campo. Verificou-se, também, a presença significativa de areia na camada de argila mole, o que afeta bastante a previsão de recalque e tempos de adensamento para fins de projeto.

 

Esta dissertação visa investigar o comportamento estrutural de um novo tipo de coluna mista composta por dois tubos concêntricos de aço inoxidável e de aço carbono preenchido com concreto. Com objetivos de demonstrar que esta combinação de materiais é vantajosa, executam-se ensaios de resistência em amostras com vários configurações de seções tubulares e colunas, a fim de assegurar que, este novo elemento estrutural misto, comporte-se de maneira satisfatória comparado ao desempenho de uma coluna mista de perfil duplo de aço carbono com concreto, já amplamente desenvolvida em pesquisas anteriores. Com isso espera-se expandir oportunidades para a utilização do aço inoxidável como material estrutural primário, ora como proteção e recuperação de estruturas existentes, ora como eliminação de recursos tais como formas e armaduras, e, ora com baixos custos de manutenção. Para isso, faz-se uso de modelo numérico apresentado em trabalhos de pesquisa anteriores para seções tubulares de aço carbono. Para a execução do ensaio, adotam-se, inclusive, as mesmas condições de ensaio executadas nas pesquisas anteriores. A comparação dos resultados numéricos com os resultados experimentais mostra-se satisfatória, porém, conservadora, devido à utilização de normas que abrangem somente colunas de perfil tubular duplo de aço carbono preenchidas de concreto

 

Um aumento crescente dos problemas estruturais associados à vibração excessiva de pisos de edificações devido a atividades humanas rítmicas constitui a principal motivação para o desenvolvimento de uma metodologia de projeto respaldada na obtenção da resposta dinâmica de pisos mistos (aço-concreto) e de concreto armado, quando submetidos a cargas dinâmicas humanas rítmicas. Para tal, os modelos estruturais investigados baseiam-se em pisos de edificações mistas e de concreto armado, correntemente submetidos a aulas de ginástica aeróbica. Com referência a modelagem dos pisos são empregadas técnicas usuais de discretização, via método dos elementos finitos (MEF), por meio do programa ANSYS. Um estudo paramétrico foi realizado sobre os modelos estruturais em estudo e foram obtidos valores elevados para as acelerações de pico violando os critérios de projeto e indicando níveis de vibrações excessivas. Considerando-se os aspectos mencionados anteriormente foi desenvolvida uma estratégia com base em alternativas viáveis para o controle estrutural, objetivando a atenuação das vibrações excessivas a partir da instalação de atenuadores dinâmicos sincronizados (ADS) nos pisos analisados.

 

Neste trabalho são estudados os principais parâmetros dos projetos estruturais dos pisos industriais de concreto simples, de concreto com armadura distribuída (sem função estrutural) e de concreto estruturalmente armado. Através de uma revisão bibliográfica atualizada e comentada sobre o tema, aborda-se os modelos analíticos de Westergaard, que originaram diversas metodologias de cálculo; o modelo de Winkler, adotado para representação do conjunto terreno de fundação e sub-base que serve de suporte para a placa de concreto; além dos carregamentos mais frequentes aos quais os pisos industriais de concreto são submetidos ao longo da sua vida útil e as principais metodologias de cálculo utilizadas para o dimensionamento dessas estruturas, aplicadas por projetistas e especialistas. Por fim são desenvolvidos modelos numéricos, sendo o objetivo principal, avaliar o comportamento das placas de concreto quando submetidas à ação de carregamentos estáticos e móveis, comparado os resultados obtidos com os fornecidos pela aplicação direta dos modelos analíticos.

 

O uso de perfis estruturais tubulares vem aumentando em grande escala no mundo, principalmente devido às vantagens associadas ao A crescente utilização do aço inoxidável como elemento estrutural despertou o interesse de clientes, arquitetos e engenheiros nos últimos anos. Apesar do custo ainda elevado, a sua aplicação na construção civil vem substituindo outros elementos estruturais. Seja por sua alta resistência à corrosão, aumentando a relação custo benefício; sua estética, proporcionando formas cada vez mais ousadas ou; seu apelo ambiental, gerando menos resíduos no meio ambiente. As SEs representam um papel importante no fornecimento de energia. Como possuem grande complexidade para manutenção, foi escolhida a estrutura suporte de seu barramento, para o dimensionamento em aço inoxidável. Desta forma, minimizando as paradas para realização de manutenções das estruturas, possibilitando maior qualidade no fornecimento de energia elétrica. Para fins comparativos foi escolhido o projeto de uma SE existente, cuja estrutura de suporte do barramento, foi construída por treliças formadas por cantoneiras de aço carbono galvanizado. Inicialmente, o dimensionamento foi desenvolvido utilizando perfis “H” e “I” funcionando como viga-coluna para os dois tipos de aço. Num segundo momento a estrutura foi dimensionada como treliças planas. Todos os dimensionamentos foram realizados de acordo com as prescrições normativas do EUROCODE 3. Após realização dos dimensionamentos, foram apresentadas as análises comparativas dos custos envolvidos para os tipos de aço. Abordando o investimento inicial, os gastos com manutenção ao longo da vida e os custos elétricos agregados à redução das paradas para manutenção.

 

O uso de perfis estruturais tubulares vem aumentando em grande escala no mundo, principalmente devido às vantagens associadas ao comportamento estrutural e estético, levando a uma intensa utilização nos países da Europa, Sudeste Asiático, América do Norte e na Austrália. Países como Canadá, Inglaterra, Alemanha e Holanda fazem uso intensivo dessas estruturas e contam com uma produção corrente, industrializada e contínua com alto grau de desenvolvimento tecnológico. Diante deste fato, no Brasil, o uso desses perfis era bastante limitado, restringindo-se praticamente a coberturas espaciais. A situação do mercado brasileiro começou a se alterar em razão da maior oferta desses perfis proporcionada pelo início da produção pela V&M do BRASIL no ano de 2000. Sendo assim, diante da novidade da tecnologia, impõe-se a necessidade de divulgação e implementação do uso desse tipo de perfil, além de uma ampliação do número de trabalhos de pesquisa para melhor compreensão de seu comportamento estrutural. O presente trabalho apresenta uma análise paramétrica de ligação reforçada tipo “T”, através da determinação da resistência última da ligação obtida pelo critério de deformação limite proposto por diversos pesquisadores, comparando os resultados com as prescrições do Eurocode 3, do Projeto de Norma Brasileira PN 02.125.03-004 e do CIDECT. As ligações objeto deste estudo são compostas por perfil tubular retangular (RHS) no banzo e perfis circulares (CHS) nos montantes. Nestas análises verificou-se a influência do reforço na região de encontro de banzo e montante, bem como a influência do esforços atuantes no banzo no comportamento global das ligações. As não-linearidades físicas e geométricas foram incorporadas aos modelos, a fim de se mobilizar totalmente a capacidade resistente dessa ligação. Os modelos em elementos finitos, foram desenvolvidos no programa Ansys 12.0. Como resultado final deste trabalho é apresentado o comportamento da ligação tipo T com reforço para diversos tipos de perfis (banzo e montante) e diferentes espessuras da chapa de reforço, fazendo comparação com o dimensionamento proposto pelo Projeto de Norma Brasileira PN 02.125.03-004.

O gerenciamento do tempo nos projetos de construção civil usualmente utiliza algoritmos determinísticos para o cálculo dos prazos de finalização e algoritmos PERT para avaliação da probabilidade de o mesmo terminar até uma determinada data. Os resultados calculados pelos algoritmos tradicionais possuem defasagens nos prazos se comparados aos encontrados na realidade o que vem fazendo com que a simulação venha se tornando uma ferramenta cada vez mais utilizada no gerenciamento de projetos. O objetivo da dissertação é estudar o problema dos prazos de finalização dos projetos desenvolvendo novas técnicas de cálculo que reflitam melhor os prazos encontrados na vida real. A partir disso é criada uma ferramenta prática de gerenciamento do tempo de atividades de projetos de construção enxuta baseada em planilha eletrônica onde serão utilizadas técnicas de simulação a eventos discretos, com base em distribuições de probabilidade como, por exemplo, a distribuição beta.

 

O conhecimento do tema da interação solo-estrutura permite que as edificações sejam projetadas de maneira mais realista com o comportamento físico. Há décadas atrás seria inviável um dimensionamento considerando a deformabilidade do solo de fundação, e as estruturas eram dimensionadas adotando-se as fundações como indeslocáveis, sob uma base rígida. Essa consideração conduz a respostas estruturais inadequadas, por vezes comprometendo a segurança e a estabilidade do conjunto estrutural. Atualmente, o avanço tecnológico permite a obtenção de resultados de milhões de cálculos matemáticos em questões de segundos, podendo-se obter soluções mais arrojadas e dinâmicas, facilitando o dimensionamento estrutural de forma a atender ao novo padrão de construção e arquitetura. A relevância de tal assunto motivou a análise numérica de um edifício de 4 pavimentos de estrutura mista (aço-concreto), considerando o efeito da interação solo-estrutura. As análises foram conduzidas com o programa ANSYS, de elementos finitos, substituindo-se os apoios indeslocáveis por molas discretas, lineares e elásticas, com rigidez equivalente ao solo, conforme hipóDissertação de Winkler. Os parâmetros dos solos de fundação foram adquiridos a partir de correlações empíricas existentes na literatura e da utilização do programa computacional PLAXIS para a determinação das constantes elásticas das molas. Neste trabalho, foram comparados os resultados de reações verticais, esforços normais, momentos fletores e deslocamentos da estrutura obtidos pelo modelo clássico de projeto, que considera apoios indeslocáveis, e pelo modelo de Winkler, que considera a interação solo-estrutura. As análises foram executadas para seis diferentes tipos de solos argilosos, siltosos e arenosos. Os resultados obtidos mostraram claramente a redistribuição dos momentos fletores, esforços normais e reações verticais nos pilares com diferenças significativas para os pilares de canto e periféricos. Observou-se uma tendência de alívio dos esforços nos pilares mais solicitados, adotando a estrutura assentada em uma base rígida. As análises ressaltaram a relevância da interação solo-estrutura, com efeitos provenientes do rearranjo do solo de fundação nos elementos estruturais das edificações.

 

A presente dissertação objetiva a verificação do desempenho dos ensaios do tipo CRS, com velocidade controlada, quando comparados aos ensaios de adensamento oedométricos convencionais, SIC. O ensaio SIC é executado em vários estágios de carga, cada qual com vinte e quatro horas de duração e razão unitária entre o incremento de tensão e a tensão anterior, requerendo um prazo total de cerca de 10 dias para sua execução. Já o ensaio de adensamento com velocidade controlada, CRS, tem sua duração bastante reduzida, o que levou diversos pesquisadores da área de Geotecnia a concentrarem esforços no estudo de seu desempenho, visando sua utilização mais ampla. Para este estudo foi adquirido equipamento da empresa Hogentogler Inc., designado por GeoStar. Sua instalação, montagem e calibração foram realizadas no Laboratório de Mecânica dos Solos. Foram executados ensaios em corpos de prova obtidos de amostras de caulim, preparadas em laboratório, e também em amostras de solos originários de dois depósitos de diferentes regiões no Estado do Rio de Janeiro: baixada de Jacarepaguá e Itaboraí. A dissertação procurou detalhar a execução dos ensaios, as dificuldades da interpretação das planilhas originadas pelo sistema de aquisição de dados, acoplado ao equipamento GeoStar, as mudanças efetuadas, as ocorrências não previstas, a análise e interpretação dos resultados e a comparação dos parâmetros obtidos com os ensaios SIC e CRS. Procurou-se estudar o efeito da velocidade de deformação, histórico de tensões, qualidade dos corpos de prova, parâmetros do ensaio, facilidade de execução e desempenho. Verificou-se a simplicidade, rapidez e o desempenho satisfatório do ensaio CRS. Sugere-se estender estudos semelhantes a outros locais e, principalmente, a amostras de qualidade superior, na expectativa de confirmar as conclusões detalhadas nesta pesquisa.

 

Considerando-se um cenário econômico bastante favorável em conjunto com avanços tecnológicos da ciência dos materiais e processos construtivos, nos últimos trinta anos, as cidades brasileiras têm apresentado um crescimento substancial, no que diz respeito à construção de edifícios residenciais e comerciais de múltiplos andares. Nos dias de hoje, estes edifícios apresentam níveis de esbeltez elevados e têm sido construídos com estruturas cada vez mais arrojadas englobando a experiência e o conhecimento dos engenheiros civis. Deste modo, o principal objetivo dos projetistas está associado à concepção de estruturas mais leves, nas quais o projeto estrutural requer um conhecimento teórico substancial, objetivando tornar compatíveis os requisitos arquitetônicos com as condições necessárias para a estabilidade. Assim sendo, o objetivo deste trabalho de pesquisa é o de investigar o comportamento estrutural estático e dinâmico de um edifício misto (aço-concreto) de 20 pavimentos quando submetido às ações dinâmicas do vento não determinísticas. Deste modo, no desenvolvimento do modelo computacional são empregadas técnicas usuais de discretização, via método dos elementos finitos, por meio do programa ANSYS. Para tal, o estudo apresenta os resultados de uma análise linear-elástica para ações de serviço. A resposta dinâmica não determinística do modelo estrutural investigado, em termos dos valores máximos médios dos deslocamentos e das acelerações, foi obtida e comparada com os valores limites propostos por normas e recomendações de projeto.

 

Este trabalho apresenta um estudo experimental para determinação da largura colaborante em mesas de lajes nervuradas de concreto armado. Esta largura é definida comumente utilizando-se as recomendações contidas nas diversas normas e procedimentos já consagrados de estruturas de concreto armado. Visando a determinação da largura da mesa que efetivamente contribui na capacidade resistente da seção de lajes nervuradas, foram instrumentados e ensaiados modelos que buscaram reproduzir faixas de nervuras e painéis de laje. As faixas possuíam dimensões reais de duas nervuras principais, enquanto as lajes reproduziam painéis em escala reduzida (1:2). Em parte dos modelos, foram inseridos extensômetros de resistência elétrica nas armaduras e no concreto, além de transdutores para verificação das flechas. Foram calculadas as larguras a partir das curvas de tensões e flechas verificadas experimentalmente. Verificou-se, também, a influência da presença de tubulação embutida ao longo da mesa das faixas de laje.

 

Passarelas de pedestres com arquitetura moderna, esbeltas e leves são uma constante nos dias atuais, apresentando grandes vãos e novos materiais. Este arrojo arquitetônico tem gerado inúmeros problemas de vibrações excessivas, especialmente sobre passarelas mistas (aço-concreto). As normas e recomendações de projeto consideram, ainda, que as forças induzidas pelo caminhar humano são determinísticas. Todavia, o caminhar humano e as respectivas forças dinâmicas geradas apresentam comportamento randômico. Deste modo, o presente trabalho de pesquisa objetiva contribuir com os projetistas estruturais, a partir do emprego de uma abordagem probabilística para avaliação do estado limite de utilização deste tipo de estrutura, associado a vibrações excessivas que podem vir a causar desconforto humano. Para tal, utiliza-se como modelo estrutural uma passarela de pedestres mista (aço-concreto) construída no campus do Instituto de Traumatologia e Ortopedia (INTO), na cidade do Rio de Janeiro. Com base na utilização dos métodos probabilísticos, torna-se possível determinar a probabilidade dos valores das acelerações de pico da estrutura ultrapassarem ou não os critérios de conforto humano estabelecidos em normas e recomendações de projeto. Os resultados apontam para o fato de que os valores das acelerações de pico calculadas com base exclusivamente nos métodos determinísticos podem ser superestimados em algumas situações de projeto.

 

Limitações de altura têm sido impostas sobre edificações por regulamentos de zoneamento urbano e aspectos econômicos e estéticos. Para proporcionar-se a passagem de tubulações de grande diâmetro sob vigas de aço, um pé-direito alto é normalmente requerido. Uma solução frequentemente utilizada em projeto diz respeito à abertura de furos na alma das vigas de aço para passagem das tubulações de serviço. Assim sendo, este trabalho de pesquisa objetiva a avaliação da resposta dinâmica de passarelas de pedestres, onde o projeto estrutural prevê aberturas na alma das vigas de aço. Objetiva-se verificar a influência das aberturas nas almas dessas vigas sobre a resposta dinâmica das passarelas. As ações dinâmicas representativas do caminhar dos pedestres são simuladas por meio de um modelo matemático que considera uma descrição espacial e temporal e, ainda, inclui o efeito do impacto do calcanhar humano. Os modelos estruturais investigados correspondem a passarelas mistas (aço-concreto) com 10m a 30m de extensão. São empregadas técnicas usuais de discretização, via método dos elementos finitos, por meio do programa Ansys. A resposta dinâmica das passarelas é obtida para duas situações distintas: vigas sem furo e vigas com abertura de furos na alma. Uma avaliação crítica sobre a resposta dinâmica das passarelas possibilita verificar a influência dos furos nas almas das vigas metálicas, mediante a obtenção das acelerações de pico, focando aspectos associados ao conforto humano, considerando-se comparações com normas e recomendações de projeto.

 

O difundido uso de perfis estruturais tubulares, principalmente devido às vantagens associadas ao comportamento estrutural e estético, levou a uma intensa utilização nos países da Europa, Sudeste Asiático, América do Norte e na Austrália. Países como Canadá, Inglaterra, Alemanha e Holanda fazem uso intensivo dessas estruturas e contam com uma produção corrente, industrializada e contínua com alto grau de desenvolvimento tecnológico. O aumento da oferta deste tipo de perfis, aliado a recentes pesquisas nesta área, leva o Brasil a se inserir neste cenário mundial. Entretanto, as normas brasileiras que regem o dimensionamento destes perfis ainda não se encontram atualizadas, principalmente no que tange ao dimensionamento de ligações de perfis tubulares. Considerando esta perspectiva, este trabalho apresenta uma análise de ligações tipo “K” e “T” com perfis tubulares circulares (CHS). Propõe-se estabelecer um quadro comparativo entre as formulações analíticas de dimensionamento proposta pelo Eurocode 3 Parte 1.8, 2ª edição do guia de projeto de ligações tubulares do CIDECT, projeto de norma brasileira PN 02.125.03-004 e critérios de deformação limite. Para cada um dos tipos de ligações analisadas, desenvolveu-se um modelo em elementos finitos no programa Ansys, calibrado e validado com resultados experimentais e numéricos existentes na literatura. As não-linearidades física e geométrica foram incorporadas aos modelos, a fim de se mobilizar totalmente a capacidade resistente da ligação. A não-linearidade do material foi considerada através do critério de plastificação de Von Mises através de uma lei constitutiva tensão versus deformação bilinear. A não-linearidade geométrica foi introduzida no modelo através da Formulação de Lagrange Atualizado considerando-se a previsão de grandes deformações de forma a permitir a redistribuição de carregamento na ligação após o escoamento inicial. Esta dissertação propõe ainda, a modelagem de uma treliça planar constituída de perfis tubulares, objetivando estabelecer uma comparação entre um nó isolado e um nó da treliça planar.

 

O presente trabalho tem como objetivo a análise do comportamento dos aterros instrumentados que compõem a obra do Arco Metropolitano do Rio de Janeiro. Os resultados da instrumentação de campo serão discutidos e retroanalisados, juntamente com dados disponíveis na literatura, buscando-se a definição de parâmetros confiáveis, representativos do comportamento da argila compressível da região em estudo. O Arco Metropolitano do Rio de Janeiro é uma rodovia projetada que servirá como ligação entre as 5 principais rodovias que cortam o município do Rio de Janeiro. Dada a magnitude da obra e a ocorrência de significativas espessuras de solo mole em alguns trechos da região, determinados aterros que compõem a rodovia foram instrumentados com placas de recalque e inclinômetros, instalados em diferentes estações de monitoramento, no intuito de avaliar os deslocamentos verticais e horizontais dos aterros durante o processo construtivo. De posse de parâmetros confiáveis, é realizada a simulação numérica do processo construtivo de um dos aterros, a partir do programa PLAXIS, de elementos finitos. Os resultados numéricos são confrontados com a instrumentação de campo (fornecida por placas de recalque) e com os resultados de previsões teóricas (teoria de adensamento unidimensional).Em projetos de aterros sobre solos compressíveis, a instrumentação geotécnica é de grande importância, pois permite acompanhar o desenvolvimento de todo o processo construtivo, e as deformações decorrentes da sobrecarga imposta pelo lançamento de camadas de aterro. A imposição de um carregamento sobre solos de alta compressibilidade e baixa resistência pode acarretar em grandes deformações ao longo do tempo, além de rupturas indesejáveis do solo de fundação. Os resultados mostraram que a modelagem numérica mostrou-se uma ferramenta adequada para a previsão dos recalques totais e tempos de adensamento. A definição de parâmetros representativos, com base em ensaios executados em amostras de boa qualidade, é o primeiro passo para a previsão coerente da evolução dos recalques com o tempo. A retroanálise do comportamento de aterros sobre solos moles permite a reavaliação das premissas de projeto, uma vez que as limitações das teorias de análise e a dificuldade na seleção de parâmetros, muitas vezes acarretam em estimativas de recalque incoerentes com as observações de campo.

 

A Indústria da Construção Civil no Brasil, de modo geral e por várias décadas, pouco se preocupou com a redução de perdas em seu processo produtivo. Práticas antigas de gestão, tanto administrativas quanto de produção, ainda são empregadas, apesar do acirramento da competição empresarial no setor. Tais atitudes são responsáveis por grandes perdas no processo de produção, muito embora o destaque recaia apenas sobre a visão do desperdício com materiais empregados. Perdas são identificadas desde o processo de planejamento até à produção de empreendimentos. Diante disso, constata-se que há deficiências nos planejamentos global e da produção de obras, além da falta de organização de todo o processo como um todo. O trabalho, ora apresentado, realiza estudo a partir dessas evidências e, com base em revisão da literatura existente, propõe melhorias no processo de construção desde a fase de planejamento. Visando a redução das perdas na fase de produção é proposto a adoção de metodologia, já empregada pela indústria manufatureira, e que adaptada à construção civil vem apresentando melhorias ao processo. Para integrar essas duas etapas, planejamento e produção, busca-se no gerenciamento de projetos as ferramentas, técnicas e processos de gestão apropriados para o caso. Desse estudo é proposto um método ou modelo para auxiliar o planejamento da obra em suas diversas etapas, levando-se em conta os níveis hierárquicos da organização executora, visando a integração e efetiva participação de todos os envolvidos no processo. Pretende-se que o método funcione, também, como um verificador, ou check-list, de todas etapas a serem percorridas para o planejamento da construção predial, segundo a concepção da Produção Enxuta.

 

Com base em um cenário econômico favorável combinado aos avanços tecnológicos das ciências dos materiais e processos de construção, nas últimas três décadas, as cidades brasileiras têm apresentado um crescimento substancial, no que diz respeito à construção de edifícios residenciais e comerciais de múltiplos andares. Atualmente, estes edifícios apresentam níveis de esbeltez elevados e têm sido construídos com estruturas cada vez mais ousadas e que englobam a experiência e o conhecimento dos engenheiros de estruturas. Como o principal objetivo dos projetistas está associado à concepção de estruturas mais leves, o projeto estrutural requer um conhecimento teórico substancial a fim de tornar compatíveis os requisitos arquitetônicos com as condições necessárias para a estabilidade. Assim sendo, o objetivo desta dissertação de mestrado é o de investigar o comportamento estrutural estático e dinâmico (linear e não linear) de um edifício misto (aço-concreto) de 20 pavimentos. Para tal, o estudo apresenta os resultados de análises estáticas e dinâmicas lineares e não lineares para ações de serviço. O comportamento estrutural do edifício, quando submetido às ações dinâmicas induzidas pelo vento, também foi investigado. Os resultados revelam que edifícios esbeltos merecem atenção especial, no que diz respeito à concepção do projeto estrutural, sendo que seu comportamento deve ser verificado através de metodologias completas que incluam análises do tipo estática e dinâmica (lineares e não lineares).

 

Atualmente, a utilização de estruturas treliçadas para o escoramento de elementos estruturais de concreto e aço é considerada por muitos engenheiros, uma solução necessária para os problemas da engenharia estrutural. Todavia, mudanças de atitudes dentro da construção civil e uma transição global para o desenvolvimento e a produtividade na construção alheia a redução dos custos, tem seguramente provocado um aumento no uso de treliças com maior capacidade de carga sendo tão leves quanto às tr